Getúlio Vargas,um tiro no imperialismo

Ago 26, 2013 por

Getúlio Vargas,um tiro no imperialismo


                                                                                                                                                                                                     REDAÇÃO

                                                          

                -59 anos do suicídio do anti-Lula: um populista-nacional maquiavélico –

                                 Getúlio Vargas,um tiro no imperialismo                                                                               

                                                                                                                                                                                                      

                     (Nota da Redação – tão importante quanto o artigo que  se segue) 

                                                                                  

                                                             POR QUÊ A ‘GRANDE  MIDIA’ ESQUECEU GETÚLIO? >>>SÓ SILÊNCIO !

      

     –Medo, vergonha , incompetência

                           ou   mais uma vez apenas má-fé?-

      _____________________________________________________________________________________________

                      A “grande mídia”, pelo menos a do Rio de Janeiro , nem a das tvs nem a escrita O Globo, Veja, Globonews ,etc. – não deu destaque ou repercussão à data da morte do talvez  mais importante vulto da história do Brasil , dos  últimos 100(cem) anos – Getúlio Vargas.

                                                                                                                        Por quê?

              Por que Getúlio Vargas morre(24-08-1954) ,  pressionado pelas corporações multinacionais, chocando-se com os interesses delas , e culpando-as, pelas desgraças nacionais ,  em sua famosa “Carta Testamento” ?

       

             Por que foram elas que estavam  por trás da derrubada de Jango , no golpe militar de 1964(R.Dreifuss, “1964 – A conquista do Estado” ) ?

            Por que essa mesma mídia disse SIM à derrubada de Getúlio(e por pouco não conseguiu dar o golpe) e um novo SIM  à derrubada de Jango , em 1964 , e , hoje está dizendo SIM à implantação do programa estrangeiro neoliberal no Brasil, que está destroçando  a Nação ?

            Por que ela é ,essencialmente , financiada por essas corporações multinacionais, tanto antes como agora, assim como os mais importantes políticos brasileiros ?

                                                                      

                                                                      

                   Ou  será  que foi por

                                            todas essas razões ?

____________________________________________________________________________________________________

           

                Getúlio Vargas,um tiro no imperialismo  –“A mentira , a calúnia, as mais torpes invencionices, foram geradas pela malignidade de rancorosos e gratuitos inimigos numa publicidade dirigida, sistemática e escandalosa.”

                          (  Vargas . Carta, manuscrita, Memorial Getúlio Vargas).

                      A grande imprensa levou Getúlio ao suicídio com base em nada ; levou Jânio à renúncia , aproveitando-se da maluquice dele, com base em nada ; a tentativa de impedir a posse de João Goulart, com base em nada . A grande imprensa em paises em desenvolvimento é a grande porca das instituições …”

                       (  Cientista político Wanderley Guilherme dos Santos .  Carta Capital , 14-9-2005 , p.27).

                       Cláudio Abramo : “Em 40 anos de jornalismo nunca vi liberdade de imprensa. Ela só é possível para os donos do jornal”.

                                                                                                       ( “As regras do jogo”).

___________________________________________________________________________________________________

 

                                                                      1.  Quem foi Getúlio ?

      

                              Getúlio Vargas nasceu em São Borja, Rio Grande do Sul, em 19 de abril de 1882, filho de um estancieiro . Estudou em Minas Gerais (Ouro Preto) e , depois, na Faculdade de Direito de Porto Alegre. Participou de organizações estudantis e com redator do jornal “O Debate”, elegendo-se deputado estadual (1901) e depois deputado federal (1922), sendo líder da bancada gaúcha.

              Mais tarde, integrou o governo Washington Luís (1926-7) , como Ministro da Fazenda , sendo Presidente do Estado do Rio Grande do Sul, de 1928 a 1930.

               Em 1930 , tendo em vista ter o Presidente da República (Washington Luís)  descumprido acordo com os mineiros(acerto entre as oligarquias paulista e mineira, revezando-se no poder – “política do café com leite” ) , em relação às futuras eleições, indicando Júlio Prestes para presidente, Getúlio liderou uma revolução vitoriosa.        Eclodiu no Rio Grande do Sul e em Minas Gerais , em 3 de outubro de 1930 , chegando com tropas gaúchas no Rio de Janeiro, então a capital .

             Seu poder , na direção do estado, durou até 1945, quando sai também através de golpe/pressão militar, voltando em 1950,  como presidente eleito, democraticamente, com grande apoio popular . Entre 1937-1945  , estabelece  o chamado “estado novo”, tendo como justificativa a “intentona comunista de 1935”, uma verdadeira ditadura, em que persegue democratas,  comunistas , tortura e assassina , através  de sua polícia política .

            Getúlio foi um fazendeiro abastado , ativo , tendo sido , primeiro,  líder estudantil , depois,  formado  em direito ,  rico para a época, que não tornou-se mais rico com o exercício do poder – nem ele , nem sua família. Mas, que tomou a si lutas fundamentais para a nação brasileira, no sentido  da proteção de seus interesses, o que valeu-lhe perseguições e o suicídio – não tendo cedido quando isso teria sido fácil. O mesmo vai ocorrer com seus herdeiros políticos mais diretos, Jango e Brizolla.

              A partir do golpe de 1964 , há a quebra de resistência nacional  – do desejo de incorporar-se o país  ao mercado capitalista mundial internacional , mas preservando a soberania da nação e os interesses econômico-sociais dos nacionais . Uma tentativa de ruptura com a  permanente subordinação da Nação aos interesses estrangeiros. (*) . Daí em diante, não mais discutem-se perspectivas , para o Brasil, inclusive ,  no sentido de  um “nacional desenvolvimentismo.” A ditadura militar interrompe as discussões .

              Mas, o golpe de 1964 é contra o” getulismo” que permaneceu vivo e que desafia os interesses das corporações transnacionais, que, dessa vez , estavam muito mais organizados do que em 1954(quando d0braram Getúlio, mas não tomaram o estado ) . Agora , havia  ampla rede de financiamentos  e distribuição de recursos que alcançava , indistintamente, empresários, intelectuais e até mesmo militares , através de organizações bem estruturadas,  que resistiram a ferozes ataques de políticos que denunciavam sua atuação – IPES e IBAD . A derrota de Jango , em 1964 , é também  a de Getúlio,  que, num golpe espetacular , que custou-lhe a vida , escapara da derrota política,  em 1954, transferindo a continuidade da luta para  seus herdeiros  politicos, caso de Jango. 

          Getúlio Vargas,um tiro no imperialismo –   De qualquer modo, mesmo derrotado aí, inapelavelmente, (1964) , sendo estabelecida uma ditadura que dura mais de 20( vinte ) anos, o  recurso político utilizado , com o sacrifício da vida, por  Getúlio Vargas , é , momentaneamente , eficaz .  Em 2013, toda a midia da” Globo” , que durante anos exigiu a cabeça de Getúlio , aliando-se a seus piores inimigos , permanece calada, silenciosa , no dia 24 de agôsto ,  quando faziam  59 anos que ele morrera .  Em outras palavras , ela  ignorava umas poucas notícias , reportagens  , comentários , homenagens sobre o político brasileiro mais importante das últimas décadas. Enquanto divulgava milhares de páginas e imagens  de bobagens sem maior importância. E sobre Kennedy, um líder estrangeiro que, em sentido contrário , promoveu e autorizou , comprovadamente,(documentos oficiais e gravações liberadas , nos EUA)  o golpe de 1964, no Brasil. Por quê ? Monumental incompetência , o que  não parece coerente com seu corpo de jornalistas,   ou por causa de alguma ordem da direção?

            O que significa que , décadas depois de sua morte,  Getúlio Vargas, através de suas idéias , ainda assusta os que o combateram ,levando-o ao gesto extremo   . Tanto que tentaram matá-lo novamente – através de suas idéias , vida , lembranças , utilizando poderosa arma – a do silêncio . Superior  a que usaram   contra ele , no passado –   calúnia e   difamação.

   

   2. Do populismo” nacional”(Vargas)

              ao populismo “neoliberal” (Lula) 

                                                                                                                                                                                         

                               As pseudo-ameaças comunistas, tanto em 1935, como em 1964, insufladas por razões políticas, serviram de motivo para melhor contenção das reivindicações  populares  e seu controle –  via populismo e aut0ritarismo  . A diferença fundamental  entre Vargas e  Lula, outro populista , é que,  enquanto Getúlio tem atrás de si,  a certa  altura , interesses nacionais (a famosa “burguesia nacional”,  na época  tentando afirmar-se,  mais tarde  assimilada, quase  totalmente ,  pelos grupos transnacionais ) , Luis Inácio passou a representar o interesses também das oligarquias financeiras internacionais . Altera-se a base de sustentação  do  ” populismo,” agora não mais   nacionalista .  Daí  acirrado combate contra Getúlio   pelas corporações transnacionais e estados estrangeiros  . Enquanto Lula passa a ser  apoiado  , elogiado e até premiado, literalmente,  pelos mesmos que derrubaram Getúlio e Jango . Não se tratou de questão de retórica ou apenas de política – mas de economia . 

                              Trata-se  de” novo ” tipo de “populismo” , que poderíamos chamar de  – “neoliberal”. Trata-se de , politicamente, situações diferentes . Getúlio e Jango ainda tentavam  governar (ditar políticas básicas ) e  eram  combatidos  por contrariarem  interesses econômicos internacionais, aliados a nacionais .

                            Lula , no “governo” ,   recebe prêmios, tem amplo apoio  das corporações , é apoiado pela  oligarquia financeira internacional . Incompetente, ainda promove escândalos e  mensalão – consegue manter-se concedendo mais ainda favores  econômicos e cargos políticos – faz “alianças”. Getúlio fez seu último governo  sob fogo cerrado das transnacionais e aliados locais , Lula recebia delas verbas , investimentos e  premios internacionais. Jango era apedrejado . Lula era o “cara” de Obama , antes de suas lambanças pessoais e econômicas serem divulgadas. Getúlio e Jango corruptos, agitadores, talvez comunistas. Por mais absurdo que  tais acusações pudessem parecer. Getúlio e Jango tentaram governar (ditar políticas básicas) . Lula limitava-se a administrar  ou gerenciar . Por incompetência delegava tal a Dilma ou outro, enquanto fazia o que gostava e no que era competente – política, em especial de conciliação : acordos .(Cf.José N.Pinto, ” O que sei de Lula”).

                             Do mesmo modo que mudara a fonte de poder , teria mudado o tipo  de “pelego  – “assessores”, líderes, cabos eleitorais , o nome que se quiser dar , atuando em volta do líder e fazendo “política” para ele, em especial nos sindicatos . Pelego -“pele de carneiro ou lã , colocada sobre os arreios para tornar o assento do cavaleiro mais confortável. Ou um agente disfarçado do governo que procura agir , em seu favor, nos sindicatos . (Dic.Houaiss, Objetiva, 2002, p.2172). O moderno  “pelego”, que não mais defende interesses nacionais, não atua apenas nos sindicatos – mas também nas redes sociais, gabinetes, ONGS , como lobista ,assessor , secretário ,  jornalista , marqueteiro . Ao  fundo,  o mesmo financiamento ,  contratação,  laços   – só que , agora,  abre os braços  também para as  corporações transnacionais(ao invés de apenas para  empreiteiros ,  empresários nacionais, comerciantes bem sucedidos ) . Continua junto ao   Estado e ao chefe , onde há calor, poder , dinheiro  (Cf. “A província …I a V” ). Se os velhos pelegos da era getulista-janguista andavam  a pé,  ou de ônibus,  e tomavam  cachaça e cafezinho , em bares modestos , deglutindo  refeições simples , os modernos “pelegos neoliberais ” veraneiam em Cuba, tomam vinhos e whiskys estrangeiros, têm  casas com belas piscinas, viajam para Paris  ,  almoçam nos melhores restaurantes,  citados nas colunas sociais. (**)E , muitas vezes ,  tornam-se políticos e até  deputados federais. Com direito a carro bonito, charutos, assessores , belas amantes  e até ternos de grifes –  refinadas . As corporações transnacionais e o “neoliberalismo” envolvem interesses muito maiores , quantias elevadas, malas de dinheiro . E seus novos líderes também precisam de auxiliares , “aspones”, secretárias, fabricantes de dossiês , seguranças, abridores de portas , carregadores de malas – de dinheiro e outras  . Basta ver quantos desses estão envolvidos em diversos escândalos  e , volta e meia, são surpreendidos com fotos e gravações telefônicas.

                        Lula , nesse sentido ,  inovou – talvez tenha sido  o primeiro grande líder populista “neoliberal” do mundo.(Cf . artigos “A província sob direção estrangeira” . Cf. escândalos ; quartos de hotéis ;mortes como as de “Toninho” e  Celso Daniel ;  casos escabrosos como os de Paulo Venceslau e  Cesar  Benjamim;  investigações  postas de lado ; punição dos denunciantes e não dos denunciados, etc. Cf. José N. Pinto, p.e. no livro “O que sei sobre Lula” .Em todos os casos, sempre  a presença de assessores , secretárias, testemunhas, jornalistas ) .

                                                                                                                              

                               

                                            3. O suicídio de Vargas adiou o golpe

                 

                          Há 59 anos, em 24 de  agosto de 1954 , Getúlio Vargas, presidente eleito do Brasil, por larga margem de votos ,  suicidava-se  – com um tiro no coração .

                            Foi o fim de mais um ato do conturbado teatro  político brasileiro . Pressionado por militares e agitações políticas , promovidas  por interesses econômicos estrangeiros(em especial dos EUA),   e pela elite oligárquica brasileira , aliada a eles , o ator principal , Getúlio Vargas , Presidente  do Brasil, campeão de votos e aplausos , suicida-se . Deixa , como herança , uma famosa “Carta Testamento “, em que denuncia a exploração do povo brasileiro –  a nação – por interesses econômicos estrangeiros . E diz que, depois de resistir ao máximo  – foi obrigado a ceder. (Cf. no adendo , a “carta” referida).

                           Sua intenção foi não ser derrubado por um golpe de estado já em curso e   afastado do poder, mais uma vez, de forma humilhante .

              Desta vez , ao suicidar-se , provocou grande reação das massas , a ponto dos golpistas recuarem em suas intenções. O  povo , nas ruas, aos milhões ,  clamou  contra os interesses estrangeiros e depredou jornais e outros órgãos de comunicação   a eles ligados.

                        Getúlio , com seu suicídio ,  sob pressão desses interesses  e  seus aliados locais, deu , assim  , não só um tiro em seu coração , mas  um tiro,  também, nos interesses do imperialismo americano e aliados , que  preparava-se para tomar o Estado brasileiro .  Houve  violenta reação popular contra seus inimigos . Jornais ,  rádios e prédios  foram depredados, multidões  foram às ruas .Os adeptos do  “nacionalismo-desenvolvimentista” popular de Getúlio  puderam recompor-se .

                Embora não morresse   a pretensão  de domínio hegemônico da nação brasileira, por parte dos  interesses econômicos estrangeiros ,  através da conquista do estado , houve um recuo deles , levados pelas circuntâncias  e pelo povo nas ruas  . Logo voltaria  a tentar  avançar com o objetivo de conquistar e afirmar seus interesses contrariados.

                Qual o crime de Getúlio ?  A tentativa de implementar uma política de desenvolvimento nacional ,independente , através da criação da Petrobrás,  Companhia Siderúrgica Nacional  e  Eletrobrás, entre outras empresas estatais  . Isto é,  promover o desenvolvimento industrial independente do Brasil e limitar as  remessas excessivas  de lucros  , das empresas estrangeiras aqui atuantes ,  para suas matrizes no exterior . Proteger, minimamente que fosse, os interesses  nacionais. Tratar das vidas dos brasileiros, antes de pagar as dívidas sempre crescentes.

                         

                                          4 .Vargas -o conciliador e o maquiavélico  

                    A exploração continuada das riquezas brasileiras, durante séculos,  começa a chegar a um ponto decisivo, a partir da fase de afirmação do capitalismo financeiro americano,  afirmando-se em todo o mundo  e no Brasil  . Após 1945 , em que pese os interesses norte-americanos principais terem fixado-se  nos centros de poder europeus e asiáticos – Japão , Europa , Coréia do Sul Alemanha   –  e na luta também ideológica contra o crescimento político internacional  da URSS , também vencedora da guerra ,  seus interesses na América Latina passaram a serem  defendidos de forma mais firme . Tratava-se de zona próxima dos EUA , na qual destacava-se o Brasil .  Supunha-se que  para onde o Brasil   virasse  , política e economicamente, inclinar-se-iam   os restantes países do eixo sul da América . Vargas esteve   com os americanos, aberto à  sua influência e capital , tanto em 1930(quando seu movimento até teria sido financiado , parciamente, pelo capital americano)   quanto, em especial,  a partir do fim da segunda  guerra mundial –  1945 . Todavia, na década 50 voltar-se-ia , aberta  e decididamente , para a defesa da industrialização brasileira  e dos interesses nacionais .

                  Os interesses econômicos americanos,  no Brasil ,  já crescentes desde 1930, firmaram-se , gradativamene,  em contraponto ao declínio  dos capitais ingleses .   Demonstravam  cada vez maior força –  econômica , mas também  política ,  evitando ,  nos confrontos com o estado brasileiro,   apenas uma guerra declarada . Mas,  desde a chegada,  assumiam  posiçao agressiva , com ameaças e  ações efetivas  . A mesma política tomada em outros países da América Latina , onde   mantinham  posições agressivas . (Cf.  “A ilusão americana”, de Eduardo Prado ).

                 Foi o caso do ocorrido  em  Natal , Belém e outras capitais brasileiras, onde eles  forçaram  presença  , às portas da Segunda Guerra Mundial , eis que consideravam necessitarem desses  locais para a construção de bases militares . Sequer aguardaram resultados de qualquer consulta , ou assentimento prévio  do governo brasileiro . Este foi obrigado a conformar-se com fatos consumados   e a conciliar com os estrangeiros  , da forma que pôde .( E.Gaspari , “As ilusões armadas”, vol 1, entre outros ).

                Apoiando-se nos interesses alemães , com os quais flertava e pelos quais era apoiado , Vargas teve que  virar o leme , quase que à força , em direção aos americanos . Ainda assim,  negociou avanço na industrialização brasileira , caso da siderurgia nacional e outras pretensões .

               A revolução de 1930 , vinda do sul , com Vargas ,  envolvia financiamento e relação política com esses interesses americanos  , conforme  insuspeitos autores. Basbaum ,  historiador , assinala – “Sabe-se, por exemplo, que a General Electric, que possuía grandes investimentos no Rio Grande do Sul, forneceu aos chefes revolucionários 2 mil contos, que na nossa atual moeda (1957) ,pelo seu valor, corresponderiam a cerca de trinta milhões de cruzeiros . Por isso mesmo cremos não haver exagero em afirmar que o capitalismo norte-americano aproveitou  nossas dificuldades econômicas e financeiras para fazer o seu jogo . E nesse momento os seus interesses coincidiam com os de uma parte ponderável da burguesia brasileira “( Leôncio Basbaum, “História Sincera da República “,v.2, p.289-290, Alfa-Omega, SP, 1975).

                  Os interesses norte-americanos vinham desde antes, como referido ,  crescendo ,  fortemente,   após 1945 , vitoriosos os americanos na guerra,  enfraquecidos os ingleses ,    chegando  consolidados  a nossos dias.  Afirmaram-se , especialmente ,  após o golpe de 1964 ,   e das medidas tomadas  pelo governo brasileiro ,  daí em diante – a primeira delas, a revogação da  lei que controlava a remessa,  para o exterior , dos lucros das  empresas estrangeiras . (Dreifuss, “1964 – A conquista do Estado”,  mostra a luta até então  desenvolvida, decidida pela força, com a derrubada de Goulart.Cf.  comprometimento econômico de militares e imprensa com as  instituições IPES e IBAD ).

                     A mídia brasileira envolveu-se com  os acontecimentos  ,da forma a mais vergonhosa. Quanto a Getúlio, já anotamos, mas quanto ao golpe militar, interessante conferir .(“Os jornalistas e o golpe de 1964” ,  Revista Eletrônica Fausto Wollf, 2011 , de João Amado  . Nomes como Antonio Callado e Carlos Heitor Cony , no primeiro momento, apoiaram o golpe, depois mudando e sendo   atingidos pela violência dos golpistas).

                O golpe de 1964, no Brasil,  dá-se contra  heranças de nacionalismo,desenvolvimento e soberania ,  da Era Vargas,  e termina em assassinatos,  torturas e atos de banditismo comum , que nada tinham a ver com política . Ligados  a contrabando , fraudes, estelionatos,    roubos -e até  “jogo do bicho” . ( Exemplo-  o  capitão  Ailton Guimarães, do DOI, órgão centralizador de torturas e mortes .) Aliás, ambos os governos, em diferentes  épocas , Vargas e militares/1964 , promoveram não só tortura e violência como crimes comuns – elemento da segurança de Vargas contratou ataque contra seu maior adversário político (Laerda) .  Agentes da ditadura pós-1964 , inclusive o citado capitão , outros oficiais e um grupo de soldados   invadiam casas , apartamentos, matavam militantes, saqueavam . Acabaram por escoltarem contrabandistas , tornarem-se eméritos torturadores e assassinos , chefes de quadrilha  , tendo recebido ,como prêmio , a Medalha do Pacificador –  por serviços prestados à pátria. Todos acabaram , por  razões não políticas, acusados de crimes comuns, comprovados – embora tendo sido  absolvidos. O  delegado Fleury, assassino doentio (viciado ) da ditadura militar(Cf. “Marighella”, de Mário Magalhães)  ,  chegou a receber, como presente e ajuda, a alteração de  um artigo do Código de Processo Penal  –  especialmente para beneficiá-lo , permitindo que mantivesse a liberdade.   ( E.Gaspari,  id ).

                         As forças militares brasileiras,  que produziram Góes Monteiro, Dutra, Prestes( na era Getúlio) , produziram , depois, na ditadura pós-1964 , capitães como  Lamarca e Guimarães , entre outros . O último aparece  , nos seus momentos os mais negros e anárquicos , do mesmo modo que  uma cúpula que comportava  Geisel , Médici e outros generais,  todos  envolvidos  em  assassinatos políticos  ou omissão em relação a eles . (Gaspari , Ib).

                         Se  tal atesta o lado maquiavélico da ditadura  pós-1964, as ações do governo Vargas mostraram características similares . Vargas deixou uma herança tanto no meio militar(violência contra adversários) ,  violência  que acaba por atingir  seu herdeiro Goulart ,  como  no seu próprio meio  com  Goulart e seus adeptos (um programa nacionalista e desenvolvimentista)  .  Métodos bestiais de atuação política,  de um lado ; programa nacionalista de desenvolvimento , de outro.

                         Vargas , na sua fase ditatorial, foi capaz de manter preso Prestes, torturar  líderes comunistas , expulsar e entregar  Olga Benário, mulher do líder comunista,  à Gestapo.   Mas, foi além – exatamente como os golpistas de 1964, seus agentes secretos infiltraram-se nas “esquerdas”, insuflaram a luta armada, acompanharam-na , intervieram  de diversas maneiras , com o objetivo de justificar mais ações violentas .O  que , efetivamente, ocorreu – estado de sítio, ditadura , prisões, torturas, mortes .  ( Skidmore, “Brasil , de Getúlio a Castelo”; quanto aos golpistas de 1964 , cf.  “Marighella”…, id. ;Gaspari, ib.;Taís Morais,  “Sem vestígios…”; Gorender, “Combate… ) . Um p0nto comum  – violência e tortura.

                         Se , de um lado , mais político e democrático, Vargas acabou por deixar como herança  partidos políticos organizados (PTB e PSD) , legislação trabalhista   ,  programa  de reforma agrária e de industrialização independente, além de uma preocupação social e nacional . De outro lado ,   deixou métodos violentos de ação política , prisões  e torturas  , que também  produziu,  nos porões de sua  ditadura , 1935-1945 . O” seu” Delegado  Fleury  chamava-se  Coronel Felinto Muller .

                          A ação dos verdugos de Vargas e seus serviços secretos foi importante a  ponto de alguns autores  considerarem que a  “intentona comunista” de 1935, que justificou a ditadura e a perseguição aos comunistas , liquidando a frente popular denominada  Aliança Nacional Libertadora , teria sido insuflada, se não organizada , por agentes policiais estrangeiros e brasileiros, entre eles os do serviço secreto inglês e da Gestapo – tudo  articulado através do governo Vargas e em seu benefício. O conciliador Vargas  sabia agir de maneira  oposta , para derrotar seus inimigos –  se prendeu e torturou Luís Carlos Prestes, líder comunista ,  depois   viria aliar-se com ele .  (Basbaum, “História Sincera …  “ ib. ; Skidmore, ib. ).

                         Vargas e os algozes militares de seus herdeiros(Jango e outros, em 1964  , tiveram algo em comum – torturas e vîolência contra adversários políticos e inimigos. Com êxito,só num primeiro momento , eis que ambos foram derrubados por anseios de democracia.

                       Mas,tudo indica que  os militares de 1964 foram mais eficientes . A certa altura transformaram a tortura e o assassinato em política de estado (Gaspari, ib.) e , talvez por isso , entre outra razões , ficaram  mais tempo no poder do que Getúlio . De certo modo,através das heranças que deixaram, ainda estão no poder , o que  não ocorre com o outro lado .

                            

                            

               5.A carta – o  testamento político  de Vargas    

                              Essa face tenebrosa do governo Vargas não interessa à  grande mídia discutir . Como, aliás,  também a outra  , nacionalista, de resistência à abertura total da Nação ao capital estrangeiro  . Uma revela segredos e simulações ; a outra põe em risco aliados e anunciantes .

                            Resumo,   no dramático documento conhecido como “Carta Testamento”, de Getúlio Vargas, datado de 1954. Que a grande mídia não nega a autenticidade – mas,  passou a ignorar . Talvez porque os problemas que ela  levanta continuem na ordem do dia , política , do Brasil . Isso muitos anos depois da morte de seu autor .

                            O mesmo Vargas que  havia liderado a chamada “Revolução de 30”, onde  teria havido   financiamento dos EUA, torna-se , desde então ,   figura fundamental da política brasileira – embora tenha resolvido investir , a certa altura, na defesa de uma política nacionalista , contra os interesses estrangeiros, em especial americanos . Vai enfrentá-los, fundar um grande jornal (“Última Hora”) , um  grande partido (PTB), colocar o Estado no jogo nacional .  Mas, termina derrotado , suicidando-se , após  pressões políticas  e militares. Sucumbe frente ao poderio estrangeiro e  aliados locais, envolvidos com  pacotes de dinheiro . Nem as facilidades dadas pelo Banco do Brasil ao novo  jornal , nem a ajuda de empreiteiros ligados a interesses nacionais, tiveram força para alterar o resultado .

                          Ninguém melhor do que Vargas , rico estancieiro , aliado ao empresariado nacional e estrangeiro em diversos momentos, parceiro dos americanos na segunda guerra mundial ,  para ter credibilidade o  suficiente para ,  à beira da morte, sem ter qualquer benefício pessoal ,   esclarecer , para a História do Brasil , o que  ocorrera com seu governo  :  “Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci.”( O grifo é nosso – o A.) . Vargas continua  : “Não querem que o povo seja independente .(…) Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500%, ao ano!”(…) (Idem). E sobre as importações, envolvendo interesses estrangeiros : “ …fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano .”(…) “Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto . Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia, a ponto de sermos obrigados a ceder .”

                           A frágil “democracia” brasileira consegue contornar a pressão estrangeira , em  1954, com o tiro reflexo dado por Getúlio no imperialismo . Depois,   um Brizolla altivo(governador)  e um Jango conciliador(Presidente)  conseguem suportar a tentativa de golpe, após a  renúncia de Jânio , engolindo um parlamentarismo de última hora , logo fracassado . Afinal , a republiqueta brasileira explode sob  pressão dos interesses estrangeiros e aliados locais, além da  grande midia ligada a eles .

                           O governo de Jango  desaba como um castelo de cartas mal feito,   mas não casualmente. Por manobras  da maior potência do mundo , através de  uma articulação que vinha de longe . E também frente a  montanhas de dólares,  convertidos em cruzeiros .(Cf. , Dreifuss, IPES,IBAD,Consultec , ob.cit.)

                           Um retrato dramático do sofrimento permanente do Brasil, através de um presidente, que , desesperado ,  tentava preservar  básicos  interesses nacionais. Nos trechos selecionados,  Vargas , sem nada a perder , fora seu lugar na história ,  afirma : (1)  a existência do  domínio e espoliação dos grupos internacionais  ( há“decênios”) ; (2) lucros deles maiores que  500% ao ano ; (3) poder político (e militar ?) “a ponto de sermos obrigados a ceder “. Isto é, com toda a autoridade de Presidente da República, experiente, politicamente, astucioso,  maquiavélico , deixa os últimos conselhos e recados (Nota do A.- retirado do artigo  “A província sob  direção estrangeira  …(V) .(***)

                  Se tais forças econômicas , à época, recuaram(1954) , voltariam   a insistir no mesmo caminho-  e seriam  vitoriosas, em 1964 – 1968 – 1986 -1988 . Abriram caminho pela violência, tortura, assassinatos – com auxílio da mesma  mídia – a “grande imprensa” – controlada e aliada a elas.

                  Poucos anos  depois da morte de Getúlio (10 anos) ,  outro herdeiro   getulista , “popular-nacionalista” , com ,  mais ou menos, o mesmo programa ,e também na Presidência da República, João Goulart , foi    derrubado por um golpe militar nos moldes do tentado contra Getúlio .  (Cf.  “Jango”; e “Uma província chamada Brasil , em especial ,  IV e V, neste site ) . Daí em diante, estabelecido o reinado do terror e da traição, em especial após1964, mas desde antes de 1954  , os nacionais, divididos e fragilizados( vários grupos )  , confusos , com uma grande propaganda pela imprensa  e rádio(agitação, confusão, panfletos )  não conseguiram evitar não só o golpe militar estrangeiros como  novas vitórias militares , que culminaram em massacres de civis armados ,  nas cidades ( S.Paulo, Rio, Recife) e no campo(Araguaia e Amazônia  ) .  No fundo , as origens vinham de longe , de antes de 1954 .Por trás da intervenção militar , poderosos interesses estrangeiros internacionais (Dreifuss, ob.cit.), muito bem organiza dos , que planejaram longamente essas ações.

                  O golpe, sob o  mesmo batido pretexto  de combater o” comunismo” ,   gerou  mais  de 20 anos de ditadura militar (quebra da Constituição, assassinatos, torturas, terrorismo de estado, supressão de eleições livres, entrega, sem discussão ou resistência ,  da economia aos interesses estrangeiros )  . Implementou  , de imediato , as mais urgentes  pretensões econômicas  estrangeiras, antes  contrariadas  .Suas origens e objetivos não poderiam ser melhor explicitados  que nas primeiras medidas que tomou (revogando atos do governo anterior, que afetavam corporações estrangeiras ).

                O golpe de 1964 estava ligado à tentativa frustrada de 1954 , quando o suicídio de Getúlio abortou o movimento que transbordaria em 1964 – ambos  ligados a interesses estrangeiros. Getúlio também foi atingido em 1964 , eis que diversas bandeiras políticas herdadas dele  foram levantadas com Jango, que as manteve até ser derrubado .  Aí há o que pensar – Getúlio, no lugar de Jango(em 1964)  teria agido da mesma maneira ? Getúlio equilibrou-se no poder durante muitos anos,  convivendo com o poder e interesses estrangeiros ,  já cada vez mais fortes , no Brasil. Jango não resistiu muito. Questão de personalidade e habilidade política ou “aquele poder”, estrangeiro  , em 1964 , já estava muito mais forte e estruturado – a ponto de partir para a decisão armada ? Em outras palavras, teria elevado , deliberadamente, o nível da luta – antes ideológica e política, onde estava levando desvantagem- para o lado armado, onde era infinitamente superior ?

           6. Brasil:  de Getúlio a  DILMA/LULA/DIRCEU              

      

                        O Brasil  permanece, essencialmente    na mesma situação econômica em que se encontrava, desde Getúlio, com as devidas adaptações. Isto é, qualitativamente,  não houve alterações fundamentais.  Ou seja,continua  simples  produtor de matérias primas para o mercado internacional ; e importador  de produtos industrializados  . Um grande  mercado  de consumo para a produção industrial do sistema  internacional .Inserido num lugar subalterno na divisão internacional de trabalho patrocinada pelo sistema capitalista mundial  (Cf. “A província sob… V).

                           Nenhum dos grandes problemas nacionais foi resolvido, de lá para cá    –   ao contrário , os problemas   agravaram-se . A “modernização” aparente esconde imensa dívida pública , infra-estrutura deteriorada  , regime político anormal, autoritário, de exceção (medidas provisórias, presidencialismo de coalizão , falsa divisão de poderes, república unitária e não  federativa , corrupção generalizada , entre outros ) . O número de novas patentes registradas é diminuto ;  faltam médicos , estrutura hospitalar ;   poucas manifestações populares  desmantelam  a farsa do desenvolvimento brasileiro . A expectativa e esperança das elites dominantes , e  do povo analfabeto ou analfabeto funcional , parece  residir  em  mais mediação através do  populismo  – um  líder  envolvido em corrupção e    acusações  graves . A república fragilizada não consegue  sequer levar adiante  a apuração de acusações contra  líderes políticos de segundo plano  , sob pena de desabar o   regime .Não se sabe  se caindo  apenas na  ingovernabilidade relativa ou  em coisa pior. As “elites” dirigentes parecem não quererem arriscar e preferem apostar tudo na “democracia”  claudicante.

                       O pretexto de  iminente implantação de um “regime comunista” sempre  aterrorizou  o povo brasileiro  .Causa  pavor também ao capitalismo local ,  ligado ao internacional . É  desculpa que  pode ser sempre sacada  para  justificar qualquer coisa. Pouco importa se verdade ou mentira.  O pretexto é promovido  por  interesses estrangeiros , e aliados locais,  que sempre lucraram com esse medo .

                    Serve    para justificar  golpes e movimentos antidemocráticos,  alinhados com  o capital financeiro internacional .Getúlio   usou tal pretexto  a seu favor e  , mais tarde , viu o mesmo pretexto  ser usado  contra ele   .

                   É um tipo de pavor tão real quanto o dos EUA em relação  às armas químicas jamais encontradas no Iraque .Que justificaram o massacre daquela nação e a apropriação de seu petróleo e recursos naturais . Por aqui, até agora, só mortos , torturados, doentes –   e um  país deteriorado, precocemente envelhecido  , embora enfeitado por estádios de futebol, tvs digitais , carros estrangeiros e celulares e computadores. Uma nação vivendo um processo acelerado  de transculturação . A Barra da Tijuca  chamada de  Miami brasileira  , palavras estrangeiras usadas em toda parte. Os brasileiros deslumbrados  com as visitas feitas aos EUA.  Os estudantes ansiosos por bolsas no exterior.

                        Assim foi em 1930( a revolução de 30 , liderada por  Getúlio jovem,  já reagia ao “comunismo” juvenil   ) ; 1937(“estado novo”, ditadura , também com Getúlio  na direção, alegando “perigo comunista”  ); 1961 (tentativa de golpe , após renúncia de Jânio Quadros,  ameaçado em suas prerrogativas, eis que representaria  riscos de “comunismo”, por relacionar o Brasil com Cuba   ; e, afinal, 1964 , (“A conquista do estado”) ,”golpe militar” [Obs.  a – teria sido “golpe” ou “ditadura”   “militar”, apenas , se por trás de seus autores , e junto com eles ,  estavam milhões de  civis ? ; b- “golpe” ,apenas, se destruiu o que restava do estado nacional e entregou-o a “interesses estrangeiros”, que tornaram-se logo  hegemônicos , no Brasil (Dreifuss, ob.cit.) ? c – “golpe” apenas, mas que teria vindo desde  1950, e   cujas conseqüências chegam a nossos dias , contendo  um golpe dentro do golpe(1968 , implantando um  estado terrorista ? d – “golpe” apenas, que , muito depois de ser desfechado , continuou promovendo massacres, nas cidades e nos campos, atingindo milhares de nacionais,  destruindo valores e propriedades  , alterando a legislação  ? Tratar-se-ia  de um “golpe” ainda vivo,  em que os autores não foram punidos, receberam seus verdugos medalhas e honrarias, e que determina até hoje rumos da “anistia” e da “democracia”  , estando a economia brasileira e o estado sob a direção de seus verdadeiros autores até hoje  ?  Será correto  atribuir a tal “movimento”  a palavra “golpe”  ?  O “golpe” parece ter sido  parte final decisória de algo muito maior que foi sustentado através do tempo e chega a nossos dias .  Esse é um  tema para maior reflexão ] .

                  Finalmente, na atualidade , há uma “democracia” dirigida, nos bastidores, ou por trás de máscaras trabalhistas e até “esquerdistas”,   por corporações transnacionais e estados estrangeiros ,   que promoveram  as ditaduras de 1964 e 1968 . O Brasil não resolveu nem a crise de 1954, nem a de 1964 , ou  a de 1968 , sequer  os problemas  de uma verdadeira constituinte ou  efetiva democracia.(1988). Mal consegue reformar o Judiciário e controlá-lo. Parece viver um processo ainda em curso e não terminado .

                  Discute-se,  ainda  ,  anistia(depois de quase 50 anos) , crimes da época (seqüestros, assassinatos, desaparecimentos) , “Comissões da Verdade”, indenizações  por danos causados a milhares de cidadãos .Sequer foi equacionada a antiga  dívida pública  , vinculada  aos bancos  estrangeiros , que sobe sempre mais e   atinge quase 3 trilhões de reais, problema  de séculos  . E que muitos consideram mal discutido , a dívida mal calculada  . A nação pagando juros de bilhões de reais  a cada mês. Primeiro as dí/vidas, depois as vidas . Por aqui, é assim.

                   De Getúlio para cá , o  Brasil parece  andar  para trás –  talvez o processo de tomada do estado e consolidação da transculturação da sociedade brasileira   – em relação aos problemas nacionais. A começar pela sua sobrevivência como nação e estado soberano . Não há  comparação entre  Lula , administrador neoliberal ( que não opôs  resistência aos interesses estrangeiros,  submisso ao “Consenso de Washington “) ;  a inexpressiva Dilma,(  sem  competência pessoal , nem política  ) ;  um Dirceu ( lobista neoliberal  e consultor de corporações transnacionais bilionárias, condenado por  crimes pelo STF);   e um Getúlio Vargas  ou João Goulart   ou um Leonel  Brizola , com todas as limitações que possuem os últimos , amplamente conhecidas . Os primeiros não resistem a elementar análise de caráter, coerência politica, defesa dos nacionais,independência política,  persistência .

                Isso   atesta  a completa deterioração da vida política brasileira e os resultados da liquidação de  uma geração , pela ditadura imposta em 1964 . E quanto a José Dirceu e Lula ,   eles    ainda tem   muito a esclarecer sobre suas atividades passadas (década 7o, em especial) e em passado recente(2ooo/2014), envolvendo mensalão, recursos financeiros e outras).

                    7.   O futuro do  ex-“país do futuro”

                             Problemas postos na época de Vargas não foram resolvidos – basta olhar em volta ou estudar estatísticas ou análises sobre o Brasil.(Dados , bibliografia,etc. neste site, cf. “A província…I a V) .

                           Há questões colocadas , na revolução de  1930,  que continuam na ordem do dia – caso da representação política. Há governadores e prefeitos, como o caso do Rio de Janeiro, que orgulham-se do verdadeiro” encilhamento ” político existente entre o Governo Federal, Estadual e Municipal, o Rio na base  – todos acertados entre si ,  de cima para baixo ,  pensando nas próximas eleições. Será que aqueles  lembram ou sabem das origens da revolução de 1930, liderada por Vargas, motivo deste artigo ?( a velha política dos governadores, adaptada aos novos tempos).

                         O “golpe de  1964”, herança e projeto estrangeiro conservador  vindo desde 1954, ou antes ,  significou  passo atrás no Brasil  – cidadania, organização política, saúde  , dívida pública, infra-estrutura ,  sucateamento  das forças militares, endividamento , desindustrialização  ; e  quebra da moral, caráter e dignidade nacionais .A partir daí, a Nação perdeu qualquer  controle sobre o Estado.

                      Refletir sobre esse passado e a Carta-Testamento de Vargas, a evolução ou involução do Brasil de lá para cá , 59 anos depois, pode parecer antiquado , não moderno  – um  retrocesso e absurdo. Mas, talvez não seja para uma nação que suporta um estado como o brasileiro ,  que caminha   para trás, dia a dia , e, quando muito,   para o lado, chocando-se com a Nação. E   destruindo-a progressivamente, talvez como parte de um deliberado projeto .(Seria a continuação do “golpe de 1964”, por outros meios, agora “democráticos”? ). Basta lembrar o BNDE, que surge financiando a instalação de corporações multinacionais , no Brasil(Dreifuss, ob.cit.) ;  e , hoje, BNDES , continua com o mesmo tipo de projeto , fazendo o mesmo – ratificamos  .

                      Um estado que não pertence à Nação – dirigido de fora para dentro, segundo  interesses estrangeiros – esta a realidade  ?  Isto  explicaria  a despreocupação de seus mentores e dirigentes  em relação à diuturna destruição dos projetos nacionais, públicos e até particulares; ao desperdício financeiro ; ao abandono da coisa pública, em geral. Explicaria também o recurso sempre presente da “corrupção”, “propina, “jeitinho”, ou que outro nome queira se dar ,  uma arma de guerra muito conhecida e poderosa , em tempos de aparente paz .(“A arte da guerra”, Sun-Tsé) .  Recurso utilizado  há séculos, conhecido  por qualquer estrategista militar . E explicaria  ,ainda ,  as  risadas alegres desses  ricos “ dirigentes” estatais, reunidos com grandes empresários seus parceiros , em Paris ou  Miami , onde decidem licitações e negociatas.

          

 Reflexões – poder   e  corrupção

                    O que sabem fazer  os detentores do poder estatal brasileiro, hoje,   é usar o poder e a força , direta ou indiretamente , por vezes sem nenhuma razão de ser .   Seja contra  favelados, comerciantes ou empresários ou simples cidadãos buscando Justiça . Ou segurança . Basta ver que pagam , criteriosamente, as dívidas com bancos estrangeiros deixando morrerem pessoas  nos hospitais e favelas.  Em passado não muito distante, em que o povo ainda tinha algum controle sobre o Estado, o pagamento da dívida era um  problema, eis que  o resgate de vidas tinha prioridade sobre o resgate das dívidas.

                      Veja-se o recebimento de recursos estrangeiros do IPES por militares, intelectuais, burocratas, empresários, antes do golpe de 1964-1954( Dreifuss, “1964 – A conquista do Estado “) . Uma verdadeira festa de dinheiro e recursos para toda parte – objetivo : derrubada de Goulart(herdeiro de Vargas ) e tomada do Estado .(Cf. ainda, E.Dutra, “IBAD, sigla da corrupção”) .(A ITT e outros usaram esquema semelhante para a derrubada de Allende , no Chile, cortando créditos, agitando,etc. Cf. “Poder Global”,  de Richard Barnet e Ronald Müller).

                       Depois de tanta propaganda, tipo a feita  pela ditadura militar,  e agora  pela administração Lula, em dias , após algumas manifestações populares , de repente, o Brasil “volta” a seu ridículo papel  mundial de nação atrasada e folclórica – o mundo ri (Cf. revistas semanais  ) do desmentido de todos os índices econômicos, do fictício  progresso,” desenvolvimento”, propaganda maciça  e  até de ministros de estado estapafúrdios  que dão informações erradas , dia a dia , ao  Brasil e às agências internacionais( a administração brasileira sequer defendeu-se).  Embora tal riso envolva cinismo absoluto , porque bem tinham entendido a virada/ou traição(anterior ) de   Lula,  em direção ao neoliberalismo   . Sabiam que,essencialmente, o  Brasil nada tinha mudado – apenas a propaganda aumentara  ,  para salvar Lula e a “democracia” brasileira . 

                       Se formos coletar , na nossa “grande midia”,  absurdos e vergonhas e “gafes” de nossas autoridades , chegaremos a milhares . Não há livro , por mais volumoso que seja, que as  comporte . Para  sorte delas, a cada dia a midia vira uma página e esquece  as anteriores. Essas afirmações são notórias e facílimas de serem comprovadas . Em defesa delas –  essas “gafes” são  naturais , eis que , afinal,   essas autoridades  não dirigem o estado brasileiro, apenas gerenciam-no, são despreparadas .

                   As equipes técnicas,  que conhecem bem a situação  econômica  e as diretrizes que devem seguir ,  são  outras. São   “técnicas” e subordinadas/ligadas  a   equipes –  estrangeiras : da OMC, FMI, ADELA  . Treinadas por elas (Ianni, Dreifuss e outros ) , mas sem “ideologia” política .  Ora , conectá-las com  esses atores políticos locais, despreparados ,   em situações de urgência , e, ainda por cima, manter o   “teatro político”, não é fácil .  No caso de Lula, transformaram-no  em “folclore”, levantaram , espertamente, a questão do “preconceito”contra ele,  pobre operário, etc. o que salvou-lhe a imagem, em meio às maiores asneiras  . Mas , não se pode fazer isso com todos e todo o tempo . É o caso de Dilma  , FHC, Alckmin ? Talvez seja –  em situações imprevistas , não têm como esconder o despreparo.

                            [FHC – Só menor,  no caso de FHC, o que aumenta sua responsabilidade pelas decisões tomadas, quando ministro (de Itamar Franco, verdadeiro dirigente do país ) e  em seu governo . Por exemplo – não saberia,  e melhor que todos nós , a verdadeira situação da economia brasileira , dirigida e tomada pelas corporações multinacionais ?  Ou que o Brasil  “é “, há muito ,  um “sistema penetrado”(nome usado por especialistas) , em que estrangeiros decidem , valoram , programam a economia e o projeto “nacional” brasileiro ?( Cf. neste site, outros artigos   ) . O fato é : ” todos eles ” sabem muito bem disso . “Eles” e as “elites”. O povo brasileiro é que não sabe.]

                    Políticos medíocres, que  aceitam como normal  o que  ocorre em  favelas e penitenciárias ; que são incapazes de punirem os  delinquentes de alto nível ; que convivem com  uma Justiça que  leva anos para punir um delinquente político de alto bordo  ; que brincam de construir faraônicos estádios de futebol e não hospitais. Que não consultam o povo, sobre  qualquer assunto .Veja-se a repentina  chegada dos médicos cubanos e outros,  ao Brasil, para trabalharem em municípios pobres . Do dia para a noite, a nação toma conhecimento de fatos consumados – claro que programados bem antes.

                    Essa a realidade brasileira , consequência de ditaduras, golpes, traições , propaganda enganadora – que projeta em nossos dias décadas de erros e mistificações. Propaganda à parte , é a realidade  sentida por cada um e todos, que pode ser  vista através da internet e foi proclamada , aos berros e pontapés , recentemente, pelos jovens , nas ruas . E isso ocorria enquanto  jornalistas pretensamente sérios tentavam  enganá-los via  “grande midia”, em especial a das tvs .

                    Mas, a questão é que  os governantes brasileiros  não têm como resolver essas questões –  faltam recursos(investimentos) e , em primeiro lugar, eles têm que cumprir seus compromissos com  os  que elegeram-nos e decidem . Então, tem que pagar , primeiro, as duvidosas dívidas com os banqueiros internacionais. E adiar, tomar decisões paliativas, controlar, reprimir . São mediadores políticos de interesses  maiores que a maioria da nação não enxerga. Estão escondidos sob o manto populista de Lula e  outros , antes  Getúlio  e Jango , agora Lula/Dilma/Dirceu .Além disso, quando há investimentos, eles não decidem lugar, condições, produtos ,nada – as corporações multinacionais decidem , através de seus representantes ( Poder Global, ob.cit.) . O que ainda fazem, lamentavelmente, é colocar o pobre BNDES(colocaram o S de “social”…Uma piada , tipo operação “Condor”, “Doi”,etc. Devem ter aprendido durante a ditadura. ) como financiador dos investimentos das …corporações multinacionais !) . Aliás , assim, o BNDES mantém-se fiel a suas origens( quando fazia exatamente o mesmo ) e ao ideário de seu primeiro presidente – Roberto Campos.

                  Darcy Ribeiro  , na sua irreverência , foi profético : “Os brasileiros ainda irão descobrir que pior que ser Repúbica de Bananas é ser República das Multinacionais “.

                   Há exagero  ? Não.  Ou , ao menos , há muita gente que pensa que não – como pode-se deduzir de tantas manifestações. E , também, usando um argumento de autoridade, dos estudos de Ianni , Dreifuss , Gonçalves e muitos outros.E dos livros de História do Brasil . 

                   Não se pode estudar “história”,  a “era Vargas” , por diletantismo ou brincadeira. Há que ligá-la ao presente – e retirar daí reflexões e caminhos. Num país  tipo Brasil/2013 ,  antes de olhar  para a  frente ,  há que olhar-se   para trás – para sua História e  gente.

                  Como chegamos  a  essa situação  ? 1954 – 1964 – 1988 – 2002  – 2013 , suicídio de Getúlio /golpes militares/ interesses estrangeiros – todas essas questões parecem continuar na ordem do dia  . E vem de longe – Dreifuss estima que ,  em 1969,  nossa economia já  encontrava-se tomada por corporações transnacionais , em todos os seus setores .  Por que tivemos uma anistia  mais limitada que a de outros países? Por que militares torturadores , por aqui, ao invés de serem presos e julgados , receberam  a “Medalha do Pacificador”  ? (Cf.E.Gaspari, ob.cit.) Mais uma” piadinha” de generais despreparados , como as   que fizeram usando nomes  como “DOI  e CONDOR” , para  denominar os  centros de tortura e operações de seqüestro e assassinato  ? ( Gaspari o considera, pois não poderiam ignorar a duplicidade de sentido dessas palavras  . Ob.cit.)(O estado” brasileiro” continua brincando com siglas, caso do BNDE S, como vimos acima).

     >>>>>>   Uma  nação que tem” flexibilidade política ” para aceitar esses e outros absurdos  ,e  alegremente dizer-se “feliz”(em pesquisas de opinião  ) , tem futuro ? <<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<<

                         A “Era Vargas” foi superada ,  os problemas de então foram  resolvidos – ou  estão  escondidos  “ debaixo do roto tapete estatal” ? Até quando vão tentar  esconder os fatos  ? Até considerarem que não existe mais nenhum tipo de perigo ou reação , o que pode  estar ocorrendo .

                           O atraso brasileiro  remonta há  décadas –  ou séculos(a História do Brasil tem sido escondida há séculos , caso da independência formal e outros fatos) – e o rol de empecilhos  pode   ir  além dos problemas não resolvidos que datam de antes  de 1954 – hoje ,   postos  à nossa frente  . Enfatize-se  que a  velha  CLT, varguista ,   continua em vigor e é usada por todos os brasileiros…   Então, como   a “Era Vargas” teria sido   superada ?  ( Nota da Redação : CLT – Consolidação das Leis do Trabalho, Decreto-Lei  5452, de 1-5-1943 , que regula as relações de trabalho,em vigor ). 

                 Entender  esse  passado  , que projetou-se  no  presente  , aprender   e dele  tirar as  lições que pudermos . Verificar se existem saídas  . E , quem sabe, daí retirar um projeto   para o futuro . Haverá  futuro para uma  Nação tão distanciada do Estado,  que não mais  controla  – e  num mundo violento como o de nossos dias ?

                Um mundo de terror , ” drones” , armas atômicas  , terrorismo de estado  , torturas  , mentiras oficiais  –  que liquidou o Iraque ,  Afganistão e Líbia, em dias, e que,  agora,  despedaça a  Síria  . Em que as nações mais poderosas retraçam fronteiras e definem seus interesses – a bombas e com guerra .  Enquanto os dirigentes brasileiros  brincam com palavras como “poder suave ” , “soft power” , no presente , resultado de um passado em que outros dirigentes brasileiros brincavam – e por certo riam –  também  com palavras  – “DOI” , “CONDOR” e outras . 

                   Pensar em Getúlio Vargas e seu tempo  é refletir sobre o passado recente ,presente e futuro. Os velhos problemas, que  estão  no dia a dia de cada um de nós . Talvez por  isso , e para  evitar riscos   de análises críticas e indagadoras ,  há quem prefira  esconder-se . Caso da  nossa “grande midia ” ,  quando esqueceu”  Vargas e sua morte ,  neste último  sábado ,  dia 24 de agôsto    não publicou, no Rio de Janeiro, ao menos, uma só imagem ou uma só linha sobre os 59 anos de sua morte.  Com certeza , obedecendo ordens da redação ou mais de cima  . Para que agitar  os jovens, fazendo-os   pensar ;  e  alertar os mais  velhos, fazendo-os   recordar ? 

                    (Sobre esta midia que apoiou a queda de Vargas, o golpe de 1964 , a  “virada” de Lula, FHC , o programa neoliberal, etc. interessante a entrevista de Jânio de Freitas, da Folha de São Paulo , que analisa todos esses apoios – 2005. Cf. Site “fazendomedia”).

                  No dia em que a morte de Getúlio  completava  59 anos  , essa midia preferiu o silêncio tumularassassino de idéias e reflexões . Argumento primeiro dos que não têm qualquer  argumento  .

___________________________________________________________________________________________________________

          (*) Impossível resumir, em poucas linhas, a vida política de Vargas, que , nascido em 1882 e tendo morrido em 1954, desempenhou , desde cedo , como deputado (e até no Exército) importante papel na história brasileira.  Aqui fixamos apenas  pontos que consideramos básicos , cuja repercussão  chega a nossos dias , em especial as lutas em que envolveu-se , desde que elas atingem o cerne da nacionalidade brasileira.  (Cf. “Uma província chamada Brasil,” I / V).

     (**) Sobre o  “populismo”, em especial o de Vargas, seu significado e objetivos , cf. Ianni , “O colapso  do populismo”, “in” “Imperialismo na América Latina ; e Francisco Weffort , entre  outros.

    (***) Em anexo  , a  “Carta Testamento” , de Vargas . Assinale-se –  consta haver  versão manuscrita , diferente da divulgada. Esta não contradiz aquela .De qualquer forma, foi datilografada por  assessor da confiança de Vargas ,tendo tudo sido   conferido pela família.                                                (Original não revisado, o que não impede o entendimento ) . 

 

ADENDO – “A Carta-Testamento de Getúlio Vargas”

 

                                 Carta-Testamento

Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se novamente e se desencadeiam sobre mim.Não me acusam, me insultam; não me combatem, caluniam e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive que renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo. A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a Justiça da revisão do salário-mínimo se desencadearam os ódios. Quis criar a liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobrás, mal começa esta a funcionar, a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o trabalhador seja livre. Não querem que o povo seja independente.

Assumi o Governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se o nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia a ponto de sermos obrigados a ceder.

Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo, renunciando a mim mesmo, para defender o povo que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar a não ser meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida. Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos. Quando vos vilipendiarem, sentireis no meu pensamento a força para a reação. Meu sacrifício nos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com o perdão. E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue terá o preço do seu resgate.

 Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia, não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.( Nota da redação – os grifos são nossos).

(Obs. Correlato com o tema, conferir “Jango , o filme”, neste site ).

Posts relacionados

Compartilhe Isto

1 Comentário

  1. Incrível que toda a mídia , isto é, a grande mídia , no Brasil, tenha ficado silenciosa quando da data da morte de Vargas(59 anos). Deve ser porque ele acusa empresas estrangeiras , multinacionais , e elas , hoje, mandam -e desmandam- no Brasil. Artigo importante. Luiz Carlos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *