Democracia Pervertida

jun 8, 2019 by

Democracia Pervertida

Democracia Pervertida

[Editorial de

Caminhando Jornal Tv 11]

     Amigos, preocupados com o destino de nosso país. Continuamos em busca de análises corretas , embora não agradáveis , como gostariam alguns.

     Falsidades , durante décadas, nos ajudaram a levar à crise de hoje. E foi o povo nas ruas , na Copa de Futebol e Olimpíadas, há anos, que nos colocaram rumo à verdade, caminho menos ruim, depois dos fatos terem sido adocicados, por anos,  pela grande mídia.

     Não repetiremos dados , provando a crise e caos atuais , ou certos conceitos, face editoriais anteriores , em que defendemos, por exemplo,  a existência de um estado de exceção implícito , informal , com medidas provisórias, foro privilegiado , ultra-autoritário e centralizado.

A democracia pervertida , construída  com dedo estrangeiro ,distorções históricas, conciliações espúrias,  autoritarismo, desigualdade , militarismo , genocídios, exploração desenfreada e disfarçada , fraudes, mentiras , dia a dia,  e históricas, repetidas , chega agora a  impasses definitivos e desafia mudanças .

     Quem a construiu, quem a distorceu deliberado , quem responsável e que dela se beneficiou  ?

As sempre mesmas “elites” aliadas e servis a interesses estrangeiros. 

    Agora nota-se um quadro aparente incoerente , mas que pode ser entendido se recorrermos à História, com semelhanças, com os anos pré-nazismo , na Alemanha 1930, embora com peculiaridades .

    Provocações, ataques a professores e à liberdade de ensino , até com cortes de verbas,  religiões manipuladas pela política, Estado usando-as , apelo a frações políticas militares radicalizadas  e à violência e milícias . Mais desprezo aos intelectuais e estudos sociais ; massas populares, grande mídia, redes sociais pressionadas quando não direcionadas, populismo, recurso a medidas de pequeno efeito mas de agrado popular, o uso do medo como arma política-social e de psicólogos , estrategistas competentes, conquistas tecnológicas de ponta , em especial no setor de comunicação de massas.

      No caso brasileiro, um fio da meada política que chega ao Presidente, estranhamente eleito. Isto porque via facada , conexões até hoje não bem apuradas , movimentos estranhos nunca vistos nas mídias sociais , com toque estrangeiro . E  alianças com a estrutura militar institucional , frações da direita política nacional as mais conservadoras , lideranças religiosas várias, movimentos de rua populares , com financiamentos que chegam ao Império , todos  unidos , nas últimas eleições .

           Votos através de urnas eletrônicas suspeitas até pelo  próprio presidente , este mostrando  mudanças bruscas de posiçãoDemocracia Pervertida desde nacionalismo radical à direita a uma proposta de integração e servilismo a interesses do Império Americano ; desde anterior apoio a estatizações a um liberalismo e defesa de privatizações radicais . O que revela um notável oportunismo, também com paralelo na História .

     Pressões sobre ele e a administração vindas desde um estranho guru americanófilo residente nos EUA, bem articulado ,  Carvalho, a assessores  próximos locais ; na outra ponta,  um outro guru americano de posição assemelhada , Bannon, este a correr o mundo defendendo a bandeira a mais radical e “nacionalista americana”, e  a promover propostas semelhantes,  pela Europa e Ocidente em geral.

    Coerência, pois,  programa de governo daqui também similar a outros  a nível internacional, o que parece se coadunar com as mentiras e gritarias constantes de Trump, ameaças, pressões , contra países diversos ,  não enquadrados nos objetivos do imperialismo dos EUA.

     Isso feito quase com desespero na tentativa de interromper a evidente decadência política e econômica americana e o crescimento mundial da influência de China e Rússia,  além da reação de vários países, ainda que pagando alto preço, caso de Síria, Iran e Venezuela, entre outros.

    Aparente ,  Trump refletindo direto posições do complexo industrial-militar que comanda os EUA , de longa data , preocupado com a tentativa de  afirmação, econômica e  política,  independente do Império,  por parte de países como os citados Iran, Coréia, Cuba, Nicarágua , Venezuela , Síria , dispostos a suportarem pressões, ameaças, sabotagens econômicas e até guerras ,  para não abrirem mão de sua soberania e independência.

          Engano , pois, dos que pensam não terem os bolsonaristas e aliados , centro de gravidade do bloco dominante de poder , um “projeto de nação“para o Brasil .  Eles o têm , e é o acima, do Império Americano , parcialmente anunciado por Bolsonaro , Olavo, ministros, aliados. 

Isto embora o mascarem , não o propagando , formalmente, por óbvios motivos – evitar reações precoces a projeto, em essência, anti-soberania nacional e independência, o que significa o fim do Brasil , até formal.

   Imagem relacionada     É o programa das oligarquias financeiras internacionais, buscando saídas permanentes , eternas, para as crises continuadas do  grande capital mundial e do Império Americano- linhas gerais ,  o mesmo  de Olavo de Carvalho , de Steve Bannon, de Trump , de diversas frações políticas à direita internacional e também à nacional -subordinada ; do complexo industrial-militar americano ; da CIA , do Pentágono , do Império/EUA –  em resumo.

    Todas apresentando divergências naturais , não antagônicas, entre si , mas unidas em momentos cruciais, esgrimindo , hoje, divergências  públicas apenas  no espaço vazio deixado pelas oposições, desde que estas , atualmente,  pouco expressivas e desunidas, mesmo  as  de cunho realmente nacional.

     E para onde seguirá tal processo, em rápido curso ? Dependerá das reações a ele , mas…

     Já, parcialmente,  no poder estatal direto , nos EUA ,  aqui e em alguns países , tais correntes políticas unificadas pensam afirmarem-se , fazerem mudanças, como referido, sempre  no sentido da afirmação eterna do capital financeiro internacional e suas corporações.

  Ora, isto implica em impor desigualdade permanente , o que exige ignorância popular , controle político e eleitoral e da opinião pública, destruindo-se , pouco a pouco , as conquistas e bases democráticas e sociais e populares, já institucionalizadas.

Sempre de forma a não deixarem nada , ou muito pouco,  atingir seus interesses instituídos de décadas ou séculos –  e para tal  usando táticas inovadoras, tipo as das “guerras híbridas” . Trata-se de uma grande estratégia imperial  buscando afirmar um poder mundial sólido,  além do atual decadente , assim sobrepujando China , Rússia ou quaisquer países que pretendam real soberania ou independência. Em suma , tomando lições da História , totalitarismo à direita , sem nacionalismo de fato (este só usado por oportunismo para divifir e confundir os inimigos) , imperialismo ao fundo , com velhas receitas de populismo e corrupção em larga escala . O estado de exceção sempre como etapa intermediária.

     Há , portanto, quanto ao que ocorre no Brasil , respaldo e manipulação a nível mundial, como parte de uma grande estratégia imperial-americana  , sendo talvez ainda  testada , que busca solidificar caminhos novos para seu Império  –  um bloco de poder mundial capitalista mais definido e momolítico , o mais bem armado do mundo , entrelaçado e organizado política, econômica e militarmente, como forma de conseguir fugir à  decadência e crise  atuais .

   Só resta aos que pretendem a afirmação do país um dia chamado Brasil,  hoje talvez mais apropriado ser chamado de Braz$l, (com um Z próprio à escrita americana, e um $ expressando o  hoje domínio majoritário do capital financeiro internacional) , a formação de uma frente de resistência democrática e nacional . Frente organizada, unida, envolvendo de parlamentares a povão msis organizado e cidadãos em geral,  capazes de avançar em sentido contrário – defesa firme da soberania nacional, de uma  democracia autêntica, com controle popular , quebra do autoritarismo elitista subordinado antipopular , independência nacional real, material , daí definindo-se as reformas pretendidas e um programa mínimo unitário. (Original não revisado, o q.não impede entendimento ).

***************

[ Editorial resumido divulgado em Caminhando Jornal TV 11, na TvC /RJ,  canal 6 da Net/RJ, 8/6/19, e no You Tube].

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *