BRASIL – Bolsonaro, Militares, Violência

ago 3, 2019 by

BRASIL – Bolsonaro,  Militares, Violência

BRASIL – Bolsonaro, Militares, Violência

( Íntegra de editorial de Caminhando Jornal TV 19).

A cada dia aumenta a preocupação dos cidadãos com o que vem ocorrendo no Brasil , a rápida decadência do país , em curso , o destempero e desprezo pelas instituições mostrado a tv cada dia por Bolsonaro .

A par de abandonados  problemas centrais como a dívida pública que vai chegando a 6 trilhões de reais, com jur99os absurdos e fraudes e ilegalidades,  apontadas por auditoria séria(Auditoria Cidadã da Dívida, Maria Lúcia Fatorelli à frente), nem mais regiões turísticas são respeitadas,no Brasil – assaltos, arrastões e  cocaína e maconha vendidas em praias como Copacabana e Ipanema, o que significa controle delas pelo tráfico de drogas .

Moradores de rua drogados ou com problemas psicológicos atacando cidadãos, de forma indiscriminada ;  a Rodoviária do Rio tomada por quadrilhas de transporte e usuários de drogas ; hotéis, restaurantes e até hostels e pensões e agências bancárias  fechando , para não se falar em lojas e indústrias, estas já quase inexistentes, Olimpíadas e Copa do Mundo deixando como herança áreas e construções abandonadas ou estádios verdadeiros elefantes brancos.

Este o resultado da aplicação da política neoliberal imposta , após 1964, aberta ou mascaradamente , ao Brasil , por décadas .Política na qual se insiste , em doses ainda maiores, como se tal fosse solução, quando os resultados estão bem à nossa volta.

As providências do poder público são ridículas, como o recolhimento de facas entre moradores de rua , para evitar atentados, ou completa omissão , quando um Crivella pauta suas atividades pelos jornais de maior circulação, após denúncias . Perdeu , completo, a iniciativa, que só aparece quanto a aumento de impostos, multas indevidas, mas das quais não adianta recorrer , nomeações dadas a vereadores para evitar sua própria queda , através de impeachment.

O Presidente Bolsonaro, título pomposo, omisso, apenas com pequenos projetos , e avanço no sentido de privatizações, como a BR Petrobrás Distribuidora ,  Eletrobrás, Correios, leilões do pré-sal, petróleo, tudo dentro da receita tradicional do Império Americano para o Brasil. As privatizações e avanços nesse sentido sendo feitos enquanto se discute seus disparates e destemperos, aparente casuais, quando seguem estratégia e tática que deram certo em outros países do mundo, a começar pelos EUA. De fato, com um Trump grosseiro, desmoralizado , boquirroto e despreparado – mas Presidente dos EUA, pela força desse país respeitado em todo o mundo, e com a possibilidade de reeleição. Por aqui, eleito Bolsonaro . Claro que , por trás de ambos, dando sustentáculo, estados de exceção implícitos, informais , aqui e lá, moderna técnica de governança(Agamben, “Estado de Exceção”) das “democracias” capitalistas , não mais o tradicional, mas uma nova espécie do mesmo gênero, mais sofisticada e mascarada .Nos EUA mais discreto , contido , disfarçado, lá sociedade mais estabilizada política e socialmente,  embora já foco central de filmes de liberais americanos insatisfeitos e inteligentes, como “Vice”, a história de Dick Channey e da manipulações das instituições americanas .

BRASIL – Bolsonaro, Militares, Violência

No Brasil, um estado de exceção tornando-se explícito, via suas absurdas interpretações , e foco nelas de parte  da big mídia e intelectuais, além de anônimos via redes sociais, havendo até manifestações e xingamentos contra ministros do STF, foco final dessas “intepretações”, investigações, acusações,  prescrições, etc. , que passam pelo Ministério Publico e  até Juízes de primeira instância.

 Isto além de aspectos ainda piores no foco da situação jurídica descrita – um Poder Judiciário “com gravíssimos problemas de infiltração de bandidos que estão escondidos atrás da toga”(Eliana Calmon,ex-Ministra do STJ, 2011, “in” OG, 3-8-19, p.24, col.F.Betto). Frei Betto, referindo-se à lava-jato e outros casos vê no Judiciário …”parcialidade, partidarismo, perseguição aos inimigos e proteção aos amigos. Uma escandalosa barganha que,agora, culminou na decisão monocrática do ministro Dias Toffoli de proteger Flávio Bolsonaro, filho do presidente da República, e seu parceiro Fabrício Queiroz, o que desencadeou uma reação em cascata de anulação de processos em andamento”.(OG, id.)

Nos EUA, naquele filme citado , Adam MacKay, em documento que auxilia estudiosos a verem , na práxis, como se passam  situações de absoluta ilegalidade e inconstitucionalidade,  naquela que se autointitula a “maior democracia do mundo , mostra como aquele estado de exceção não tradicional , mas informal e implícito, espécie do gênero,  propiciou não só a eleição de Bush filho , como a guerra do Iraque, do interesse do complexo industrial-militar americano.   O que quer dizer que há uma estratégia e táticas determinadas, sim, mais ou menos estabelecidas e seguidas.

Enquanto isso, agosto de 2019 , Bolsonaro mente com descaro para o povo brasileiro , o “Diário de Notícias”, Portugal, atento, noticiando que mente todos os dias, é “um mentiroso compulsivo”, prestou 2054 declarações  falsas ou distorcidas nos primeiros 184 dias de seu governo”. E o

Brasil decai , se divide, definha, esfacela , 57 mortos em uma prisão do Pará, com muitas cabeças decapitadas(aliás, lamentável , uma tradição brasileira oriunda no Estado e nas forças militares, desde Farrapos, revoluções federalistas do RGS, Canudos e , bem recente , Guerrilha do Araguaia, o que foi feito com dezenas de lutadores presos e derrotados) , do Estado passando para a esfera privada , particular , dentro de presídios , com diversos massacres sucedidos de  jogos de futebol com cabeças cortadas dos inimigos, o que aconteceu recente. Uma tradição de barbárie que permanece viva e contraria as teorias de pacifismo do povo brasileiro – e incentiva interpretações de que é mantido sob tutela armada e difusão do medo, em algumas épocas mais outras menos , caso das “ditaduras” ou regimes terroristas . Advertências , até internacionais, nunca bastaram ,  havendo agora mais uma , quando da recente morte de líder indígena no Amapá , representantes da ONU opinando e advertindo que poderão haver mais “violência, intimidação e assassinatos”. O que não tem qualquer efeito nas cúpulas estatais autoritárias.

 

Imagem relacionada     Mas, Bolsonaro não se contenta sequer em dispor dessa situação acima descrita, até milícias amigas incólumes, via proteção descarada a Queiroz até pelo STF  , e ainda ataca jornalista torturada na ditadura, grávida ,que jamais foi guerrilheira, e ainda  taxando-a de mentirosa, quando provadas as torturas por documentos da própria Justiça Militar . Além disso,  nega ter havido ditadura no Brasil, defende o comprovado torturador Ustra , e ainda ataca o pai do presidente da OAB , morto durante o regime militar terrorista , insinuando que ele teria sido morto pelos companheiros, por traição, e não pelo regime militar, isto sem qualquer dado , aproveitando-se da exposição pública de que dispõe como presidente.

Mas, a conjuntura mostra-se  pior ainda – todos os torturadores comprovados do regime terrorista – soltos (o que quer dizer , um perigo para a sociedade) , muitos atuantes depois do regime terrorista (em empresas de segurança , no Estado mesmo etc. inclusive generais, segundo o antigo delegado Cláudio Guerra, em livro e ao vivo no filme “Pastor Cláudio”, confira em Caminhando Jornal TV 19). E ainda sustentados pelo Estado , que continuou a pagar-lhes aposentadorias , o que quer dizer , no Brasil torturador e autor de crimes hediondos não só não é preso, é anistiado, como ainda recebe aposentadorias premiadas. E mais ainda – depois, aposentado ou reformado ,  assume novos cargos em empresas de segurança e  outras, disseminando seu comportamento, valores , ideais (?!) (inclusive nas forças militares , onde são defendidos e , por certo, serão imitados, quando considerarem necessário)  mesmo tendo cometido crimes hediondos e continuados . Isso tudo , tantos prêmios , porque  soltos por uma meia anistia enganadora,  que não solucionou os problemas criados, feita pelos próprios dirigentes do antigo regime então terrorista, vencedor de antigas contendas , como se vê à nossa volta .

Bolsonaro segue o exemplo de seus gurus políticos, Trump, Carvalho, Bannon , tendo chegado ao poder de forma anômala e estranha, precedida do uso de urnas eletrônicas duvidosas, confiadas , imagine-se, em duas eleições, ao Toffoli antes citado , e sua,  por certo,  maioria de ministros apoiadores (cf. acima). Urnas postas sob suspeita (até por ele próprio, Bolsonaro, inúmeras vezes), um presidente eleito após impeachment distorcido prévio, massas populares nas ruas, parte delas financiada por multinacionais estrangeiras (caso do MBL e outros , que ainda, depois disso , e usando tais manifestações e recursos financeiros,  elegeu deputados, o que contraria o espírito evidente do art. 17, da Constituição ), tudo somado à  intervenção de forças militares no processo, via Villas Boas apoiando Bolsonaro, este fazendo campanha em repartições militares, de norte a sul do país , enquanto outros candidatos não o faziam ,General assessorando Toffoli durante as eleições, e  interpretações jurídicas do Judiciário, via STF, em especial, das espécies que analisamos acima.

Tanto nos EUA , como aqui, um estado de exceção informal e implícito, longe de qualquer estado democrático de direito, lá até com uma Guantânamo, continuada ,  eleição distorcida de um Bush , guerra do Iraque apoiada em falsos pareceres jurídicos , manobras de poder, Judiciário manipulável, como está atestado até em  filmes como o antes citado e em livros .

Só que o Brasil não são os EUA, longe disso, estes decadentes, cada vez mais longe de qualquer democracia, mas com armas nucleares, maior poder bélico do planeta, necessitando da guerra e provocações , sabotagens, ardis, dissuasão , para tentar reverter sua situação em todo o mundo.

 O que inclui superexploração de países satélites como o Brasil, Bannon e outros cumprindo seus papéis de divulgadores e organizadores disso pelo mundo, coadjuvados pelos serviços secretos. Buscam ganhar tempo e recuperar-se , para isso valendo tudo, caso de guerras como as do Iraque, Afeganistão , aliança com países como a Arábia Saudita, ditadura sangrenta, e ações até vergonhosas como as feitas, com auxílio de Bolsonaro e redes de TV locais, contra o governo evidente legítimo da Venezuela.

Em que se apóia Bolsonaro, sentindo-se confiante e seguro  para agir como age? Isto é,  desmoralizando instituições, pessoas respeitáveis , mentindo com descaro, desprezando o juízo do povo brasileiro ? No apoio servil ao Império Americano , no medo, nas ameaças implícitas a todos , nas suas ligações com milícias e forças militares, em aliados e numa estratégia e tática que deram certo, em que pegou carona , como um perfeito oportunista que é – e toda sua vida mostra isso. Aliás, a um nível digno de um Lula, cujo oportunismo sempre foi notável, com o apoio mascarado do Império . Bolsonaro representa um passo adiante, esperto, embora toda a “esquerda” chie . Conta com o apoio descarado e não mascarado do Império e das oligarquias locais a ele aliadas, com algumas exceções das frações políticas do bloco de poder dominante ainda alinhadas com os “liberais” americanos, politicamente concentrado no Partido Democrata , americano, que imaginam poderem reformar o atual capitalismo terrorista . Nisso tudo Bolsonaro está apoiado e confia, certo de que , ao menos no momento, não corre qualquer perigo – afinal, como oportunista marionete, os fios que o seguram terminam em Olavo de Carvalho, CIA , Pentágono , Trump, complexo industrial-militar dos EUA. Sua queda dependeria , em essência deles, e da queda deles . Como se trata de questão conjuntural, de pouco prazo, tal mostra o ridículo daqueles que acreditam que o ridículo também Bolsonaro não chegaria ao final de seu mandato. Se não chegar será porque perdeu o apoio acima e resolveram colocar outro mais conveniente  ,talvez civilizado e mais preparado. Evidente , toda essa perspectiva apoiada na crença de que o povo não reagirá e que o tem , ele e aliados, a seu bel-prazer . O que  tem lógica. O que fizeram as “esquerdas” e os democratas mais civilizados e liberais durante as últimas décadas , fora lambuzarem-se em cargos, recursos, fisiologismo, corrupção, mentiras que chegam a nossos dias ?

BRASIL – Bolsonaro, Militares, Violência

Basta ver a atual situação do PT, os líderes nacionais que produziu, a do PSDB , a do MDB, a do  PSB, do PDT , do PC do B – todos lambuzados com acusações de propinas, caixa 2 , etc. entre muitas outras.

     De fato, o Império , nisso tudo , o dedo do Império , que se antes direto financiava (décadas antes) , atuando com competência passou a usar recursos nacionais para isso(como os da Petrobrás e empresas nacionais) .Sempre incentivando , não denunciando, sendo conivente com propinas e corrupção.  ( A famosa CIA não conheceria os bastidores do quadro descrito, nem seus aliados,  serviços secretos nacionais ?) Com o que corrompeu inclusive à esquerda – fisiologismo, cargos, dólares, como provado está , ganhando  maior faixa de manobras. Enquanto o Império  e aliados,avançavam por aqui , Brasil, passo a passo , econômica e politicamente, foram abandonando   as máscaras, já desnecessárias, caso de Lula e outros, agora . Um passado de décadas até aqui, de corrupção, promoção de falsa “esquerda”, fisiologismo ,  abrindo –se caminhos  com mais corrupção ainda , se necessário (caso da década 1960) e , em caso de impasses, com torturas, mentiras, assassinatos, esquartejamentos, impondo uma  política servil e controlada tanto a seus aliados como inimigos derrotados . O Brasil neste rol, enganado , humilhado , decadente,  corrompido , destruído. Como generais e estrategistas americanos devem ter rido “desses idiotas” brasileiros nos gabinetes do Pentágono ou da CIA. Em especial das inviáveis guerrilhas araguaias , da guerra urbana de quase guris, do incentivo que fizeram a elas para justificar mais repressão e interferência, via infiltrados , depois até ensinando alguns de seus ardis aos serviços secretos nacionais.

 Novidades ? Nenhuma . Na “Arte da Guerra” , 400 AC , aproximadamente, os generais chineses já destacavam a importância do uso da corrupção como arma política – e o usavam em profusão, destacando que o melhor general era o estrategista, que ganhava as guerras com um mínimo ou nenhuma perda, via ardis kl enganos, corrupção – e sem destruir a infraestrutura econômica e social inimiga , desde que buscaria usá-la após a vitória.

O passado político brasiloeiro está provado e comprovado em depoimentos como o de Cláudio Guerra , exposto em livros como “Memórias de uma Guerra Suja” e filmes como “Pastor Cláudio”; em livros como “Operação Araguaia” e “Sem Vestígios”, de Taís Morais e Eumano Silva;  em “A casa da vovó”, de Mario Godoy , entre muitos outros – lá estão traições, corrupção, queimas de corpos , covardias inimagináveis, genocídios, esquartejamentos, com presença da CIA ,e do  serviço secreto inglês, fora os dos  brasileiros .

 Neles estão mostrados como a última anistia política  foi parcial, embora suficiente para anestesiar , junto com os ferimentos das torturas e prisões, muitos dos derrotados,  e ainda  beneficiou hediondos torturadores que, soltos, lépidos e fagueiros ,  continuaram suas atividades em empresas particulares, ligados a bancos conhecidos, multinacionais  , protegidos ainda pela estrutura estatal  – tudo isso chegando a nossos dias, como , nesse caso , bem mostra o ex-delegado Cláudio Guerra , em suas confissões.

Os militares brasileiros estão destacados em todos esses documentos, entre outros, com inúmeras provas, desde suas violentas atividades  expostas tanto em Canudos, como na revoluções do Rio Grande do Sul, ou no Araguaia, sempre coalhadas de covardias, traições – e decapitações, cortes de cabeças, estas agitadas em pedaços de pau ou penduradas em helicópteros,  no Araguaia – como já referido . Ou ,ainda , eles patrocinando covas coletivas dignas do que se assiste nas TVs, época do nazismo hitlerista,  imitado por Bolsonaro , em expressões e apelos a Deus, o que fazia Hitler . Nenhuma autocrítica. Nenhuma mudança aparente de linha política. Irão até a destruição final da nação , em nome de quê , exatamente ? Em nome de covardia, oportunismo, medo mesmo, vão permitir a degringolada  da Nação e seu integração aqueles que justo a destruíram ? Aqueles que impediram seu desenvolvimento pacífico , mas independente e soberano, tentado, com todas as contradições, na década de 1960?

Resultado de imagem para pastor claudio guerra

O que se pretende agora  ? Se a decadência, fragilidade, sofrimento , mortandade atual do povo brasileiro tem com o origem e centro no Império Inglês, primeiro, e no Império Americano mais recente , as forças militares sempre aliadas e dependentes deles , o que se pretenderia agora ? Parece vivermos o ponto de final de um ou vários ciclos políticos e econômicos .

Seria Bolsonaro, evidente perturbado , em doses bem mais fortes que um Collor ou Jânio, o elemento ideal para papel especial a ser cumprido  , como Trump, nos EUA, e Adélio mesmo, por aqui , com sua estranha facada nele  ?

Indivíduos bem escolhidos para certo papel a ser desempenhado, tendo por trás os estrategistas do Império  e os seus milhares de agentes , infiltrados em toda parte, em especial nas oposições ?

Que papel seria este ? A tomada formal do que resta do país , em esfacelamento progressivo , ao fundo  o complexo industrial-americano, seus estrategistas de alto nível , disseminando a discórdia,  desde que há décadas por aqui , bem instalados e mascarados, ocultos mesmo ? Dividir para melhor reinar ?

O dever das forças militares, pagas pelo povo brasileiro, é , primeiro ,  preservar a Nação. Bolsonaro não é Trump, muito ao contrário – este ,   dominador vampiro , chicote e armas atômicas nas mãos ; o outro , um cãozinho poodle, folgado, fraco, que só sabe latir,  décadas engordando graças justo às instituições nacionais, até recebendo “auxílio moradia”, por ele usado, como assegurou , para “comer gente”.(?!). Bem seguro pela coleira por seu apavorante mentor estrangeiro.

   Seguir projetos do Império, décadas de sofrimento depois,  é o caminho de destruição do que resta, ao Brasil ,  de soberania e de estado nacional. A responsabilidade maior sendo das forças militares, em especial desde 1964 .Depois da desgraçalhada cometida desde então e anos seguintes, resultados à nossa volta , tudo facilitado pela burocracia militar, imposta de cima para baixo , e pela ação deletéria do Império Americano , suas mentiras comprovadas , ações vergonhosas de intervenção aqui , via acordos militares secretos, corrupção (como em 1964, IBAD e IPES), ameaças, intervenção direta e golpe inicial de 1964, liderado por ele.

A curto prazo, os destinos nacionais estão , em especial, nas mãos de militares(embora também nas do povo brasileiro ainda que desorganizado pela ação das “esquerdas”durante décadas) , eis que muitos percebemos o que há, hoje,  por trás de Bolsonaro, do Congresso Nacional e do Judiciário, STF em especial.Eles tem nas suas costas a conta , principal, de ou lutarem para manter-se a unidade nacional , o país um dia chamado Brasil, ou permitirem , por omissão e ação seu esfacelamento.

E aqui, mesmo em nossos dias, já tratamos de Braz$l , com Z e um cifrão no lugar do I , significando domínio das oligarquias financeiras internacionais.Brasil ou Braz$l, sendo-se honesto com nova realidade ?

Ainda podem os militares, como instituição(porque não se tratou de erro individual , mas institucional, face à exploração política da burocracia militar , ainda assim milhares de militares tendo sido atingidos pelo regime terrorista, evidente por discordarem dele )  ,redimirem-se de erros evidentes, em especial os iniciados no golpes estrangeiro de 1964, retomando uma postura de independência e real defesa da Nação .A alternativa  será o fim da nação brasileira, seu esfacelamento , massacres populares , mais sangue nas mãos , porque nem todos, por certo ,  aceitarão a superexploração, massacre de um povo desarmado. Muitos poderão não aceitarem que estrangeiros, ao fundo, elites servis a eles , dêem o ponto final  a um país de brasileiros, cujo destino a partir daí será o de genocídios continuados e de superexploração, excetuadas as elites de sempre , aliadas a interesses estrangeiros.Como alternativa um Grande Haiti do Sul ou , com sorte, um país “associado “ tipo Porto Rico.

Resultado de imagem para pastor claudio guerra

A Indonésia , década de 1960, é exemplo do que são capazes os dirigentes do Império Americano. Aquele mais de um milhão de mortos está até hoje na lembrança dos povos do mundo. Assim como o que foi feito no Brasil pós-1964, que nunca será esquecido.

Inútil tentar apagar a memória de todo um povo , num estilo  “ mundo novo”, de Trump e de um Império sem , hoje, defesa política ou moral. Não tem argumentos, por isso berram , quebram a mesa de negociações, ameaçam , batem, torturam . Não dá para enganar mais com falsas democracias ou falsos apelos a direitos humanos.

Para isso, para enganar mais tempo, teriam  que manter os povos eternamente na  ignorância,   desorganizados,como  não cidadãos . Isto não é possível, precisam de trabalhadores ativos e isso gera miséria e revolta. Nada tem a argumentar , atualmente . Fora gritos, berros, pontapés, prisões, torturas, ameaças  – e, se preciso , mísseis ou armas atômicas, como fizeram nos inesquecíveis Iraque ou Iugoslávia ou Líbia ,  e antes em Hiroshima e Nagazaki.(*)

*****************************************

(*) (Original não revisado, o que não impede entendimento. Editorial integral de Caminhando Jornal TV 19 , a ser divulgado no site caminhandojornal.com , já o tendo sido , resumido , em Caminhando Jornal TV 19).

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *