Brasil – Onde Preso Comum é Candidato a Presidente

ago 25, 2018 by

Brasil  – Onde  Preso Comum  é  Candidato a Presidente

 Brasil/ Braz$L-18  – Onde  Preso Comum

                      é

Candidato a Presidente

 

* Por quê ? Como ? ; repensando o Braz$l/18  – a “democracia brasileira”, as religiões ,  o “estado democrático de direito “e as eleições. *

* …preso comum …e com risco de ganhar … ; do Brasil ao Braz$l , do Ornitorrinco ao Frankenstein : notas sobre o estado fracassado de exceção brasileiro , implícito, informal , de fato protetorado americano (Mangabeira Unger) , província (Octavio Ianni) ou neo/colônia(outros)  – e as próximas eleições/2018,  presidenciais, com um preso comum , por corrupção, candidato   favorito (?!)  .

 

Um país com  –  corrupção desbragada e sistêmica ; políticos presos por crimes comuns ;  Judiciário desmoralizado ;  urnas eletrônicas sob  suspeição ; inflação ;  milhares de indústrias e lojas fechadas ; escândalos diversos, dia a dia , em obras, órgãos públicos, licitações ;

 

 domínio local do bloco de poder oligárquico (Temer, Cunha, Calheiros, Sarney, etc. ) e seus  mentores estrangeiros(capital financeiro ) ,  solidários com um preso comum , Lula, líder do PT  ; casos de corrupção desvendados , de um lado ; enquanto, de outro , sepultados  pelo STF.  *

 

  (Redação)

…” Dom Jorge foi para o  ABC para estabelecer ali a presença política da Igreja entre os operários , numa região dominada pelos comunistas . Aproximou-se deles , foi para  a porta das fábricas, apoiou  e liderou greves e começou a estimular o aparecimento de uma liderança sindical de esquerda não comunista” .(…) (“Do PT das lutas sociais ao do  poder “, José de Souza Martins , Contexto , SP, 2016, p.63).

 

 “ A greve … retornara ao cenário político …projetando um personagem estranho ao sistema que vinha do Estado Novo . Lula não caia nos formulários do MDB, da Igreja nem dos partidos de esquerda .(…)(p.56)

…Lula tornou-se uma celebridade , encarnando o “antipelego” . Para o cônsul americano em São Paulo “era a estrela da facção democrática  militante do movimento sindical”.( Elio Gaspari , “A ditadura acabada “, Intrinseca , RJ, 2016, p.44).

 

“A rede política das Comunidades Eclesiais de Base,  com a criação do PT , foi fundamental para fazer o nome de Lula um nome nacional , de esquerda , mas abençoado pela Igreja. É inestimável essa ação da Igreja para diversificar as esquerdas e , em certo sentido, democratizá-las . (…) Foi a Igreja , e não as esquerdas, que criou a figura poderosamente simbólica que, na pessoa de Lula, cumpre a promessa do advento do ungido. Na verdade, um reavivamento do sebastianismo”… (Martins, id., p.63).

 

“O SNI acusava o cônsul americano em São Paulo, Robert Bentley , de estar  ‘atuando ativamente e agitando ‘  em benefício da greve (…) Bentley não era um diplomata qualquer . Na madrugada de 2 de abril de 1964 , quando se deu a cerimônia de posse do deputado Ranieri  Mazzilli , sacramentando a deposição de João Goulart , o palácio do Planalto estava às escuras e a pequena comitiva subiu as escadas iluminando-as com fósforos . Um deputado surpreendeu-se –  a seu lado estava o jovem, secretário Robert Bentley .”(Gaspari, ib. , p.57).(Grifos da redação  de caminhandojornal.com).

 

******************************************

          UM

        ELEIÇÕES NUM PAÍS

           EM CRISE GERAL            

          Lula da Silva e os lulopetistas, PT ,  liderando pesquisas, ele candidato provocador mesmo preso e condenado em duas instâncias, mais de dez anos de prisão. Eleições , confusão política ,  econômica e social , ‘merdalhada’  pré-eleitoral, políticos ou inexpressivos  ou envolvidos em corrupção ou sem solidez programática , alguns mal falando português escorreito , participando de debates insossos , que beiram ao ridículo , com gritos de “Jesus”, “Deus antes de tudo” e daí por diante .

           Candidatos à Presidência da República de um país com mais de 200 milhões de habitantes, o que atesta a responsabilidade do cargo , um notório presidencialismo autoritário . Tentativas de captar o voto religioso . Belas palavras, por vezes , tradicionais, milhares de anos por trás delas,  mas poucas sobre  saídas para os graves problemas nacionais. E quanto a essas  pouco apontadas, inexequíveis soluções . De  resto, divagações ,   sem  debates de fundo. Um reflexo , certamente, do país, seu sistema econômico , regime político, educação pública .

  [Mediocridade até dos jornalistas  mediadores, com falhas gritantes , parecendo tratarem-se de  debates mal planejados ou improvisados , ou limitados para toldar divergências,  convidados  comparáveis  com

os  debatedores em termos de correção , nem se fale em brilhantismo . Até o veterano Boechat soçobrou , confundindo-se , sem comentários um mediador novato de outra rede . Os candidatos,  pouco tempo , rodopiando de cá para lá,  obedientes estudantes, às vezes de costas para os espectadores ].

 

      Embora caiba reconhecer que estamos num “beco” político e econômico sem saídas”, que exigirá , provável, rupturas , pena de autodestruição rápida do país  . Ora , que candidato  levaria isso ao povo , perdendo desde logo apoio das “elites ,  sem as quais difícil  ser eleito ? Vera Lúcia, PSTU , isolada , sem tv ,e  talvez, talvez ,um Boulos ?  Até agora não se dispuseram  .O conformismo com as ‘regras do jogo’ é fundamental. Embora, por anos de crise continuada,  a rebeldia tipo Bolsonaro, qualquer que seja o lado dela, seja uma atração.

          Nossa mídia , mesmo tão perto das eleições,  trata mais de crimes passionais como os do “Dr. Bumbum”, cirurgião plástico , do que da revolta popular em Pacaraima, Roraima,   ou das eleições . Fora a fixação dela , confusa , no líder neoliberal Lula da Silva, preso em Curitiba, Paraná , o mesmo que ela promoveu durante décadas, protegendo-o, “blindando-o” o que faz , ainda , parcialmente, em nossos dias, com o auxílio de parte do Judiciário, isto é , Tofolli , Lewandowsky e outros com eles compostos.

 IMIGRANTES ATACADOS/RR ;

                          E

8 MORTOS/RJ  POR MILITARES

Imagem relacionada

 

          Em Pacaraima,RR,  milhares de pessoas  expulsaram  imigrantes , atacando-os (cerca de 700 venezuelanos ) , destruindo prédios públicos e alegando que se “as autoridades não tomam providências , nós tomamos”. As forças  militares, presentes,  não intervieram contra os brasileiros, permitindo a violência, apenas protegendo o hospital e um abrigo federal. Um militar da PM :”Pacaraima está um barril de pólvora .A qualquer momento pode haver uma tragédia”.(OG, 18-8-18). Os brasileiros, que costumam atravessar a fronteira , agora correm  riscos  de retaliação .

         Com isso, a política legal e  tradicional brasileira  de pacifismo e bom trânsito com vizinhos foi rompida, com a omissão quanto à proteção dos refugiados , o que fere a legislação e normas internacionais. Retrocesso até na política externa. A Venezuela já ameaça cortar a energia elétrica da cidade, que vem de lá – o Brasil atrasado nos pagamentos, devendo 30 milhões de dólares. O pobre escravizado deve ao esfarrapado, não tão esfarrapado assim, e ainda rebelde ,pois dá-se ao luxo de enfrentar o Império(EUA). 

           No Rio de Janeiro , uma guerra entre militares do Exército e traficantes (?!) ,algo impróprio para forças militares, isto em algumas favelas – 36 presos , 8 mortos , sendo  3 soldados , e muitos feridos. Moradores  reclamam de invasões de casas , móveis depredados, celulares revistados, violência descontrolada. Os militares alegam terem mandados de busca e apreensão.

         DOIS

   ELEIÇÕES SÃO SAÍDAS POLÍTICAS?

 

            Por exemplo,  para estruturas arcaicas superadas há décadas , infraestrutura sucateada , desindustrialização ? Ou para um  deficit fiscal de quase 200 bilhões(declarados) ? ; uma dívida pública aproximando-se de 5 trilhões  ; quase 20 milhões de desempregados ; o país em 81º lugar entre os que buscam desenvolvimento ; clima de guerra em Roraima, quanto à questão dos refugiados, entre outros lugares, como as favelas do Rio ;  presença militar em RR , com venezuelanos escorraçados e agredidos ; a Amazônia depredada, aumentando o desmatamento sem controle –  e sem segurança  ; o estado fracassado sem meios de controle sobre ela e o país ;   militares sem armamento moderno, capaz de garantir o ameaçado território nacional e derrotados , por meliantes , na guerra do Rio , verdadeira guerrilha urbana ; decadência de lugares turísticos como Angra , Lagos, Nova Friburgo , Copacabana , Leblon , Barra (para citar só o Rio) ;  BRTS abandonadas até em Curitiba,  onde surgiram  ; vias expressas degradadas ; 5 mil tiroteios , no Rio,  desde a intervenção militar, que os próprios militares preferem sustar  .

          Problemas se agravando dia a dia – assaltos por grandes quadrilhas armadas , no interior e na periferia das cidades ;  revoltas em presídios; dívida pública que, com juros escorchantes, não é discutida por ninguém de forma séria,  nem motivo de auditoria independente , desde que  consta envolver  inúmeras irregularidades. (Cf. artigos da especialista Maria L.Fatorelli, site “Auditoria da Dívida Pública” ). Em Tocantins, Juiz(Luiz Palmar) manda soltar presos – não há cadeia (destruída) nem tornozeleiras eletrônicas: “absurdo …vivemos um faz de conta …presos nas ruas e provável cometendo novas infrações …”(G.News, 23-8-18, Estúdio i) .

          Este quadro acima , resumido, é importante relembrar  quando se pretenda refletir sobre as razões de tanta insatisfação popular , os resultados da política econômica executada nos últimos anos, os responsáveis por ela , o contexto  social e político , analisando-se a conjuntura e indagando-se se há saídas exequíveis , por que e quais seriam .

               Eleições  resolveriam isso , adiadas como essas próximas o foram, meses ? Não , o tempo apenas permitiria que os mesmos responsáveis por essa situação se reorganizassem,  planejassem , unissem-se – para se reelegerem,  adiante, ou a seus filhos e prepostos , com algum programa de anistia ou indulto ou reformas que lhes permitissem escapar às responsabilidades – em outras palavras, à prisão.

Caso ao contrário de uma prévia Constituinte independente , onde os problemas poderiam ser discutidos , mais livremente, com antecipação – o que não lhes interessava , razão por que a sabotaram , em surdina , discretos, inclusive as “esquerdas” lideradas pelo preso comum Lula , então e hoje aliado a Lobão, Sarney, Jader Barbalho , Calheiros, Eunício , etc. , oligarquias ligadas/subordinadas  aos interesses estrangeiros (capital financeiro /Império), de longa data.

Assim se explica, em parte, o acima e o ocorrido de longa data e ainda hoje em curso , politica e economicamente – e  o que possível  ocorrerá adiante.

                 A PECULIAR CONJUNTURA POLÍTICA

           Os dados antes relembrados contribuem  para poder-se qualificar e entender o atual estado brasileiro, que consideramos , com Chomsky(“Estados Fracassados”), por suas características, dentro do critério exposto por ele  ,  um estado fracassado , mas  de exceção , diferente do que denominamos estado de exceção tradicional ,  formal. Porque aquele fracassado ,e de exceção ,  implícito e  informal .(Quanto ao entendimento do estado de exceção,  partimos de Agamben,  livro de mesmo nome ).

             Que regime é este, brasileiro , que declara-se “democracia”, estado democrático de direito , mas que funciona com um presidencialismo dito de “coalizão” ? Ele admite medidas provisórias tipo decreto-lei , que substituía a normal aprovação das leis, durante a “ditadura” de Vargas, no chamado Estado Novo, década de 30 , além de admitir anormalidades como as antes citadas . Quanto à  Justiça,  com decisões oscilando de um lado para outro, contraditórias, seus integrantes , no mais alto nível(STF) , trocando desaforos públicos .

              De outro lado, temos posta , no Brasil, tanto em vista de ações políticas atuais como da legislação, uma questão religiosa , sob dois ângulos  – um , num debate com argumentos religiosos de presidenciáveis, à vista da Nação , num estado legalmente laico  ; dois, na presença de Lula e do PT na frente política e na disputa eleitoral . Este partido  com forte componente religioso , não tão transparente , nas origens e , indireto, implícito ,  com comportamentos peculiares  tanto do líder autoritário  como da militância e da direção burocrática  – e, a destacar-se ,  bem   à frente dos demais partidos ,  nas pesquisas eleitorais ,  para as próximas eleições  . Como se explicar tal ?(há outro artigo,  neste site,  que trata ,  em detalhe,  dessa questão – “Arendt, Mao …”).

           Isso parece também  atestar a força das religiões na política, e não de hoje, tema pouco  focalizado, aqui visto por diferentes ângulos, desde que entendemos o PT e Lula um projeto estratégico, em vista do poder estatal , no Brasil,  por parte da Igreja Católica e do Império do Capital (EUA à frente) , desde décadas, embora não executado unicamente por eles.(Se tal comunhão de interesses foi casual ou causal , não se pode afirmar).

            Na linha de Hegel e Moniz Bandeira (“Formação do Império…”) haveria  um toque de causalidade – projeto em conjunto, de forma planejada, que teria dado  a arrancada social e política , além de  bases concretas, sólidas, ao PT . O investimento e apoio decidido da Igreja está em Mir (“Partido de Deus”…) , o dos EUA em Gaspari(Id.), Mir (“A revolução impossível”), Chomsky(“Para entender o poder”, coletânea) , de forma indireta,  entre outros indícios. Um projeto fracassado , essencial para explicar a derrocada atual do Brasil.( Atenção . Fracassado do ponto de vista do povo brasileiro – ressalte-se. Pergunta – poderia ter havido ingenuidade de parte da Igreja Católica ? Difícil, por todo seu passado.Mas,pesquisar e refletir).

          Alguns aspectos da atual conjuntura político-social brasileira se destacam e  talvez a decifrem,se apreciados em conjunto . O estado de exceção e nele o funcionamento peculiar dos três poderes ;  o Império do Capital, com suas raízes internas, não transparentes, caracterizando um poder invisível  ; religiões diversas, a principal delas ainda a Igreja Católica , mas afirmando-se , pouco a pouco , de forma ostensiva e bem organizada , as evangélicas  ; Lula ,  PT e , por extensão , PC do B e outros partidos,  deles aliados, integrados, numa frente , de forma própria, inusual , pois contraditória,

[ comunistas, ao menos de nome, com um partido de práxis de direita, neoliberal, assumida , aliados , triunfantes na “esquerda” brasileira (!?), em detrimento dos demais, de fato à esquerda  ]

  atestado dos problemas de representação política e falseada legitimação popular ; governo não com os administradores , o centro de decisões econômicas desvinculado do político , parecendo longe um do outro , autônomos , mas com independência limitada  , este  último não mostrando condições de  modificar  aquele, no crucial  (governar de fato, tomar decisões fundamentais e  não apenas administrar)   ;  peculiar relação entre economia e política,  no seio da estrutura da  administração do país   .

           Tratar-se-ia de  um bloco de poder dominante muito fracionado e sem que quaisquer frações ou setores consigam firmar hegemonia,  expressa  formalmente na sociedade, isto fora a do ás, e coringa ,  o capital financeiro/aliados direto integrados a ele ,  pairando acima desse próprio bloco de poder citado , impondo-lhe limites e diretrizes, sem disputar o poder administrativo direto com seus componentes,  apenas buscando uni-los e supervisioná-los ;  frações, setores , grupos daquele bloco , por sua vez , não conseguindo impor uma ideologia principal dominante , na sociedade , pela crise , contradições, fracionamentos existentes ,  disputando espaços , então, diversas subideologias não prevalecentes .Daí contradições ideológicas e certa “confusão” no debate ‘idéias’, em especial políticas.
(Exemplo  –  narrativas diferentes, até opostas , buscando sustentarem-se, contraditórias, oriundas de diferentes atores sociais, sobre diferentes temas , caso da prisão de Lula ; idem,  a big mídia ,  unida, inclusive  as cadeias de mídia internacionais , no caso da promoção da  grandiosa campanha contra as “fake news”( quando elas próprias são , de longe, as maiores criadoras delas  , até porque cabe-lhes justificar as ações do Império/EUA e suas guerras/agressões/ameaças – que são injustificáveis – daí desabando qualquer imparcialidade , por parte daquela  mídia  ) .
Isto  atesta dificuldades para o Império dominante /capital financeiro/aliados imporem  à sociedade  sua ideologia ‘principal’ , pois a sociedade bastante  dividida . (Embora tal também se explique na medida em que , ‘acima’ do bloco de poder citado , o capital financeiro internacional /Império/aliados patrocina, dentro dele, e na sociedade em geral , diferentes frações, setores , interesses de classes, etc. ) .

As religiões, por sua vez, encontram-se  representadas também no bloco de poder , cada vez mais , elegendo deputados , prefeitos e influenciando,  de forma importante , a eleição presidencial. Idem quanto aos militares, que até expressam-se , na atualidade, via partidos políticos, um já específico e com representantes diversos, muitos candidatos nas próximas eleições . ( Haveria aí uma questão a ser discutida quanto a componentes do bloco de poder – admitiríamos apenas expressões das diferentes classes sociais, ou essas junto com setores  e  “profissões” diversas ?

[Se quisermos rigor maior teríamos que considerar  tratar-se de setores ou frações ou “classes médias”,  que comporiam uma “pequena burguesia”, com frações distintas . Poulantzas faz distinções específicas, o que não é o objetivo aqui,de apenas análise genérica . (Cf. “Fascismo e Ditadura”, v.1 e 2 ,  e “Poder Político e Classes Sociais”) ].

          Tais características  políticas retratam , toscamente, a complexa  conjuntura política  nacional , ou , em  outras palavras, os  traços políticos  mais significantes da sociedade  , neste momento – confusão ideológica, domínio estrangeiro quase imperceptível , sob agentes e atores políticos pouco  representativos , separação (fato novo) maior, qualitativa, entre o poder econômico (invisível) e o político (característica da ação imperialista nesta época, segundo Wood, cf. melhor abaixo. Id. ) , entre outros .

                TRÊS

               A QUESTÃO DAS FORÇAS MILITARES

 

              Destaque-se o papel político atual das forças militares, diminuído , quase anulado, em relação a passado recente  (embora, com razão, mostrem seus comandantes desejo de participação ) . Tal na medida em que,  por décadas , perderam elas em investimentos , possibilidade de uso da energia nuclear, tendo-lhes sido negado  acesso à tecnologia mais moderna,  por seus aliados ocidentais , face a pretenderem manter (mínima) independência nacional – o que é impossível, de fato . Ou ela existe ou não : há um ponto em que pode-se notar mudança qualitativa . Quanto ao Império,  não lhe interessa nem tem necessidade de admitir limitações a seu poder , desde quando já conquistado o objetivo visado , em sua essência . Daí em diante trata-se apenas de conversas paliativas diplomáticas .

             Não recorreram os diversos governos militares, quando tiveram condições para isso ,  a países de outra esfera política  , nem conseguiram negociar com essa possibilidade,  face à negativa ocidental (EUA) , caso da alternativa China ou Rússia , pelo peso da influência/pressão política e econômica americana – que , por sua vez, insista-se ,  negou-lhe, por décadas , acesso a uma  tecnologia militar de ponta, ao contrário acentuando o domínio sobre o Brasil , inclusive no campo crucial das comunicações . Embora evitando   domínio territorial direto , perceptível (característica da estratégia americana nas últimas décadas, sempre que possível .Wood, ib.).

 

        SEGURANÇA NACIONAL  –  QUE SEGURANÇA ?

 

              A par disso , os governos militares não se integraram, totalmente,  ao Império, abdicando , desde logo , de qualquer independência e soberania, inclusive quase formal, como ocorreu com a  Colômbia . (E autodestruindo-se, no caso , em definitivo e por antecipação , como forças militares nacionais , desde que incapazes de garantirem a segurança  efetiva do país e  seu povo –  e não a apenas a segurança “boquirrota” de narrativas falsas de estrategistas americanos)  . (Embora a Colômbia caso diferente,  com  diversas guerrilhas, que datam de décadas) .

             A Colômbia  com bases da OTAN, lá instaladas, vizinha , bem perto da Venezuela ameaçada, esta ,  por certo,   primeiro alvo militar do Império , pela independência demonstrada e pelas reservas petrolíferas . O que fala por si só quanto ao futuro pretendido por ele para a  América Latina e o Brasil , em especial. ( Este face à extensão territorial ,  mercado consumidor e reservas de matérias primas ) .

             Com essa posição omissa , vacilante ,  dúbia, embora aderente , de forma envergonhada , aos interesses geopolíticos  americanos , os militares aqui , como instituição, não foram capazes de manterem  ou decidirem  lutar desde logo pela soberania e independência nacionais . Isto mesmo que fosse “ a trancos e barrancos”, tradição brasileira , como ocorreu com o Brasil,  até 1964 , e como o faz a Venezuela , hoje ainda.

               Brasil. Exato ao contrário  do que fez e faz  a Venezuela,  de décadas para cá , e em nossos dias, pagando o devido preço por isso. (Um aparente caos pior que o do Brasil, esquecendo-se , por aqui, que lá em guerra civil , o  povo/governo  lutando para manter a soberania  , por isso sofrendo pressão, sabotagens, manifestações, agressões, tentativa de golpes e assassinatos,  do maior poder mundial – o do Império Americano ; enquanto  aqui, como na Argentina ,  povo e governo sofrem os resultados da adesão , de olhos fechados , às propostas e diretrizes neoliberais americanas , mesmo que por vezes mascaradas de “esquerda” e adocicadas pelo populismo neoliberal, tipo Menem lá e Lula aqui, ambos os países autodestruídos por assumirem a política neoliberal americana imposta, em essência (ardis, pressão , dissuasão)  de forma talibã(como lembrou James Petras) .

              Isto é, não quiseram a instituição militar brasileira  e outras , quando a tempo ,  virem  antes ao povo brasileiro(até após debates, via referendos, audiências públicas,  plebiscitos, etc.)  para debater  a segurança do país(subestimando a  capacidade do povo, isto é , o povo como parte da “potência nacional”, a quem terão que recorrer ,um dia , se pensarem ainda  em  restaurar a soberania nacional)  , e os ônus que todos teriam que pagar se houvesse realista projeto nacional de soberania e independência, ao que tudo indica abandonado desde 1964 – há  mais de 50 anos.

 

                       FORÇAS ARMADAS NAS FAVELAS

                              E EM NOVOS ‘CANUDOS’ ?

 

            Assim, as forças militares brasileiras  ficaram reduzidas ao papel de substitutas e/ou auxiliares de polícias militares locais ,na caça a traficantes e bandidos comuns, caso delas no Rio ( aliás, papel programado pelo Império do Capital, de longa data )  – criminalidade,  indireta também política . Situação da qual , compreensível , já pretendem sair , por não serem suas originais funções(embora a tenham desempenhado, atendendo interesses do Império , no Haiti).

           Anote-se que elas já caminham por desvios ideológicos perigosos . Exemplo, condecorando mortos e feridos no conflito com bandidos brasileiros das favelas do Rio  com as mesmas medalhas  de honra com que condecoraram os pracinhas brasileiros que lutaram na Itália. Um absurdo – lá tratava-se de guerra declarada , com nazistas, outro povo , alemão, que torpedeara  inclusive navios brasileiros , estado nazista responsável por milhões de mortos. Aqui , enfrentamento com pobres coitados bandidos comuns , brasileiros, sem educação , perspectiva política , valores, que vêem nos tóxicos saídas para miseráveis vidas. Eles, como no Haiti e África , comprovantes do fracasso do estado, no caso  brasileiro , aqui referido , atestando o não cumprimento constitucional de seus objetivos. Gente que lembra mais os infelizes de Canudos , no sertão , de décadas atrás , que os defensores de Hitler e do Estado Nazista .

          As forças militares,  nessas ações,  em morros e favelas,  têm mostrado toda a sua fragilidade tecnológica, uma tecnologia militar e de informações  ultrapassadas  , ausência de especialistas, treinamento , falta de recursos e quadros militares qualificados  , além de  fragilidade  política  , esta previsível – logo  conquistaram a repulsa de parte da sociedade(acusados de invasões de casas, violências diversas, etc.) ,  tiveram alguns  mortos e estão recuando quanto à intervenção  , embora tentando antes apresentarem  resultados positivos .

                 Agora pretendem igualar uma missão essencial policial, da qual não deviam estar participando,  contra parte de nosso próprio povo,  com o enfrentamento feito a nazistas alemães, na Segunda Guerra Mundial – desmoraliza-se, de uma só vez ,  o feito daqueles pracinhas e o valor das medalhas. As forças militares precisam retificar tal e de uma autocrítica quanto ao passado antes de pensarem em voltar a atuar na linha de frente política , sob  pena de mais desgraça nacional. (Maior guerra civil não declarada , desde logo, e de quebra voltarem aos braços americanos , traindo seu país e povo , armas nas mãos , contra ele) .

         (E atenção – isto no momento em que o Império , mostrando seus interesses, primeiro via CIA , há pouco , requentou fatos do passado, de décadas ,  para tentar desmoralizá-las perante a opinião pública, jogando-as contra o povo e famílias de antigas vítimas do regime militar-  quando exato elas  reaparecem de forma mais ostensiva na sociedade(cf. arts. neste site) . Mais- agora, via sua mídia ,a  Rede Globo à frente(programa humorístico, de grande visibilidade )  , persiste nessa tentativa de desmoralização utilizando  até programas humorísticos, atores com uniformes da cor dos das forças terrestres.

                 O Império não poderia ser mais claro em seu recado aos militares e ao povo brasileiro – querem os militares fora da política e do poder .

         Pagam os militares , ou  melhor, fazem o povo brasileiro pagar por eles ( e ele  terá que pagar por muitos anos, talvez décadas ), por erros estratégicos anteriores cometidos  quanto à defesa e segurança da Nação , sua função precípua , o que vêm desde sua participação na ação estrangeira do primeiro golpe americano de 1964 .

        Possível, aliás,   desde aí  vitoriosa a agressão contra o governo até então legal, ter-se decretado e projetado o fim de uma nação brasileira soberana . (Assumiu-se a estratégia/geopolítica  de Golbery, serviços secretos e de informação , este  aliado americano subordinado , pois “quem financia controla” , desde seus estudos em Fort Leavenporth ,EUA 1944 : elo assumido entre americanos  e golpistas/contrarrevolucionários , vitoriosos,desde 1964,  cujos resultados mediatos de suas ações podem ser vistos , hoje, no  calamitoso Brasil à nossa volta ).

          O ESTADO ANORMAL E DOENTIO

 

            Tudo  estrambótico para qualquer país e sociedade minimamente consolidada e “normal”  , vivendo  num estado democrático de direito tradicional , revelado tanto na formal  expressão da crise em curso (disfuncionalidade das instituições ) como nas suas características , caso das oscilações  constantes da Justiça , inclusive no seu mais alto nível, o STF . Este dividido, funcionando anormalmente, gerando uma situação de insegurança jurídica .

              Véspera de importantes eleições . Tais fatos ocorrem , enquanto outros passados, negativos para o país , se evidenciam, em momento o mais inadequado – revoltas em presídios vários e conflitos  com o governo da Venezuela , que ameaça cortar a energia elétrica que fornece ao Estado de Roraima, atrasado em pagamentos (30 milhões de dólares), o  que por certo era desconhecido pela maioria dos brasileiros), discutindo-se  intervenção federal  por lá. Um estado autodenominado federal falido, disfuncional,   intervindo em outro , também falido e disfuncional.

               O que é mais grave , estranho , com um preso comum  popular , tipo um Barrabás ( quando da condenação de Cristo,  na Judeia, há centenas de anos )  , candidato a Presidente da República , que da prisão intranquiliza a sociedade, confunde as esquerdas e democratas, inclusive os poucos democratas sociais restantes  – ameaças , boatos, recursos internacionais falsos ,críticas desmoralizantes a membros do Judiciário , sem provas ,  xingamentos, mentiras as mais cínicas e  descaradas . ( Isso não é oposição local nem ao Império).

Embora lulopetistas  e se intitulando à esquerda, nem uma só palavra contra o Império do Capital  /EUA, sequer contra a administração Temer , e ainda aliados a oligarcas tradicionais (Calheiros, Sarney, Eunício, Nogueira,Barbalho , Lobão, etc.)  . Só estes fatos revelam o que há por trás, o caráter real do lulopetismo e de seu líder neoliberal, que seus adeptos não percebem – ou não podem perceber, face aos interesses  envolvidos (do bolso, empregos, cargos, verbas) .

           O Judiciário , por sua vez , sem sequer a tomada de medidas judiciais aparente  cabíveis ,  contra a descrita situação e o condenado e seus adeptos , ousados e provocadores . Muito ao contrário,  parecendo ceder , ao  menos em parte, a eles , caso da segunda turma do STF – sensível  a pressões políticas e expectativas dos lulistas, talvez sonhando com mudanças no poder administrativo, com a vitória dos petistas ou aliados ou prepostos  . Capaz de inventar qualquer argumento ou interpretação jurídica.

               O que significa  situação anormal tendo como foco o tradicional o pseudo estado democrático de direito , este mostrando idiossincrasias  diversas  e não efetividade das normas jurídicas –ou seja , um não cumprimento delas pelas autoridades  incumbidas de fazê-lo. O que aparece mascarado pela morosidade da Justiça ,  sigilos do Judiciário, adiamentos, pedidos de vista de processos,  que duram anos, falta de prazo para decisões judiciais.

Os lulopetistas, o líder evidente envolvido em ilícitos diversos, beneficia-se do estado fracassado descrito ; dos substitutos de Lula e Dilma no poder, antigos compadres e aliados, terem  defeitos semelhantes  aos deles ; da morosidade da Justiça quanto a outros processos que envolvem o líder neoliberal , ele podendo fazer-se de vítima e ainda não ser atacado por ninguém – todos querem beneficiar-se de alguma forma da popularidade dele, pensando em herdarem votos, gente à direita e à esquerda, assim calados sobre ele ou defendendo-pouco que seja.Muitos corruptos, respondendo a processos, buscando união , acordo para futura anistia ou indulto ou alguma forma de escapar da prisão.

Os políticos omissos , ou coniventes,  os membros do Judiciário silenciosos ,suportando provocações , sem nada poderem responder – afinal , precisam ser imparciais. O político preso é beneficiado, fala sozinho, defende-se , autopromove-se , transforma sua hipotética cela , prisão, em escritório eleitoral .  A Justiça acuada , o povo confuso, ele beneficiado, os coveiros do Brasil – rindo.

              Notam-se decisões políticas e propostas legislativas  (assumidas  e depois retiradas – por Temer , Presidente ) , inconstantes e confusas ,  fora da política tradicional .Na Justiça, casos de soltura  de políticos e empresários importantes,  num dia, sendo presos dia seguinte e  soltos dias depois , novamente . José Dirceu está  solto e o foi  pela famosa segunda turma do STF, embora condenado há mais de 30 anos de cadeia –  e solto por um “habeas corpus de ofício” .

Do mesmo modo,  vê-se  aprovação e depois  anulação de delações premiadas e depoimentos de acusados , alguns contendo provas e indícios de infrações penais cometidas , por importantes líderes políticos .Os acusados com todo o tempo do mundo para pesquisarem, consultarem, ameaçarem, pressionarem testemunhas, acalmarem a situação.Inclusive o líder populista neoliberal.

           Essa  situação repercutindo direto  não só nas  próximas eleições como , além delas,  no  futuro  do estado (formal )brasileiro .

      QUATRO

         DEUS E CRISTO

SALVARÃO O BRAZ$L?

 

 Resultado de imagem para biblia         Problema já proposto e incrustado na política brasileira –  o religioso , evidente e na ordem do dia, como referido . Assiste-se religiões promovendo dezenas, centenas de milagres nas redes de mídia ,dia a dia ,  enquanto Cristo promoveu uns poucos – que o levaram a ser considerado provado Filho de Deus .  Evidente charlatanismo que sequer é  punido , como no passado . Assiste-se centenas de “milagres”, pastores e missionários à frente, pela tv , dia e noite – gente largando cadeiras de rodas, cegos enxergando , cânceres desaparecendo , além de aids curada.

            Qual o resultado de tais possíveis fraudes , no comportamento de  massas populares as mais simples ? Adesão , para começar , a essas igrejas e crença na palavra de seus pastores e missionários – muitos com ligações políticas diretas ou indiretas. Alguns , como os da Igreja Universal , direto envolvidos em projetos de poder .

          O exposto tem sido  aceito já com normalidade por autoridades e   pela população , dispensando-se provas e investigações , assim como os assaltos e tiroteios diários ou o funcionamento ilegal do jogo . Caso  de um dos avós de toda a criminalidade carioca , vivo , lépido e fagueiro em toda parte –  o “jogo de bicho”, agora na mão de netinhos ou bisnetos  criminosos de seus fundadores  – tradição  que continua ativa, integrado com outros crimes, abertamente, em  ruas do Rio e outros estados . O que revela o nível de corrupção e criminalidade  consolidadas  e protegidas  por agentes do Estado , sem o que já teriam sido reprimidas , sumariamente .

           Retrocesso , no caso dos apelos religiosos,  em contramão ao estado laico legal , agora mais via igrejas evangélicas do que católicas. Estas continuam atuando, inclusive no PT  , tudo indica, embora apenas de forma residual, mas via milhares de quadros das CEBS , engajados há décadas com o lulopetismo .

            O apelo religioso introjeta-se na política,  agora na campanha presidencial.  Um candidato , Bíblia na mãos (Cabo Cacciolo), outros trocando versículos bíblicos entre si (Marina e Bolsonaro ) . Até Ciro, mais à esquerda ,  citando ações enérgicas  de Cristo , na Bíblia também,  para justificar-se e a seu gênio, pelas críticas recebidas – afinal,  o eleitorado religioso é enorme  .

             O pior é que tais temas religiosos não têm sido   debatidos, abertamente, de forma séria, mas aparente  só bosquejados pelos candidatos, com o objetivo de angariar votos , de passagem,   e talvez ferir ou cutucar outros candidatos porventura não religiosos – por isto , mostrarem-se religiosos , aqueles seriam mais confiáveis na política  ? Um Cunha ou Garotinho parecem desmentir isso . Tratar-se-ia de um retrocesso quanto à democracia , se recordarmos a história dos povos , e  contra a pretensão e legislação dos  estados laicos . Um passo atrás .

           O objetivo dos candidatos , na tv ou indo a cultos , seria explicitar  –“ eu sou candidato e  religioso , como muitos de vocês,  espectadores  , e por isso mereço confiança política especial  e seus votos – e quanto a vocês outros , candidatos rivais  ?” Indagação implícita, de foro íntimo , pontada de faca política e religiosa , capaz de produzir danos mortais a campanhas políticas ? Talvez .  São conhecidas as eleições  perdidas , ou ganhas , por razões religiosas, mesmo aqui, Brasil –  caso de FHC , há anos, quando  candidato à prefeitura , São Paulo. Lado oposto,vencedores Crivella e Garotinho.

           Em hora de  crise tão séria e da necessidade de difíceis decisões , incentivar-se a demagogia religiosa seria dar mais  motivos para divisão entre brasileiros – tal interessa a quem ? E num estado pretensamente  laico, legislação em vigor ?

           Cabo Cacciolo  e  Bolsonaro, candidatos militares ,  clamaram pelo apoio ou auxílio de Deus  , assegurando fidelidade , dirigiram-se aos céus(logo eles, militares, mais lobos que carneirinhos)   . Estariam desistindo de soluções terrenas, através dos homens, do próprio povo ? Em parte sim, ou ao menos estariam manifestando dúvidas a respeito – o auxílio de Deus seria prévio e fundamental. Então, não deveriam orar mais , como tem feito  Cabo Cacciolo , no alto de um monte ? Ou , se o Divino tudo pode,  e está acima de vergonhosas e até ridículas eleições, por que não só orar ?

             Crivella , Prefeito do Rio , já enveredou por esse caminho, com apelos e orações, sem êxito , o Rio em crise geral. Depois, foi além – discriminou segmentos não de sua religião ,  em casos que envolviam a saúde e vida humanas , considerando que “seus religiosos” seriam mais dignos de auxílio que os demais, merecendo preferência. Sua administração é tida como fracassada , o Rio em situação catastrófica. O MP até interviu .

            O PESO POLÍTICO DAS RELIGIÕES

 Resultado de imagem para candidatos a presidente evangelicos

           Essas questões não são de menor importância,  como poderia parecer à primeira vista– o peso das religiões(que remontam milhares de anos, incrustadas nas mentes dos humanos )  vem-se fazendo sentir , direto, na política brasileira, de longa data , estando claro que algumas igrejas estabeleceram estratégias  para crescerem , com direção política.

             Estão presentes bem à nossa frente e dificultando saídas para o atual labirinto em que está metido o Brasil , Lula e o Partido dos Trabalhadores , resultado direto e comprovado de antiga estratégia e intervenção da Igreja Católica na política brasileira, década oitenta . (Não foi sem sentido ,pois, os lulopetistas terem ido pedir, recente, auxílio do Papa , em nome de Lula ).

              O ‘PARTIDO DE DEUS’ E SEU LÍDER                        

 

              A importante análise de Mir é antiga – “Partido de Deus “…,  que transmutou-se nesse PT ,que não é sequer partido de classe, nem mesmo partido , no sentido tradicional (cf. outros arts.)  , liderado por Lula ,  condenado e preso , em  Curitiba.

             Os brasileiros, em geral, todavia ,  sequer entenderam  ou entendem esse aspecto e outros, origens, razões exatas  da prisão( crimes) ,  táticas petistas, da cúpula e de Lula , o que se passou e  se passa na política , algo além do contido em  informações genéricas da mídia, face book, tudo resumido. Lêem e estudam pouco. E por vezes material deturpado por omissão ou distorção , pela falsificação da História, desinformação e controle da informação,  nas suas fontes .

Entre outras razões (cf. abaixo a questão da Justiça ) , face à  manipulação ideológica da opinião pública brasileira , por  décadas (à direita assumida, lembre-se , por exemplo, o alardeado “milagre brasileiro”, no governo militar de Médici ; à direita , mascarada de “esquerda” , recordar-se o próprio Lula , no “mensalão” e “petrolão” ; e ,ainda ,a falta de educação do povo brasileiro , em geral ,  e de educação política, em especial ).

        ( O que , em parte, implica e explica o maciço desvio do povo – da participação /execução de atos políticos em direção a atos criminais ,   também atos políticos , em essência, mas  implícitos  , indiretos ).

            De qualquer modo , note-se que à deterioração dos partidos e da representatividade política correspondeu uma ascensão rápida da criminalidade.

             Brasil . Grandes massas populares  fixadas ainda em memórias ,   e falseadas , do passado ,  nos próprios interesses em milhões de  bolsas-família, “o maior programa de compra de votos do mundo” (segundo o Deputado emedebista Jarbas Vasconcelos ) , caridade tipo cristã , assistencialista , incapaz de mudar estruturas arcaicas, mas capaz de confundir  os beneficiados quanto às origens das benesses .

              Aquelas massas  , de outro lado,  desconhecem  a face oculta neoliberal de Lula e seus lulopetistas , bem além de seu   assistencialismo neoliberal modelo ONU( África)  . Esta face semi-oculta lulista concedeu a ricos empresários brasileiros e a empresas estrangeiras isenções tributárias e empréstimos , a juros subsidiados,  em valores muito maiores que os dessas bolsas-família, ou seja, muitos mais bilhões de reais para empresas multinacionais e outros  (as “bolsas-empresários” ) .

             Uma política tão aberrante , que , à época ,  um aliado de Lula ,  o notório e hoje condenado Maluf , estranhou, considerando-se , politicamente, “comunista perto de Lula” e lembrando que a política dele  fora além da pregação liberal até de Roberto Campos, um dos avós do liberalismo brasileiro , década sessenta, com Eugênio Gudin , os pilares defensores das bases da política econômica americana para o Brasil, implantada após o ‘”golpe” inicial de 1964 .

           Lula e PT  resultados de estratégia religiosa bem sucedida (lembrar) e bem à nossa frente, nessas eleições presidenciais  – causando problemas e tornando confuso , para o povo brasileiro, o entendimento do que ocorre  , inclusive a prisão de Lula por crime comum e ele , mesmo assim, candidato a presidente . Para isso, os lulistas recorrendo a mentiras vergonhosas  e ardis diversos, verdadeiras molecagens, nenhuma política oposicionista de nível  (tentativa de soltura de Lula ,  fim de semana, um domingo, por amigo petista , juiz não habilitado para tal ; berros coletivos lulistas  de que “não houve provas”, na sua condenação ,  quando houve  inúmeras , documentais e testemunhais ; apelo a comitês da ONU , mantendo posição oposta à que pregava  , recente, a administração Dilma ; xingamentos , na rua , por grupos, de adversários, de passagem  ; agressões a discordantes , inclusive jornalistas ; etc. ) .

            Aproveita-se , Lula/PT , da corrupção , fragilidade e fracasso do corrompido e desestruturado estado brasileiro, e seus dirigentes (Temer e outros,  aliados de Lula ,até pouco tempo atrás  ) . Situação pela qual os lulopetistas são diretos responsáveis, mas que usam para redimirem-se e justificarem suas ações criminais e ilegais, do mesmo tipo das praticadas por aqueles. Além disso, atribuem todo  o desastre nacional aos atuais governantes e não a eles , os anteriores. A memória fraca do povo ajuda a enganação. 

         Ou seja, de quebra o lulopetismo ainda culpa Temer(antigo vice-presidente de Dilma ) e sua equipe por toda a calamidade em que se encontra o Brasil. Cinismo absoluto, jogando para o presente , para um público cativo e muitos ignorantes,  sua falsa  versão dos fatos , acreditando que tal narrativa falseada poderá prevalecer ad eternum .(Por certo contam , para isso,  com seus criadores , o Império do Capital, a Igreja Católica, etc. , esquecendo que o contexto mudou , existe forte Internet e que nem todos são corruptíveis ou ignorantes ou se intimidam com gritos neofascistas , caso de Petras, Mir e outros intelectuais , incluindo religiosos católicos honrados , capazes de enxergarem ilícitos óbvios  cometidos ).

             Bem estudada a ação política da Igreja Católica , via Lula e PT , que chega a nossos dias e às urnas, mais uma vez,  em breve , caso da “construção”,  por ela ,  do próprio  Lula e  do PT, inclusive com o trabalho político crucial das CEBS a favor deles .  (Mir, Ib.) .

                 Ação compartilhada , é verdade ,  com o Império Americano , que , provado, a apoiou , via consulados, serviços de informação  e embaixada local   – ambos  essenciais   na afirmação e proteção  de Lula e do petismo , durante décadas , coadjuvados pela  big mídia local e internacional, no Ocidente controlada justo  pelo  Grande Capital .

               Os resultados dessas  políticas  repercutem até hoje e explicam o alto índice de popularidade de um condenado pela Justiça , Lula, mesmo  após tantos escândalos , do “mensalão” ao “petrolão” , e a segurança vista nas ações dos lulopetistas em defesa de Lula , eles muito bem assessorados . A ver:  Igreja Católica ; Império do Capital e seus tentáculos, inclusive subterrâneos  ; Big Mídia ; estrategistas estrangeiros ; AFL-CIO/ EUA e suas ligações( CIA ,etc. Cf.Agee,P.”Diário da CIA”, entre outros ), onde Lula estudou ;  deputados americanos e locais ; órgãos internacionais da ONU , entre outros meios . ( Em resumo, a imensa teia de poder do Império(EUA).

              Note-se que o lulopetismo  resiste a fatos e  verdades , nào faz nenhuma autocrítica, nega tudo, seria imune a erros , o que parece indicar- a nada  pode responder , fora  reconhecer, o que não pode ou quer, pelos prejuízos ,  em bola de neve rolando , pois não tem argumentos  .

Assim, ataca desesperado,  os ataques a ele quase sempre contidos , com eficiência , o que mostra(1)  a força política existente sob ele , oculta ,  de seus planejadores,  construtores , assessores e auxiliares na execução política  , resultados  à nossa volta ; (2) que o Império, de várias maneiras, ainda pretende preservá-lo , e o faz, como um trunfo político, e o usará , ainda, se puder ,em que pese desnudada sua origem e construção . Talvez como reserva passível de entrar no jogo, a qualquer momento, via STF , conforme o andamento da campanha presidencial em curso e demais eleições , em que o Brasil está envolvido.De qualquer modo, mantém-se a expectativade poder que o fortalece.

               Os brasileiros suportam uma sociedade caótica, um estado disfuncional, partidos que não são sequer  partidos , líderes corruptos como os citados , e ainda assim autoritários, tudo organizado de cima para baixo, partidos cartoriais , mais  inflação, Justiça de exceção , altamente politizada , dívida pública e dívidas pessoais, o país endividado e dominado, sem ocupação de território  (quanto a estes últimos pontos , cf. Bobbio, analisando o “poder invisível’, em “O futuro da democracia” ;  e  Ellen Wood”, Império do Capital”). (Estas questões serão melhor  desenvolvidas adiante, pela sua importância . Cf. outros arts. neste site ) .

 

          CINCO

                A ESQUERDA NÃO COMUNISTA

                E NEOLIBERAL

 

              Vencerá ? Está  disputando votos, com Lula à frente , mascarada é claro, enganando  militantes e massas  . Mais uma invenção brasileira, na verdade americana e da Igreja Católica, em especial . Uma pseudo ‘novidade’ política para dar alternativas de “esquerda democrática” ao Brasil  – Lula e o PT  ( desde décadas atrás ,  uma  “esquerda”  nada  comunista , ou socialista ,de fato , afirmação neoliberal americanófila,  muito bem construída , vitoriosa ).

[  Para entender,  basta ressaltar e imaginar  a força política sob Lula , necessária para , ainda hoje, manterem  Lula e o PT na posição em que se encontram , depois de todos os escândalos e da política neoliberal mascarada deles  , e até declarada , na famosa “Carta…”, de 2002  . Manteve Lula uma política neoliberal, enquanto criticava o neoliberalismo, política falsa  já desnudada ,em 2003, por Petras e outros , política  continuada e aprofundada depois  (Petras, “Brasil Lula Ano Zero” e outros ), cinicamente,  por  mais de década . Lula. Foi sempre preservado de processos judiciais  , ‘blindado’ , embora indícios e denúncias contra ele  (isto face ao  estado de exceção vigente, há muito ) , prestígio mantido apesar de todos os escândalos , que se sucederam quase que desde sua primeira  posse como presidente(2002) .

 

 Só um grande poder como sustentáculo  poderia conseguir isso( para tal usando todos os seus vários recursos )– estrategistas de alto nível, muito dinheiro, dólares, corrupção , uso de serviços secretos e até mortes. (Como ficou a punição do assassinato e sequestro  do prefeito lulista Celso Daniel, em São Paulo ? O irmão dele envolveu, em sua morte, de público, na tv, o PT e vários seus líderes, ficando tudo por isso mesmo ) . Lula, a par disso, com altos índices de popularidade , ainda hoje  atrai todo tipo de oportunistas, como aliados , seja para aproveitarem-se de seus votos, candidato ou não , seja pela expectativa de poder – será eleito ou , ao menos, um  seu candidato, no caso Haddad  ? ].

 

               De fato , em essência , Lula e PT e PC do B  apresentaram-se , desde décadas 70/80 , como  atrativas ‘iscas políticas’ lançadas, em direção às então esquerdas , com êxito ,  pelo Império e aliados locais .  Em outras palavras , projeto americano/brasileiro/religioso de poder , lateral , de longo prazo, investindo na ” oposição” , estratégico,  para resolver de vez o problema das esquerdas brasileiras , longevas, oriundas do velho PCB, incomodando o regime/EUA , desde 1922, PC do B , original, com tradição, pois,  e até então não ainda anuladas pelos serviços secretos / Império  .

            Perceberam os próceres do  Império e aliados locais  que , do velho ‘partidão’ , saíram quase todas as correntes de esquerda posterior atuantes , inclusive as que , a certa altura, tomaram em armas, o que deve ter assustado o regime terrorista local e seu mentor estrangeiro  . Assim, optaram por , de um lado,  massacre e destruição de alvos selecionados, partidos/lideranças comunistas  ; e  de outro, por jogarem  uma apetitosa e suculenta  ‘isca política’  ,  em direção às esquerdas com fome de poder  ,  derrotadas pelo regime terrorista, sem perspectiva   – anistia, legalidade, novos partidos à esquerda, “liberdade” , eleições , etc.

Elas , carentes , ‘esfomeadas’ e derrotadas, logo engoliram as ‘iscas’ – políticas, a começar pela anistia distorcida ,legalidade e Constituinte conveniente aos vencedores ( Congresso Constituinte) .O que , hoje, com muitos dados ,pode-se perceber. Não há quase 40 anos , neurotizante, confuso e eufórico  clima político – reconheçamos .

Projeto brilhante e bem sucedido dos serviços secretos /Golbery/Geisel ,  que liquidou as esquerdas nacionais , e o Brasil soberano, até hoje apresentando resultados promissores para seus idealizadores , como se vê nessas eleições.  O Brasil parece ter sido laboratório de pesquisas e testes para o Império, desde a década sessenta – a maioria bem sucedidos .

         2018 /ELEIÇÕES –

SOB O MANTO DO PASSADO

             Resultado de imagem para 2018 /ELEIÇÕES

               Lula candidato a Presidente, do PT ; Vice – Manuela, do PC do B … Até com possibilidades de vitória , como vimos acima , e não pelas razões mais aparentes, mas pelas invisíveis, da essência, como analisado.O Império ousará tanto, a essa altura? Depois de tudo que o Brasil passou, toda essa trama parcial desnudada ?

                Sim, pode ser- STF ( sob pressão imperial irresistível , Tofolli, Gilmar,Lewan , Mello …) soltaria  Lula nos próximos dias, apoteose, dólares,propaganda – ele eleito, angústia , indulto ou outra solução e a vida continua …Claro que o Brasil quebrará de vez e se dividirá mais  ainda,  logo adiante .Mas a intenção ,nesse caso, não seria essa mesmo ? Viável caminho, como outros, do jeito que está o país . O Império pretenderá isso? O futuro eleitoral imediato está nas mãos dele , que agirá conforme  suas necessidades estratégicas .

               O passado no presente , todo ele, religiões, partidos, antigas “iscas” políticas do regime terrorista , 50 anos  depois ?

               Aquela “isca” , disfarçada em propostas democratizantes(caso da “anistia integral e irrestrita”, que beneficiou mais militares torturadores que torturados )  e modernismo político  , foi lançada em direção aos derrotados , muitos recém-saídos da prisão ou tortura , tendo sido  mordida , em especial , por  esquerdistas e “comunistas” .

               Estes quase sem opção, desgastados, doentios, cansados , despreparados, derrotados , a maioria oriunda  das velhas bases do partidão ,  antes massacrados , pessoal e politicamente .(Veja-se o caso de Lamarca, morto, covarde e miseravelmente, elemento sem maior formação política , embora esforçado, que teve sua admissão anteriormente negada pelo PCB de seu tempo, antes de enredar pela luta armada.Comportamento dele – em Mir, “A revolução impossível”).

                Alguns esquerdistas, depois aderentes ao PT , confusos , a considerarem  serem eles, os adeptos  da luta armada ,os conquistadores responsáveis pela distensão política e democracia embrionária , via “diretas já”, etc. ( Quando ocorreu exato o contrário – serviram de justificativa , perante a sociedade , para mais repressão e consolidação do regime terrorista) .

                 Não entenderam que o tal projeto,  antes de distensão e depois democracia controlada , originou-se no próprio regime terrorista , que recuava,  taticamente, e de seus mentores estrangeiros, estratégia e táticas bem planejadas . Embora com dificuldade de controlar suas bases despreparadas à extrema direita nos porões dos quartéis .(Cf. neste site arts. diversos , com referências . Há estudos vários nesse sentido ).

 

                  CALVÁRIO DAS ESQUERDAS

 

             ‘Isca política’ , PT e PC do B legais ,  assinale-se , deliciosa , em especial depois de perseguições, cassações, torturas, censura , assassinatos  . Consistia num misto de anistia, legalidade , política de esquerda à luz do dia , isto é , legalidade para todos os comunistas,  fim das perseguições e , de quebra, oferecendo-se, à “esquerda”,  um PT “esquerdista “ novinho em folha  e ainda um PC do B, recauchutado . Ambos à escolha dos ‘clientes’, conforme o gosto , mais ou menos esquerdismo ou comunismo.

             Daí em diante , o controle das esquerdas pelo Estado seria o tipo americano, exitoso – (1) controle genérico ideológico , via mídia , escolas, cursos, igrejas, etc. ,dentro  da tradição ;  e (2) via agentes infiltrados  nos partidos e movimentos legais , com acompanhamentos por escutas sofisticadas câmeras ,  etc.  Repressão só utilizada em casos imprescindíveis e de forma a mais mascarada possível . Tudo dentro dos padrões mundiais dos serviços secretos. (“Por dentro da CIA”, ver  P.Agee, p.e.) .

           Este  último partido , PC do B,  autointitulado comunista, apegando-se a jargões antigos , sempre à disposição de comunistas mais radicais ,  e rejuvenescido por castrações, troca de órgãos, implantes , plásticas políticas neoliberais, com novo cérebro e articulações, desde o massacre de suas antigas direções. (Rearticulado após ter sua tradicional direção massacrada na Lapa , 1976 , e no Araguaia).

              [ Não se conhece bem como foi feita exato tal rearticulação do PC do B, após seu desmonte pelo CIE/CIA, serviços secretos ,década 70 ;  pelo menos , não conhecemos detalhes específicos a respeito. Sabe-se que houve elementos afastados , “por falarem demais” , e há nomes,  dos acusados de terem dado informações ; anos depois,  foram reintegrados como dirigentes, tomando o PC do B  estranhas análises , desde aí. ( Gorender, Pedro Pomar, etc.)  .

(Todo o partido foi desnudado e desmontado via tortura de alguns   dirigentes e colaboração “pacífica”, voluntária (?!)  de outros, como Jover Telles, comunistas de décadas, fundadores do partido ,  que dissecaram toda a estrutura partidária anterior , estado por estado )].

             Em suma , sabores mais ou menos apimentados , à disposição das esquerdas , dos derrotados ,  década 80,  do que sobrou da velha AP , que não aderiu ao PC do B, de Honestino e outros, e do PC do B , com antigos membros aderentes vindos da AP, e da ALN , em especial , entre outros .Além disso, foi permitida , pelo regime , em mutação, a  organização de outros partidos comunistas mais fracos , partidos à esquerda , possível controle programado via legalidade e infiltrados.( O PCB transmutou-se em PPS , minoria dissidente buscando manter o velho PCB ).

          Todos  esses  à disposição , na legalidade, dos esquerdistas teimosos , resistentes , após o massacre dos mais recalcitrantes e não recuperáveis,  segundo o Império do Capital e srviços secretos locais ( o que foi feito , inclusive, de forma sistemática , com provocações e infiltrações , que levaram muitos à morte. (Cf. Palmar, A. , “O que fizeram com nossos mortos ? “.

           Agentes do regime , infiltrados entre as esquerdas, alguns ex-esquerdistas que tornaram-se colaboradores/informantes, “cachorros” , década setenta, visitavam e convidavam militantes sobreviventes a engajarem-se em ações armadas ; caso aceitassem,  acabariam mortos , em armadilhas, o que ocorreu com vários. Id. ) .

         Poucos não morderam essas “iscas” do regime terrorista, enquanto outros já trabalhavam , em silêncio para ele, desapercebidos , vidas poupadas só por isso, pois pegos com armas nas mãos – o que significava pena de morte informal. (Palmar,Ib.) . O regime militar , na verdade , o vencedor das esquerdas – e por nocaute ou WO . Jogou ,entre outras , 2 iscas políticas – a  primeira,  mortal, convidando derrotados a pegarem em armas  ;  a segunda , aparente suave ,  agradável, admitindo até pensamentos em futuras lutas armadas hipotéticas, , só não  naquele  momento  : uma esquerda à vontade, transparente,  marxista ou não marxista, palatável, admitindo tendências, legalizada  – prato apetitoso para agentes infiltrados, modelo americano bem sucedido .

 

            OS DISCORDANTES À ESQUERDA

 

          Discordantes ? O mais destacado , Luis Carlos Prestes, calejado pelo passado, experiente ,  que , ao contrário,  denunciou muito disso, a começar pela anistia – mostrou o outro lado dela , o  “comunismo só de nome” do novo PC do B, a institucionalização dos valores e receitas do antigo regime terrorista na Constituição  , etc.

            ( O que adiante  restou comprovado em inúmeros estudos, embora ainda hoje , por motivos óbvios, tratar-se de perspectiva de minorias ) .

           Prestes denunciou tais desvios à direita e alguns ardis e terminou alijado do velho PCB, num processo que ainda cabe melhor estudar . (Cf. “Prestes, um comunista”, de Anita Prestes ). Giocondo Dias , PCB então ,  esteve com o general Figueiredo acertando ponteiros , de madrugada , quando da “abertura”política e transição  em curso, o que fala por si  ;  nos moldes, paradoxal , de Vernon Walters, americano da CIA , que , vésperas do primeiro “golpe”estrangeiro de 1964 , visitava o General Castelo Branco , futuro “Presidente do Brasil”, também nas madrugadas. (Cf.”Castello A marcha para a ditadura ”, Lira Neto ) .

               Em 1964, o “golpe” estrangeiro inicial vingou, desde logo  –   comunistas e esquerdas perseguidas ; em 1983, a “anistia ampla e irrestrita” , e outras medidas propostas pelo regime terrorista,  em retirada do palco principal político, também vingaram , inclusive Lula e o PT e o PC do B, todos bem sucedidos , como vemos até nessas eleiçõe/18.

            Lula tornou-se até Presidente  da República(?!)   , elegendo governadores, prefeitos , dezenas de deputados , etc. Outros partidos aliados , à “esquerda” ,  recheados de deputados federais e até governos estaduais .

         PSTU e PCB , por exemplo, fora do esquema citado ,  não construídos nem rearticulados, nem tão bem operados pelo antigo regime,  não têm hoje um só deputado federal. Quer dizer, o PC do B  têm diversos, mais prefeituras e até governo estadual . Os outros nem um só deputado .

              Por quê? Muita incompetência política ou as explicações anteriores elucidariam , em essência , a questão ?( Que, aliás, está à frente de todos , em 2018, e de interesse especial  das esquerdas , sem aspas ) .

              Quanto a Prestes, perseguido pelo regime ,  em 1964, direitos suspensos, clandestino . Década 80, Prestes, único líder conhecido discordante daquelas propostas , liderança afirmada entre as esquerdas , perdeu a direção do PCB, ficou isolado , teve  recusada candidatura  a deputado federal pelo PMDB ,  PT e PDT , sendo  impedido de falar em vários comícios . (“Prestes…”, id. ). Já o PT e o PC do B cresceram, política e eleitoralmente ,  e chegaram ao poder  .Por que  mesmo ?

O PT , mais palatável a esquerdistas e povão , até de início incentivado por Golbery/Geisel, puxando as esquerdas e “esquerdas” .Portando-se como o dirigente delas , Lula à frente ,  desde então, afirmando-se  a corrente interna dele e de Dirceu ,  uma direita mascarada de esquerda ,  neoliberal enrustida ,daí em diante sempre vitoriosa sobre tendências internas mais à esquerda, via cargos , ministérios, poder partidário e estatal.

            Tudo acorde com os projetos à direita antes narrados (década 70),   pelo embaixador americano  Ellbrick a Cirillo , quando de seu sequestro (Mir, “A revolução impossível”) – isto é ,  os EUA pretenderiam incentivar  uma esquerda aceitável para os EUA .

              Em outras palavras, tipo Lula e o PT . Partido que depois os EUA apoiariam , no Brasil , quase abertamente , via Lula , entre outros , até promovendo as greves dele no ABC . (cf. refs. Neste site). Casualidade ou causalidade? – indagariam Hegel e Moniz Bandeira , que responderam sempre pela causalidade.

          2018 – o manto pesado do passado, até o que parecia mais leve pós-regime terrorista, ainda sobre a política brasileira .  Lula , criminoso evidente condenado fazendo-se de vítima , em que pese sua condenação e outros processos existentes contra ele,  falcatruas denunciadas por diversas testemunhas . Toda a mídia concentrada quase que só nele, à frente das pesquisas . Eis aí , bem claro, o peso de uma religião , e suas bases , direto na política nacional, influindo em seu coração e cérebro , embora  verdade com auxílio comprovado do Império , dirigido pelos EUA.

[ Lula e o lulopetismo mascarando-se sempre de inocentes, injustiçados, vítimas de perseguição à direita , do FBI e CIA(que os apoiaram no passado, apoiam agora e aos quais eles próprios recorrem direta e indiretamente , via deputados, órgãos estatais, ONU , etc.) (Cf. editoriais de jornais americanos, presença do ativista da AFL-CIO, EUA(onde Lula estudou) , Dany Glover, no Brasil, diversas vezes . E com uma estratégia de marketing de alto nível , que provoca a indagação – de onde vem ,desde que está havendo logística , execução de alto nível,  em cada etapa ? Do Dirceu, da  Gleici , do Lindbergh ou …pensar… ) .

        O PESO DAS RELIGIÕES

       Estamos prestes a enfrentar , ou já enfrentando , além do caso dos lulopetistas  , religião ao meio deles há décadas, outro problema similar, mesmo gęnero, espécie diferente, agora religiões evangélicas , algumas igrejas novas , muitos adeptos, bem organizadss , e  pretendendo papel crucial  nas diretrizes do Estado Brasileiro . Pretensão , por certo , incentivada pela disfuncionalidade e fracasso político e econômico do Estado  , além da falta de legitimidade da representaçâo política. Os vácuos de poder, contradições evidentes, disfuncionalidade estimulam participações e desejos de mudança dos bem sucedidos antes em outros setores.

          Religiosos  a tal ponto de participação( Parlamento, prefeituras, governos , presidęncia) , representando também poderosas igrejas , significariam garantias para  mais paz e união política nacional ou estímulos para graves divisões sociais  ? Paz ou união não  foi o que vimos no passado  ocidental dessas religiões , mas disputas ferozes pelo poder e até massacres famosos entre elas , como o da famosa Noite de São Bartolomeu, na França .

Ou caberia  lembrar a revolução francesa , intrinsecamente anticlerical , fator hoje colocado em segundo plano ?  Embora verdade que passados ímpetos iniciais revolucionários  , e até reformistas radicais , as novas classes empresariais , digamos assim, no poder , tenham se aliado de novo às religiões antes combatidas , usando-as ou aliando-se a elas em seus projetos agora de manutenção do poder   .

       Também não é paz ou conciliação o que vemos , atualmente,  nas propostas fundamentalistas e lutas  propagadas pelo mundo ,com exemplos de terrorismo , inclusive, na Síria , Iraque , Palestina e outros lugares. Os judeus, e Israel, não mostram  qualquer índole pacífica conciliatória quanto aos muçulmanos e vice-versa. A religião  tende a ser um agravante político , um fermento social a mais , e não o contrário.

Inúmeros países o provam , de Israel ao Iran ou aos EUA e Arábia Saudita ou a um Bin Laden .Elas já vêm trazendo  e continuarão a trazer   crescentes  problemas à política brasileira , aumentado seu papel nela , e tendo cada vez mais que serem levadas  em consideração, em especial se busca-se mudanças , caso do Brasil /2018.

            Democratas e esquerdas , em geral, não  têm analisado tais temas , que já jogam e irão jogar logo adiante papel importante na sociedade , nada indica que pacífico , até pela atuação e liderança de certos  “pastores”, líderes.  E mais rápido do que se imaginaria pela crise continuada e falta de legitimidade dos agentes políticos.

              Religiões na política , diretamente , via seus líderes .Estaríamos a caminho   de perigoso patamar de divergências , até agora disseminado com discreção ,  mascarado porque elas no exercício ainda de poucos governos e com uma  bancada parlamentar  de apenas relativa força, mas crescente. O objetivo de participação política , da parte dessas religiões, com candidatos e programas próprios, é evidente- há busca de poder, a religião sendo escada via fiéis e votos mais controlados . Crivella, Cacciolo, Cunha ,Garotinho e outros são exemplos.

          Para muitos , gente  mais simples , só Deus e Jesus salvariam o Braz$l , o que é sintomático, no sentido de revelador . Agora esses já mostram posições claras via Internet e outros meios . A desesperança e desespero pessoal , e descrença em soluções terrenas,  aparecem  nítidas . Uma  perspectiva de quem , embora descrente , espera-se aceite , ao menos , uma solução mista  salvadora, parte vinda dos céus, parte terrena  – “Ajuda-te , ou Ajuda-me , que Eu te ajudarei”. Esta talvez  a posição da maioria religiosa , disputando cargos , verbas, financiadores . Insista-se que até Ciro Gomes, à esquerda, ao defender-se,  recorreu a Jesus  , em duas citações (ações dele contra os vendilhões do templo e quanto ao apedrejamento de adúlteras ).

              Casualidade ou causalidade ? Vários indícios vão no sentido de participação crescente e direta de religiosos, em especial evangélicos , na política brasileira , na continuada crise política. E essa participação não pode ser prevista como pacífica- há precedentes, a Bíblia justifica vários tipos de violência , pastores vêm manifestando-se de maneira  dura , em geral  no sentido conservador. Anote-se o comportamento político de Cacciolo e Bolsonaro. A análise da  política brasileira está obrigada a incluir , nas suas apreciações,  a posição política assumida por diversas religiões, através de seus pastores/líderes , até para que a sociedade não seja surpreeendida .

         SEIS

          ELEIÇÕES DESORDENADAS  :

          “PRESENTES” DAS “ELITES”

 

   Resultado de imagem para lula na cadeia      Essas eleições , a forma como estão se desenrolando  , o clima político, a legislação confusa , o povo estressado , neurotizado .

         Dos candidatos ,  três apelando para religiões , dois de forma acintosa;  um  militar orgulhoso , até pouco tempo atrás nacionalista de direita radical, agora autointitulando-se também neoliberal,  mas exibindo valores de direita talibã , do anterior regime terrorista brasileiro  ( o que ele,  por certo,  nega ), mas está comprovado até por vários vídeos  ;  presos comuns apresentando seus filhos como candidatos (Cabral, Cunha e outros ) ,  com as mesmas anteriores origens e bases e recursos dos pais condenados ; mudanças no financiamento eleitoral , no tempo de campanha(muito reduzido)  , na forma de propaganda – nada discutido com os interessados, ,muito menos com a sociedade, isto é, os eleitores.

             Mas, os destaques maiores , quase absurdos, estão naqueles dados primeiros que antes indicamos(cf. UM e DOIS) ,  faltando realçar(a) um Presidente da República sob acusação em inúmeros processos,  com reuniões escusas no próprio palácio, tendo sido filmadas malas de dinheiro a ele dirigidas – que espera , calmamente, o fim do mandato, para ser processado , e negando todas as acusações exato  como todos os condenados e/ou julgados , com absoluto cinismo (Temer, Cunha, Lula, Aécio , Cabral , Pezão, Paes, etc.)

             E (b) o candidato presidencial Lula preso , condenado, inelegível, com muitos outros processos contra ele, fazendo campanha de dentro de uma sala , na sua prisão na Polícia Federal – e em primeiro lugar nas pesquisas, já que tendo popularidade e estando preso, faz-se de vítima, não é atacado pelos outros candidatos e mídia (todos interessados, por oportunismo, em beneficiarem-se , de uma forma ou outra, de sua popularidade), apóia-se num passado em que foi “blindado”(isto é , protegido pelo estado de exceção existente e pelo poder hegemônico do Império do Capital).

            Este o  candidato, e favorito ,  preso , inelegível , legalmente, condenado  por corrupção , acusado em vários outros processos comuns, tudo indica que mais do que culpado , neoliberal evidente, por sua práxis e declarações, mas taxado e mascarado de esquerda, por seus adeptos , de um lado, e pela grande mídia , o que quer dizer Império do Capital, de outro.

            Como explicar tal ? A indagação volta, recorrente . Ah, e ainda intitula-se não só de esquerda, como líder da oposição, aceito por partidos também autointitulados de esquerda e de oposição. Mas, a par disso , é aliado comprovado das oligarquias as mais conservadoras , elites plutocráticas, caso dos Sarney, Barbalho, Calheiros e outras , não fazendo a menor oposição ao administrador atual , Temer, muito menos ao Império Americano – ignora a palavra ‘imperialismo’ , assim  como seus aliados de esquerda , que se declaram marxistas e  comunistas.(?!)

            Um contexto resultado de  processo político   anormal , que vem de longa data . Mais recente agravado por ações da Justiça anticorrupção(operação “lava-jato”) , parte dela liderada por jovens juízes e procuradores , com oposição de parte da alta cúpula judicial e de todo o “establishment político”, isto é , de quase todo o bloco de poder político dominante .

             Situação sustentada pela  ignorância ,em grande escala , dos grotões mais pobres, beneficiados pelas chamadas “bolsas-família” . Como assinala o deputado  federal Jarbas Vasconcelos, isolado no PMDB , hoje do MDB , e da vanguarda oposicionista à ditadura nos velhos tempos, ressalte-se , “o maior programa de compra de  votos do mundo”.

                    E também sustentada  pela educação popular  deficiente e distorcida ( fato notório)  e  pela tradicional omissão da mídia quanto à real situação do país, durante décadas  , e construção , por ela, de fachadas políticas ,  desinformações, e não informações, fake news numa democracia falseada , incapaz de transparência e desocultamento , o que deveria ser sua  característica básica.  (Bobbio, N. , “O futuro da democracia “) .

           A verdadeira face social, política e econômica brasileira só começaria a ser mostrada , pela big mídia, de forma menos falseada , após as grandes manifestações de rua(“jornadas de junho” , 2013) denunciando toda a farsa do lulismo , já após os escândalos dos quais  Lula escapara antes (“mensalão”), mas do qual não escaparam Genoíno, Dirceu e outros .

           Massas populares nas ruas denunciaram , então , toda a fachada de falso progresso e desenvolvimento lulista ,  que escondia  as mazelas nacionais, que as oligarquias  e seus aliados  tentaram esconder por décadas .

Por último , os lulopetistas , via Dilma, e aliados do bloco dominante de poder, trouxeram ,  para um país sem infraestrutura , já endividado , disfuncional ,  problemático e fracassado(o que estava já evidente na administração Dilma, que o escondia ) ,  e de forma cínica e irresponsável , a Copa do Mundo de Futebol (2014) e , depois , as Olimpíadas (2016) –  eventos integrados a obras superfaturadas , envolvendo propinas e corrupção de todo tipo, presos depois alguns  participantes desses festivais de ilegalidades  (caso de Marin, Lula , Cabral e outros).

 

            OS  CORRUPTOS  E AS  REELEIÇÕES

 

            Políticos , todavia, acusados tanto pela “lava jato” como pela promoção daqueles  eventos, continuam soltos. O mais conhecido ,  Eduardo Paes , cinicamente  apresentando-se como candidato a governador do Rio (falido , perdido , desmoralizado) . Depois de passar por vários partidos (e ele , no PSDB, antes xingar Lula de “maior ladrão do Brasil”, mais tarde  eleito prefeito/PMDB , apoiado exato por Lula), agora  Paes  pulou  para a sigla DEM ,  apoiado pelos velhos parceiros , de forma indireta ( Ou seja, pelos filhos daqueles, i.e. , de Cabral, Cunha, Picciani , etc. – estes presos ).

        Um conjunto de fatos e situações , pois, envolvendo o acima referido e tiroteios, favelas, crimes, “acidentes” como o rompimento da barreira em  Mariana, MG  . Além de  pontes e passarelas , que desabaram ,  estradas deterioradas , que multiplicam acidentes , mais  ausência de liberdade de ir e vir em muitos lugares e diferentes estados – esta pequena amostra do rol de  “presentes carinhosos” deixados para o povo brasileiro  pelas oligarquias , seus partidos , líderes e  seus aliados , às vésperas das eleições/18 .

          Os políticos condenados e acusados tendem a serem reeleitos.

          Clima, situações, fatos estressantes numa sociedade em que o estado mostra-se sem condições de cumprir a legislação internacional com a qual se comprometeu (caso da anistia , por exemplo ) . Ou garantir a segurança ou saúde pública , com hospitais lotados e sem condições de atendimento . O mesmo  ocorre quanto ao ensino , em todos os níveis ,  creches e transporte público  funcionando  precariamente, mendigos se multiplicando , em número cada vez maior  .

Confirmam-se dados e análise anterior .  Tratar-se-ia do  “estado fracassado” , de Chomsky, “Estados Fracassados “, já referido. O Brasil já teria atingido tal status , mas pode ir além , tendo como modelo um enorme Haiti  .

         SETE

 A JUSTIÇA COMO SOLUÇÃO –

                  E EMPECILHO

 

          O líder preso,  colocando-se nas manchetes ,como vítima , uma  constante dificuldade, em que pese condenação com provas e testemunhas – grita o oposto secundado por militantes , boa parte remunerados, pelos cargos exercidos no partido.  O processo eleitoral  em curso  dependendo de decisões judiciais , oriundas de  Justiça , com a legitimidade contestada  – e  sobre um candidato, preso por crimes comuns . Candidato que ,  obvio  culpado , usa em sua defesa  a falência do estado, a barafunda legislativa e  a corrupção  .(Inclusive de seus substitutos , antigos aliados e parceiros ). Vale tudo na tentativa de escapar à prisão.

          O objetivo seria  afirmar sua candidatura e escapar da prisão , usando seu  prestígio eleitoral como bala de prata burlar a Justiça(onde indicou as mais altas autoridades – 8 ministros para o STF  ) .Esta  o condenou,por crime comum, com inúmeras provas, mas  é conhecida como  falha e  disfuncional, como o estado,  em geral. O que facilita qualquer defesa e mais ainda ataques diversos ao Estado e à Justiça, sem razão de ser no caso dele e em muitos outros.

[Necessário estudar cada caso, nessa Justiça em crise,  e o dele foi dos mais estudados por todos interessados – qual Juiz , fora valores íntimos e convicção forte , além de caráter – pretenderia passar o que Moro vem passando , por ter condenado Lula ? Agüentaria isso,  por ser “agente do FBI” como os lulopetistas dizem,sem qualquer prova ,  por certo por sugestão do líder (ou ao menos não proibição )  ?

 Ridículo, probabilidade perto do zero, sem dados a respeito ,  e, se aliás ele o  fosse, não gostaria de chamar atenção sobre si próprio. Além do mais, as acusações lulopetistas foram crescendo – contra vários outros juízes de segunda instância ;  membros do STF; e, afinal, “parte da Justiça “, isto é, todos  que votaram pela condenação de Lula . O que aumenta o absurdo sustentado,  aos berros, pelos desesperados funcionários lulopetistas. Interessante ver o que acontecerá com ele condenado em outros processos (responde a seis ou oito ), se não conseguirem alguma anistia ou indulto ).].

 

              ESTADO DE EXCEÇÃO  –

   CHAVE DA CONJUNTURA NACIONAL

 

                  Hoje, no Brasil, o Judiciário tem-se destacado como ator político central, o que  não seria sua função . Muito ao contrário, deveria, imparcial, julgar posições diferentes – e quando solicitado. Mas, os juízes do mais alto escalão, ministros do STF, antecipam-se, dão declarações, mostram-se encantados com a mídia , suas posições , em muitos casos, já são até antes conhecidas , mesmo sem ter havido julgamentos. Algo inédito – uma Justiça que descumpre , essencialmente, suas funções e assume outras – com a aquiescência da sociedade, pois outros órgãos públicos ou partidos ou entidades particulares importantes não se empenham no sentido de impedir tal  .

                 Poulantzas permite o entendimento de uma situação em que a função de administrador é, em boa parte , abdicada por Temer(fragilidado por acusações diversas, filmagens, etc. fatos notórios )  , em função do exercício dela pelas forças militares, Exército em especial (Cf. art. “Exército no Poder”). Por outro lado, o Judiciário , com inúmeros deputados acusados ou já denunciados pelo MP , incluindo os nos mais altos cargos no parlamento(caso de um Calheiros, Eunício ou Maia , entre outros ) , cabendo-lhe decidir questões que envolvem divergências entre parlamentares , passa a assumir um papel central.

              Basta ver,num simples exemplo, o que ocorreu , e perante o Brasil inteiro via tvs , no impeachment de Dilma Rousseff, quando esta foi retirada da presidência, pelo Legislativo em crise , e por ampla maioria , mas sem ser condenada por seus crimes (e nem por diversas acusações antes retiradas,  por acordos entre deputados ) .

               Lewandowsky, conhecido lulopetista desde suas origens , então presidente do STF, indicado por Lula, fez  inovadora e absurda interpretação da Constituição Federal , segundo a qual norma  clara(usada no impeachment anterior de Collor)  foi retalhada , de forma a não punir-se  Dilma e permitir-lhe candidatura futura – o que hoje ocorre , ela candidata ao Senado Federal. (Aliás , nos moldes de outra presidente , sob acusações também ,   na Argentina, Cristina , agora senadora lá , o que lhes facilita a defesa  em processos por corrupção) .

           O Judiciário no centro , o Exército administrando sob Temer (já assumiu até o  discutido Ministério da Defesa, antes exercido por um civil) , o Legislativo acuado,  discreto, se escondendo, deputados tentando reelegerem-se e escaparem da Justiça . Judiciário ao centro . Poulantzas bem explica :

             “ De fato, a despeito da declaração da separação de poderes, particularmente do poder legislativo – parlamento – e do poder executivo, podemos constatar que o Estado capitalista funciona como unidade centralizada organizada a partir da dominância de um  desses poderes sobre os outros . Com efeito , essa distinção entre o legislativo e o executivo não constitui uma simples distinção formal , antes corresponde simultaneamente a relações precisas entre as forças políticas e a diferenças reais no funcionamento das instituições do Estado “.(Nicos Poulantzas, “Poder Político e Classes Sociais”, Martins Fontes , SP ,1977, p.300).

         Há uma unidade do poder de Estado , havendo a dominância sempre  de um desses poderes, em regra o legislativo ou o executivo. Todavia, em épocas de crise , pode haver alterações e composições . Hoje , se  temos o Executivo , muito deturpado , apoiado no Legislativo sangrando( pelas acusações de corrupção e  pela crise econômica) , apareceu a estrela , aparente brilhante, logo vista também como enfraquecida e decadente , do Judiciário .

          Aparente por ter exibido , em pouco tempo ,  suas facetas políticas, frágeis ,  corrompidas, apoiada em privilégios , demagogia também, o que logo transpareceu na medida em que  foi projetado para a  linha de frente do poder . O Executivo ,   à frente da administração , composto na medida do possível com os demais poderes , mas  tão enfraquecido que  já apoiado , solidamente , o que significa abrindo mão de suas prerrogativas essenciais, naquele clássico esqueleto básico de poder estatal, que só aparece no palco quando a crise se aprofunda com riscos de tornar-se  mortal  – o Exército ,  de fato no poder(Cf. “Exército no Poder”, art. deste site). Este o foi assumindo, aos poucos,  funções ministeriais importantes , além das  de planejamento  –  os militares  mais bem formados do que muitos civis , dando garantias diretas e públicas  ao regime político que soçobra  , com pouca legitimação na sociedade .

            Ação política cada vez mais  clara, provável um projeto militar de nação  ,  ao ponto  de apresentar  líder , formal ao menos, de  uma fração política militar como candidato à Presidência ,  quando , vencendo ou não, de qualquer modo aumentará a legitimidade dos militares  perante  a sociedade . Uma  candidatura militar e militarista (amenizada, na mídia , contendo-se seus líderes ,   para tornarem-se mais palatáveis aos civis ) ,  de Jair Bolsonaro , tendo como vice o General Mourão , recente na reserva e logo eleito presidente do tradicional  Clube Militar,instituição  com presença importante no passado político brasileiro . (Cf. arts. sobre retorno dos  militares à frente política, neste site, que previu e anotou  ) .

(Bolsonaro para presidente ,  candidatura não in totum  representativa dos militares, como instituição , mas  representativa o suficiente , expressando  fração política militar influente e talvez dominante, no momento  – Bolsonaro junto com o General Mourão e o também General, reserva , Heleno, ex-comandante militar na Amazônia, ambos considerados na instituição e ligados ao comandante Villas Boas) .

         Claro um planejamento militar no sentido de  presença gradativa , tipo soft power até agora , na  política (algo aparente não desejado pelos americanos, que promoveram  , via  CIA, diversos  ataques recentes aos militares – cf.arts.  neste site ) . Isto ocorreu,  e até impôs-se , quando o  povo nas ruas(2013)  reivindicou tal presença , face à evidente degringolada nacional, com riscos de secessão ,  que exibiu as vísceras da elite oligárquica corrupta e indecorosa , no poder . Representada , de forma  frágil e falsificada , no Legislativo e Executivo , parte dela na prisão , o que aumentou os  “vácuos de poder “, logo ocupados pelos militares e líderes políticos com bases religiosas .

         Foi  neste contexto que deu-se o impeachment de Dilma, pela maioria dos componentes dela aliados do bloco de poder dominante . O Judiciário assume papel central, pelas razões antes expostas( e pelos riscos para o regime, com corrupção desmesurada evidente, má gestão pública  ,etc.)   exibindo decisões   politizadas a refletirem   interesses de  classes  e frações  diferentes.

        Nessa conjuntura  complexa, primeiro  entender a essência do equilíbrio unificado dos três poderes, digamos assim. No bloco de poder dominante , ainda que haja classe ou fração de classe hegemônica ou quase  , no caso prevalecendo acima dele, de todos os componentes  ,  apenas o capital financeiro internacional/nacional, com suas ligações multinacionais e com as oligarquias locais, além de organismos internacionais (Mercado/Império).

( Tipo  FMI, OMC, Bancos credores, etc. ,  autônomo  quanto às decisões econômicas , em especial  ).Pesa aí  a fração do agronegócio , multinacionalizado , entre outras,  integradas , mas  o poder institucionalizado, pelas muitas divisões e fracionamentos , torna-se limitado e não consegue operar arbitrariamente, o que significa disputas e instabilidade. Os poderes do Estado,  sendo os organizadores políticos , são mais pressionados , no caso , em vista e pela crise, agora ainda sob o peso da influência militar crescente  , que face à sua desmoralização , em passado mais ou menos recente (pelos “golpes” , mortes, torturas, etc.) ,tem sido cuidadoso nas suas ações e pretensões na volta ao palco político principal.

    OITO

          A FACE OCULTA DA DEMOCRACIA:

          O ESTADO DE EXCEÇÃO IMPLÍCITO

         Nessas circunstâncias , dois aspectos se destacam . Um , o papel das eleições,  que se aproximam , na reorganização do bloco de poder ;  outro dos partidos , que pela crise do regime e por terem-se tornado quase siglas cartoriais , inclusive o PT (apoiado no lulismo e em movimentos sociais , estes sem autonomia, dependentes do lulismo e do petismo burocrático, parte do bloco de poder , mesmo como “oposição” ) apenas exercem  fraco papel formal –  organizando as forças políticas  na disputa eleitoral (pela definição da hegemonia ) . Mas, mal conseguindo cumprir seu também papel de levar a sociedade , em conjunto , a apoiar a ideologia principal do bloco de poder dominante .

           O  papel  do Judiciário passou a ser , assim, incomum. Ele tem sido  obrigado  a  assumir posição de liderança e  de equilíbrio político no meio da crise da economia , refletida no regime político . Isto tem implicado em ministros do STF  fazerem  constantes conferências em todo o Brasil ; escreverem artigos em jornais ; a Presidente do STF cantar em público ,  junto com outras mulheres e cantores populares ;  coisas desse tipo . Membros do Judiciário “fazendo política”, tentando angariar simpatia popular , apoio , diríamos até que sendo demagógicos , por algumas declarações e ações.

              O Judiciário dividido, em crise, cumprindo funções que não são só as suas , membros eminentes deslumbrados com os holofotes da mídia , mas investigados por ela e pelo povo em geral, com dificuldades de explicarem salários acima dos tetos legais ou auxílios-moradia absurdos . Pressionados pelos políticos e movimentos que os indicaram ao Presidente , classes e frações políticas , antes acionadas por eles para que seus nomes fossem indicados ao STF  (decisão pessoal, essencialmente política ) ; mais política depois , seus nomes  submetidos ao Senado – política , favores/acordos sempre , que fizeram para conseguirem serem indicados e aprovados,  e que , agora , lhes é cobrada , quando deles pretendem, por exemplo, a soltura de um preso político ao qual são politicamente ligados.

              Tentam os membros  do Judiciário voltarem  à sua função tradicional, passado o deslumbramento inicial,  sentindo pressões e críticas das quais antes estavam preservados . Mas , isso, com a grave crise em volta, inclusive a prisão dos líderes políticos que os indicaram , passa a ser difícil – rompimento ou aceitação da pressão política , denúncias na mídia, agressões do público em  aeroportos , isolamento em salas oficiais , vida particular e passada devassadas.

             Restar-lhes-ia um apego maior à letra fria das leis , “ao regime das leis “, mas se uns o fizerem , outros não o farão – sua participação mais ou menos política dependerá do nível da crise e da democracia existente. Afinal , democracia é transparência, desocultamento do poder invisível (Bobbio) e eles têm dificuldade em contornarem isso . Precisariam , na crise das oligarquias políticas que afinal os indicaram, “classes dominantes “ , serem preservados do exposto. Mas como,  se aqueles que os indicaram , politicamente, e os protegeram e protegem , estão sendo atacados, desmoralizados e até presos ? Alguns , ligados a eles por  parentesco, amizades de longa data, compadrios, negócios.

            (Membros do Judiciário protegidos – pelo Legislativo,  poder eleito, capaz de moldar a estrutura jurídico-política, assim, o poder máximo nas democracias, que pretenderiam o famoso “governo do povo, pelo povo e para o povo “(Lincoln ) . O que ,  em nossos dias, embora possa parecer definição demagógica e simplista , é uma aceita por eminentes teóricos (José Afonso da Silva, “Sistema Constitucional Brasileiro”). O Legislativo pode alterar as normas aplicadas tanto pelo Executivo quanto  as executadas, em caso de  divergências , pelo Judiciário ).

             O direito é o regulador normal da sociedade  , via legislação e Constituição , isto é , do próprio  exercício do poder político,  das relações entre classes , as que exercem e as que padecem do poder, atuando por alguns interesses destas também . Mas, aprofundando-se a crise econômica e política, ele , via seus operadores , já não mais cumpre tal papel de forma satisfatória – muito ao contrário , pois trabalha com leis defasadas, por vezes contraditórias , representações políticas sem maior legitimidade,  que os pressionam , e por outros poderes corroídos pela corrupção.

          Ao não cumprir suas funções , com eficiência e legitimidade , por imposição da realidade ,  de  circunstâncias , dos interesses políticos dominantes, com a legitimidade atingida ,  mas ainda com força para impor comportamentos determinados à sociedade, resistente a eles ou até mesmo desobedecendo a eles , ostensivamente – ao Judiciário/”elites”  dominantes só restará dois tipos de comportamento quanto ao seu poder contestado ou com dificuldades de ser exercido. A partir de certo ponto , recuar politicamente , aceitando reformas, mudanças,  reivindicações , via legal ; ou decidir pelo enfrentamento – caso em que , se com condições políticas e outras , precisará assumir , formalmente  o estado de exceção clássico – medidas legais, formais, que atingem o funcionamento normal do estado, restringem  direitos , impõem deveres, etc.

      Um posicionamento social drástico, traumático, que poderá ter  oposição, seja qual for ela , provocando divisões sociais mais acentuadas e  formais. Rompimento formal, legal, utilizando-se normas próprias do chamado estado democrático de direito – em tese, apesar de tudo, ele não rompido pela crise.

                Mas,  entre os dois pontos, e ao meio de alguma crise,  há sempre uma “zona cinzenta” em que o estado democrático de direito mantém-se , formalmente,  mas por vezes, sem o assinalar, não transparente ,  suspende direitos , ou interpretando-os , ou negando-os , de forma pouco perceptível, informal, quase invisível  – e na práxis infringindo, por vezes frontalmente, o estabelecido pelo “regime das leis”: eis o estado de exceção implícito , informal , quase imperceptível .(CONTINUA)(*).

_______________________________________________________

(*)(Continua.  Há artigos sobre “estado de exceção ” , neste site. Ele não se confunde com ditadura ou ditadura constitucional .  Segue parte 2 . Ornitorrinco – metáfora de Chico de Oliveira , ensaio de mesmo nome, livro sobre o Brasil  (animal existente, na Austrália, em pântanos , de forma esdrúxula).

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *