A República da Espada (II)

nov 26, 2017 by

A República  da Espada (II)

A República Americanizada da Espada

*notas, reflexões, hipóteses preliminares *

(Redação)

 REPÚBLICA :
MILITARES, OLIGARQUIAS E IMPERIALISMO

*A República da Espada (II)  –  Notas selecionadas – em resumo/Preliminares : Os brasileiros em geral, o povo brasileiro  parece não ter a mínima noção da verdadeira situação nacional, econômica, política e social do Brasil, hoje , tema em relação ao qual temos buscado chamar atenção mencionando Braz$l, de modo a refletir a presença estrangeira de um lado , e a ação das multinacionais e capital financeiro, estrangeiros, de outro.

             

               E têm os brasileiros razões para isso, a começar por desconhecimento deliberado, edições manipuladas, distorções de textos, na mídia, debates essencialmente falsos e auto-censurados ,  promovidos por  quem com poder para tal(o Império , via seus agentes, recursos, tentáculos locais , que já tinham grande poder por aqui desde a República, 1889) , através de propaganda, fraudes históricas, omissões e outros meios de desinformação e contra-informação.

   Em suma , sofreu-se, no Brasil,  uma série de derrotas, políticas, econômicas, sociais e até militares, caso da contrarevolução estrangeira , em essência, antinacional e antidemocrática de 1964, mascarada de simples “golpe militar”nacional .

 E também uma derrota ideológica de monta , recheada de ardis, armadilhas, truques políticos bem montados , afinal com ampla vitória dos interesses do Império do Capital, aqui vitorioso , tanto no que se refere ao hegemônico controle da mídia, como dos currículos universitários, Historiografia , pós-graduações, edições ,etc. O controle do passado, daquelas “verdades, fatos, História “,  para manejo do presente e construção do futuro .

            Não têm os brasileiros, por isso,  noção próxima, mais real,  do nível de dominação do país pelos interesses estrangeiros, quando a Independência, a Soberania e a própria República reduziram-se quase  apenas a conceitos formais , sem base na realidade. A “Independência” promovida pela Inglaterra , até a canhonaços, e virtualmente comprada, paga e muito caro , dívidas que chegam, sempre renovadas, à atualidade .(José Honório Rodrigues, cf. art. anterior).A “República”, logo americanizada , jurídica, política e economicamente, o que é pouco divulgado, isto é , levada adiante com auxílio americano e também com uns canhonaços do almirante Bentham,  alvejando brasileiros anti-Floriano, que os solicitou . 

Se isto se já vinha de muito antes de 1964, consolidou-se desde aí, avançou durante a “democracia” tão comemorada(após 1988), na verdade uma “democracia relativa”, golberyana , de Geisel/Golbery  e estrategistas americanos(Cf. adiante e arts. neste site) , que solidifica-se e consegue sucessivas grandes conquistas, no interesse do Império do Capital .  Vitórias inimagináveis com um governo de”direita”, àquela época, que teria grande oposição à esquerda , tendo isto se tornado possível  na administração falsamente de centro-esquerda de FHC e depois de “esquerda” de Lula da Silva .

Esta , muito  importante para o Império, que usou seu melhor “trunfo” político, Lula, com uma notável propaganda diversionista e diversos ardis , a maioria de assistência social, para disfarçar a real política à extrema-direita, até com tropas no Haiti e financiamento de multinacionais americanas,  via isenções e outras benesses do BNDES (até hoje escondidas o quanto se pode) . (Cf. vídeo , aba esquerda, de um senador, entre outras referências) . (Análise simples e brilhante, deste período, bem  resumida, que previu os resultados,todos hoje à nossa volta, no livro de James Petras,  “Brasil – Lula Ano Zero “, de 2003).

   DE 1889 A 2017 – IMPERIALISMO EM AÇÃO 

 [Pode-se ainda lembrar, agora , Miriam Leitão, que mostra relatório do Banco Mundial que atesta que Luladilma ainda aumentaram as benesses dadas a multinacionais, até de automóveis, “para o capital”,  em valores e isenções  que chegaram a 4,5 % do PIB brasileiro, ou seja , mais de 269 bilhões  de reais, em 2015.
“Antes do governo do PT  eram 3% ” . Esta a face do “governo” Lulopetista, de fato mera subadministração e não na parte econômica . Leitão, moderada , compreensiva – “O que era excessivo  ficou extravagante. Grande parte desse dinheiro vai para empresas sem exigências de contrapartida e sem transparência . Para que mesmo dar dinheiro para multinacional do setor automobilístico ? Por que o governo deu tanto subsídio para um frigorífico comprar outros frigoríficos e se expandir no mundo, enriquecendo uma família rica ? “O Globo, 26-11-17 ].
Irrespondível, fonte isenta , prova inconteste do jogo da extrema-direita feito por Luladilma através de “esquerdistas” administrações (nem sequer governavam) , de acordo com a análise de J.Petras, de 2003( Id.). Quer dizer, interesses estrangeiros, sempre avançando no Brasil, numa dominação crescente que chega a nossos dias. E infiltrados no coração do que deveria ser uma real esquerda – Lula, PT , ex-Presidente; Aldo Rabelo, PC do B, ex-Ministro da Defesa; etc. 
    [ Pior – interesses estrangeiros e seus defensores por aqui  sequer atacados, à esquerda, temerosa , “envergonhada”(?!), fora exceções , tão fortes e cínicos travestidos de “esquerdistas”  que nada reconhecem, admitem ou respondem -0  com mínima coerência . O ponto a que chegamos  . Ao contrário, sempre negados, essa jornalista já foi “desmentida” antes  com ofensas, num avião e aeroporto, com gritos  .
Como resposta  a ela podem os lulopetistas  agora fazerem a vergonha de sempre, comum a eles   ( que só engana ignorantes ou dependentes  econômicos de seus “líderes”, funcionários deles,etc. comandados não por eles, mas pelo “bolso”)- p.e. ,dizerem, difamando ,  que ela  é da CIA  ou do FBI e/ou patrocinarem  tocaia  em algum avião de carreira (ela  apenas citou o Banco Mundial) .( Não  esquecer que  um  escritor  lulista  indicou  a “porrada” como resposta  às críticas, isto  em  auditório lotado e aos berros ).Aliás, fez parecido velha militante intelectual tida como de esquerda. Nem citamos os nomes . Lamentável. Vergonhoso . Seria desmoralização  definitiva  das esquerdas, não fossem eles  provados(como se vê)  neofascistas , extrema-direita, travestidos de esquerda , caso do próprio  líder neoliberal Lula, o que é  fácil  provar .Cf. neste site ]. 

     Isto é , o que já era antes um crime inominável, desde que com brasileiros passando fome e sem saneamento básico , morrendo em corredores de hospitais, jamais visto em parte alguma do mundo , chegou ao ponto de não só crime como traição popular e nacional , além de desfaçatez a mais descarada  , pois os lulopetistas populistas foram eleitos com programa contrário e para exato conter crimes como os referidos, mas , exato ao contrário , inclusive rompendo com o programa petista não só apresentado nas eleições como o de seu próprio partido.

Para completar, basta lembrar que esse tal Lula [que fez cursinhos nos EUA de sindicalismo americano e foi apoiado em suas greves pelo consulado americano /SP(cf., diversas vezes citado neste site , há livros e provas , inclusive em Gaspari, E.,”As ilusões armadas “, entre outros ] ainda hoje, condenado pela Justiça apenas por um dos seus muitos evidentes crimes, já se apresenta como candidato a Presidente tendo pretendido ser o “candidato das esquerdas “!

Quer dizer, mesmo após tudo que já se sabe sobre ele, o controle ideológico sobre o povo brasileiro e a dominação estrangeira sobre a nação chegam a tal ponto que ainda se pretende usar Lula, “construído” no passado, para continuar o domínio sobre as pobres “ovelhinhas políticas” brasileiras, pastoreadas pelo Império do Capital e oligarquias locais, suas prepostas, em especial.

O estudo da República, desde 1889,vai melhor caracterizar o quadro acima , trazendo lições que projetam-se , ao menos em linhas gerais, até nossos dias , permitindo melhor entender o que se passou de lá para cá ,progressivo avanço e dominação estrangeira,  e o que ocorre atualmente , no Brasil , além de permitir levantar projeções quanto ao futuro do país ;

de fato , o conhecimento e controle do passado pode determinar o presente e influenciar o futuro ;daí tanta manipulação da Historiografia e tantas fraudes no que se refere à História do Brasil, ponto em que temos insistido em outros artigos, manipulação ocorrida de forma consciente,deliberada , por quem com condições/poder para isso – no caso brasileiro , apenas o Império e aliados locais, em especial oligarquias  no controle político , embora prepostas financiadas por multinacionais e capital financeiro .

A” República da Espada “de 1889 , logo se caracterizaria como uma República Americanizada da Espada , pelas influências, militares, econômicas e sociais daquela já então potência do Norte da América , frente ao Brasil e outros países, desde antes e nos primeiros momentos da República .

Antes do final do período Floriano ainda se assistirá o desdobrar-se da Monarquia em uma “República da Espada” e logo em “República “Americanizada”da Espada ( essa “americanização” do Brasil “ é referida, entre outros , por Moniz Bandeira , “Presença dos EUA no Brasil – dois séculos de História “) .
Depois em uma “República Oligárquica”, americanizada, sob égide também do imperialismo americano, a par do inglês sempre presente , e já com a espada sendo guardada nos quartéis – interesses estrangeiros e antigas oligarquias brasileiras compondo-se ; investimentos americanos, além dos ingleses , novos hábitos, costumes , consumo,no Brasil ; empréstimos como forma de integração econômica dos interesses estrangeiros ( ensaio anunciador do então futuro e hoje atual “sistema da dívida”/2017 ( atualmente, cf. Fatorelli e outros , site “Auditoria da Dívida Pública”)e da dívida pública de 4 trilhões e 700 bilhões de dólares) .Atenção – Ianni , bem informado , já descrevia tal há décadas atrás (“Imperialismo na América Latina”), mostrando muito do que vemos no Brasil /2017(cf. adiante).

             O imperialismo americano aparece mais abertamente quando da República, organizando-se junto com ela , integrando-se mais à economia brasileira, sendo modelo político e jurídico, além de sonho, esperança , já ideologia predominante entre os republicano. Isto embora estes não conscientes dele e suas consequências adiante , e compondo-se , de alguma forma, com o inglês, este com atuação muito mais antiga em terras brasileiras , desde a proteção acertada da Inglaterra a Portugal(1661) , depois o Tratado de Methuen(1703), bem anterior à abertura dos portos brasileiros (1808) (cf. abaixo), mais de um século antes ;acomodação , aos poucos, entre os dois capitais de origem diferente, métodos diferentes, “imperialismos” já .

  [ Aliás, como ocorreria , adiante , mais tarde, também no plano internacional(prevalecendo a perspectiva teórica de Kaustky, e não a de Lênin , isto é , não havendo mais , a certa altura , guerras interimperialistas, mas sim uma composição ,acordos gradativos de interesses comuns , em um coordenado bloco mundial capitalista ( atenta observação de Moniz Bandeira , “A formação do Império …”) ] .
Consolidar-se-ia , assim, no plano mundial como local, aos poucos, um novo polo econômico mundial , EUA e Inglaterra à frente , o Brasil integrando-se em posição subalterna .

IMPERIALISMO INGLÊS E AMERICANO

Os militares, e oligarquias brasileiras , estas escoradas já no novo imperialismo “em desenvolvimento” acelerado ,tornando-se preferencial pelos republicanos brasileiros, até pelos juros menores cobrados, atritando-se e compondo-se , com contradições secundárias , diretrizes e já sob controle imperialista ; logo ao início, mas em especial após os primeiros anos da República, militares (entendidos, por Sodré e outros , como uma expressão das “classes médias”), de certo modo, logo derrotados , desiludidos, impedidos de levarem adiante o projeto republicano pretendido ; e até Floriano /republicanos humilhados por seus pseudo-“aliados” estrangeiros [caso da :

(a) ridícula “esquadra de papel”, comprada nos EUA , lá equipada às pressas , com equipe composta de bandidos e uma ralé desprezível(Silva, ib. ,entre outros – questão a ser melhor analisada ), organizada por Floriano”, com “auxílio americano” ;

(b) e das intervenções, na política nacional então efervescente, de navios estrangeiros, inclusive dos EUA , estes estacionados dentro da Baía de Guanabara , a palpitarem e intervirem, chegando a bombardear alvos brasileiros ; isto é , americanos, por solicitação de Floriano, sob o comando do americano Bentham, bombardeando e matando brasileiros (Cf. ações navais dos revoltosos de Custódio de Melo e Saldanha da Gama , derrotados,contra Floriano, em Hélio Silva e outra (“Nasce a República”, cap.XII e XIII, em especial ) ; a intervenção dos EUA foi decisiva na vitória republicana de Floriano, cf. Terra Pereira, Gabriel , “Salvador de Mendonça, Diplomata” ), dando assim fim ao conflito –quer dizer , além de influência política e jurídica (posições de Constant e Rui, ainda teóricas, organizativas e depois administrativas ) , direta ação militar da nova potência do norte, EUA , contra brasileiros , bombardeados , já em 1893, o que parece ter sido omitido ou minimizado na Historiografia brasileira, questão que custou críticas a Floriano, responsável por acordo (secreto, provável , de que não temos conhecimento, este talvez o primeiro de muitos outros , e os houve , provados, alguns inconstitucionais, citados por Moniz Bandeira , Sodré , Silvio Frota e outros, um deles rompido por Geisel ) ;

(c) depois da derrota dos revoltosos anti-Floriano, brasileiros derrotados humilhados, aos andrajos, qual mendigos doentes , numa completa falta de solidariedade com eles por parte dos estrangeiros bem equipados e vencedores via Floriano (esquadras sitiadas dentro da Baía de Guanabara , acertadas entre si e com Floriano ) ;isso , sem darem auxílio aos sobreviventes feridos, doentes , torturados quase , sem alimentos, refúgio, remédios, recebidos como refugiados apenas por um modesto barco português(Silva, H. , id ), alguns conseguindo chegar à Europa . Custódio de Melo derrotado, recolhe-se , e Saldanha da Gama, mesmo podendo prever a derrota, alinha-se com Silveira Martins e Gumercindo Saraiva , contra Floriano , todos morrendo em lutas no Sul, inclusive Aparício , irmão de Gumercindo.Resultado de imagem para República da Espada “de 1889

 

Os sulistas, como também se verá adiante, foram os que mais lutaram de um lado e de outro da jovem formal República, sendo também os que mais morreram , com mortes brutais,características das lutas brasileiras (centenas, talvez milhares de degolados, a exemplo do havido na Guerra do Paraguai e, recente, em lutas entre presidiários no Rio e outras capitais ). O que mostra quão longe vão tais heranças.

Portanto, uma mistificação o caráter não sangrento e  não popular da República. Embora o termo “popular” tivesse que ser discutido . Crítica de Sodré àquela versão de Aristides Lobo, “povo bestializado”, parecendo ter fundamento .(“História Militar do Brasil”).

 Os militares, após poucos anos de poder direto e influência maior , de volta aos quartéis, ao menos por algum tempo e com certa unidade, havendo um retorno efetivo  das velhas oligarquias/aliados ao centro de gravidade do poder  , agora já integradas com os interesses “imperialistas ” (via empréstimos e investimentos , financiamentos diversos), inclusive no importante controle do café, distribuição com preços sendo já determinados no exterior .(cf. adiante).

     Exército e forças militares, instituições jovens, organizadas de forma apressada ,e de forma um pouco melhor apenas desde a Guerra do Paraguai,donde tinham voltado praticamente “destruídas”,bastante despreparados militarmente (Cf. Sodré, “História Militar ..”),sofridos, com poucos recursos , enfrentando quando da consolidação das velhas oligarquias , pós-Floriano , rivais como a Guarda Nacional, Municipal, Polícias militares, sem uma perspectiva geopolítica ou maior preparo militar .

      PROJETO DE NAÇÃO – DOS EUA

Resultado de imagem para doutrina Monroe

   Brasil.Exato ao contrário dos EUA , neste tempo,  este há muito com a doutrina Monroe (1823)sempre exibida como trunfo e base e ainda junto com um projeto mundial de poder cristão , aquele famoso “Destino Manifesto” ( cf. Moniz B,”A formação …”, ib. ) ; sem contar o fato de estarem os brasileiros apenas colhendo “vitórias” sacrificadas , duvidosas, contestadas , (caso da Guerra do Paraguai) , sempre contra os próprios brasileiros (Contestado, Canudos , lutas no Sul contra rebeldes como Gumercindo Saraiva e outros) , e tudo indica com auxílio, empréstimos , logística dos Impérios Inglês e Americano , sendo necessário melhor ver /investigar caso a caso; .o país sai dessas lutas sempre mais endividado , preso a um conjunto de interesses estrangeiros ) ; ( quanto à Guerra do Paraguai, assinale-se , há autores sérios que afirmam teria sido de planejamento do Império Inglês , que teria estimulado tal conflito , na região sul da América, contrariado , quanto a seus interesses  ,  apenas pelo ditador(seria mesmo ? Não vimos análises)  Solano Lopes( foge a nossos objetivos discutir tal aqui . Há livros citados , neste site, em outros artigos ).

Afinal , ao novo regime político surgido , a “República”, na essência mais formal que real, eleições ainda e sempre fraudadas , viciadas ( embora pareça incrível, resquícios e vícios que talvez tenham chegado a nossos dias, primeiro em “mesas eleitorais”, “bico de pena”,depois nas tais “urnas eletrônicas brasileiras”, segundo muitas denúncias e testes- a analisar-se melhor ); logo foi imposto na nova República de então , um recuo aos militares quanto às suas posições , em poucos anos seguindo-se uma também “nova política dos governadores”(das oligarquias regionais, favorecidas pelo novo federalismo) .

Política que duraria décadas, a oligarquia paulista à frente , em especial a do café , aliada/secundada pela mineira , até enfrentando o Exército , em alguns casos, isto é, superpondo-se a ele e atuando à frente da defesa das instituições , em paralelo com ele : com a Guarda Nacional, Municipal, jagunços, Polícias Militares e , por vezes,cangaceiros ; tal situação(com fraudes eleitorais , retrocessos políticos e econômicos, etc. )acabará por gerar rebeldias, “tenentismo” , a “Coluna Prestes” , e, afinal, a chamada “Revolução de 1930”.

 SOFRIDAS FORÇAS MILITARES

O Exército e forças militares nacionais, com pouco tempo de existência, elas passaram inúmeros sofrimentos, tropa e oficialidade(Sodré, “História Militar do Brasil”) , durante todas essas lutas e rebeldias – falta de tradição e perspectiva geopolítica das instituições militares , juventude demasiada dessas organizações , falhas de disciplina , péssimo preparo militar, além de falta de armamento , uso de armas inadequadas, superadas tecnologicamente, e até alguma corrupção interna(do que vai reclamar até Prestes, anos depois, ao revoltar-se no RGS), além de baixos salários .

 O que vai gerar militares indignados com a continuidade dos velhos vícios da monarquia , fraudes, corrupção eleitoral , miséria popular,etc., persistentes desde bem antes da República . Nada a estranhar, pois, com tantas rebeldias, manifestações de falta de disciplina , despreparo, certa anarquia mesmo , embora por vezes com “boas intenções”, isto é , sob a alegação de pretender mudar hábitos nocivos do estado brasileiro, o regime político e até impor um determinado projeto de nação .

Imagem relacionada

A partir do acima exposto , rebeldias anteriores, e da intervenção de 1964, já sob direto comando estrangeiro, isto é , dos que haviam organizado e treinado , no Brasil e exterior, oficiais, serviços secretos ,(“Ministério do Silêncio “ , Figueiredo L., e outros ) , membros da Polícia Federal , concedendo bolsas de estudo , visitas aos EUA e ainda apresentaram uma estratégia geopolítica capaz de enganar ou confundir militares ao fundo antes assimilados, cooptados , pelo Império,caso de Golbery, Castelo e outros ;

 isto é, os interesses americanos atuaram , primeiro, via serviços de secretos e segurança das forças militares, depois visando os militares instalados no governo, depois de lá instalá-los, a começar por Castelo , indicação clara de Walters (CIA)/Johnson , desde que morto Kennedy, articulador desse projeto de consolidação da dominação sobre o Brasil e, afinal, visando os militares da “tropa”, mais ou menos nessa ordem e utilizando-se divisão didática de Stepan(“Os militares na política”).

Forma , sem dúvida, inteligente de levar adiante uma conspiração inicial/golpe militar/contrarevolução antinacional e antidemocrática . Todo o passado, como veremos melhor adiante , desde a “independência”, com o país já endividado , pagando tal independência, (“José Honório Rodrigues, “Revolução e Contra-revolução “) ;

e submetido a pressões estrangeiras , e depois a “república americanizada”, com progressiva imposição e consolidação de capitais estrangeiros, bem integrados aos interesses oligárquicos os mais tradicionais , produziram as bases que permitiram a vitória dos interesses estrangeiros, sem maiores lutas ou intervenção militar direta de um lado ou outro – tal situação chegando , cada vez mais consolidada , a nossos dias – 2017, estando os resultados negativos bem nítidos à nossa volta. Examinar em mais detalhes como tal ocorreu, comprovando-se hipóteses e probabilidades, interpretando fatos, de forma a permitir-nos, ao conhecer o passado ,ao menos suas linhas básicas, sem fraudes e mistificações ufanistas ou nacionalistas , poder entender o presente , de forma a, de alguma maneira, influenciar o futuro.

CONCILIAR PARA

NÃO MUDAR –CONTRAREVOLUÇÕES

  Tal não é fácil eis que há que tentar entender as táticas e estratégia, e armadilhas e ardis , das nações as mais poderosas ,no plano mundial, isto é , uma “conjuntura internacional”, e análise do poder a este nível, no qual o Brasil sempre esteve na base, como nação servil e dominada, eis que aquelas nações dominaram e colonizaram o Brasil desde os primeiros dias de sua existência , diretamente ou de forma superposta. O Brasil , tudo indica, colonizado até hoje , sequer tratando-se de neocolonização, desde que jamais libertou-se dos vícios e amarras das colonizações iniciais anteriores.

Todas as mudanças foram mais quantitativas do que qualitativas – como se verá adiante, jamais houve uma revolução , daí o que assistimos hoje , mas apenas contrarevoluções e acomodações e conciliações entre frações das elites eventualmente com contradições. Talvez por isso sempre o povo derrotado , pela união entre oligarquias locais, Estado expressando o bloco dominante no poder , classes preponderantes , e os impérios de nosso tempo – o povo sempre fora, salvo via militares ,esporádica e lateralmente, afinal relegados ao papel de , omissos, sustentarem os interesses referidos.

  QUE LIÇÕES RETIRAR  DE 1889?

 

A pergunta é sempre a mesma – Quais as lições a retirar-se dos fatos melhor abaixo expostos e da análise genérica acima, adiante melhor analisados ?

A primeira parece ser que , sem dúvida, os militares cometeram erros, o que seria inevitável, e estiveram sempre presentes em toda a História do Brasil, inclusive em nossos dias, os maiores responsáveis pelo travamento de mudanças que, paradoxalmente, sempre asseguraram pretender promover – a última grande intervenção em 1964 e anos seguintes quando, ao invés de uma revolução, culminaram não por apenas um simples “golpe de estado”, mas por uma contrarevolução antinacional e antidemocrática, aliados a interesses imperialistas estrangeiros e às mais retrógradas oligarquias que os contiveram desde a República ;

o erro mais grave parece ter sido na intervenção continuada feita em 1964, que culminou numa contrarevolução , que talvez tenha destruído , em definitivo , o projeto de uma Nação Brasileira soberana ; isto se conclui pela mera observação da política desses quase 50 anos , a do Império , resultados à nossa volta(Brasil desindustrializado, sem controle de seu território, sequer de suas comunicações ; com fracas forças militares não modernas e sem capacidade de, num século como este, de alta tecnologia, inovar , multiplicar patentes próprias ,usar a energia nuclear, etc.) .

Outro erro o da tomada da bandeira do Império por eles  , militares, a partir da tal “guerra contra o comunismo”, de um lado, e da aceitação da “interdependência de outro”, “preço a pagar”(Castelo/Golbdery/EUA) que é o que acabou por ocorrer com as próprias forças militares – destruíram boa parte da nação e também autodestruíram-se .

Tanto que , hoje sequer dispõem da possibilidade de uso energia nuclear , proibido o país,  constitucionalmente,  do uso sequer pacífico dela (um evidente absurdo e influência estrangeira a ponto constrangedor  na política interna brasileira, limitação constitucional aprovada   “voluntariamente” pelos congressistas brasileiros, liderados por FHC) .

Tal revela a situação do Brasil já na década noventa , sem tecnologia moderna, parecendo sem sequer capacidade efetiva para defender a soberania nacional e independência, tarefa inerente e básica   das forças militares, a própria razão de existência delas , sem a qual perdem sentido e razão de ser, transformando-se em apenas imenso ônus para toda a população, isto é , para todos que vivem dentro das fronteiras brasileiras .

Resultado de imagem para revolução de 1964Ressalve-se que há grande responsabilidade também dos “civis” , a quem os militares , depois de décadas , e “limpezas políticas” diversas à esquerda e ao centro , e institucionalização da “revolução de 1964 ”, “entregaram”, parcialmente,  o poder estatal ; todavia, o que fizeram, antes, de forma violenta , com as forças populares, partidos políticos, organizações forjadas ao longo de mais de um século e muitas lutas, comunistas, socialistas e democráticas , que poderiam resistir ao processo citado( ao esmagarem-nas e, pior, abrirem-nas aos serviços secretos, inclusive estrangeiros )enfraqueceu e fragilizou, em essência , o próprio povo, que , um dia , poderia ser um aliado deles na tarefa de preservação ou construção de uma nação realmente soberana e independente.

  Ao “entregarem” o poder aos “civis” caberia indagar – a que “civis” o entregaram ?

     Às oligarquias, empresários integrados a interesses estrangeiros vencedores da anterior “revolução de 1964”(aqueles que torturaram , diretamente, ou endossaram tais métodos, subordinados justamente ao Império e suas diretrizes) ?

Frações políticas e econômicas as mais conservadoras, ligadas ao Império, setores financeiros e de investimentos , aos próprios representantes do Império, classes médias despolitizadas e americanizadas (no sentido de só buscarem proveito pessoal,c bons empregos e salários), multinacionais e frações burguesas financiadoras dos partidos políticos reconstruídos naquelas condições pós-regime terrorista , todos submetidos a uma legislação restritiva e autoritária (cf. ainda hoje) – e ainda às mais velhas e antigas oligarquias sobreviventes a todo o processo referido . Atenção . Até Tancredo , candidato indireto a presidente, tanto dos “democratas” em geral como dos militares de então (cf. neste site) , antes mesmo de assumir  já surgia , até para sua simples campanha de eleição indireta ,  financiado por multinacionais e capital financeiro, direta ou indiretamente , como confirmaram até parentes dele  . ( Cf. “Tancredo “).

ATRAVÉS DA “DEMOCRACIA RELATIVA”

DE GEISEL /GOLBERY/EUA

Pior ainda – foi promovida uma volta à democracia, de fato  uma  democracia golberyana,  longe da  velha Constituição de 1946,  a que existia no governo Goulart, muito menos interpretada pela Justiça como ela , e já com uma mídia e imprensa depuradas , muito mais limitadas .Logo depois, inúmeros jornais fechados, radios, tvs, nova distribuição de emissoras para novos congressistas, mudanças na legislação quanto à posse por estrangeiros, conceito de empresa nacional, etc. ; confira casos  como os do  Jornal do Brasil e Tribuna da Imprensa, no Rio), mídia  oligopolizada , enorme dívida pública , inflação ,etc.

Em resumo , o país com muito menos condições de resistência a novos avanços do capital estrangeiro – imperialista. Sob todos os ângulos. Dividiram-se as oposições, com incentivo do regime terrorista em retirada planejada e estratégica da frente de luta ; antes esmagaram-se esquerdas autênticas , assassinadas e torturadas ;  incentivaram-se novos partidos , inclusive o PT (apoiado por CEBS, EUA, sindicalistas americanófilos , e até Fidel, além de presos torturados oriundos da luta armada derrotada , que deram-lhe características “esquerdistas”) ; Golbery retirou a sigla PTB das mãos de Brizola, o que a faria muito poderosa; foram feitas novas leis ; etc.  

E assim  , de lá para cá, consequências antinacionais , a começar na própria Constituinte e depois dela .(Cf. dois livros de Dreifuss, R.A. : “1964 – A Conquista …” e “O jogo da direita “). Os resultados estão à nossa volta e já analisados em diversos livros(Petras, Safatle, Villa etc.) , em especial os dos últimos anos, quando muitos esperavam uma forte reação “anti-neoliberal”, via Luladilma , “esquerdistas”, logo depois tendo-se a certeza de que se tratava , assim como nas anteriores administrações, apenas de avanços no sentido da progressiva “globalização” do Brasil, segundo o projeto do Império .

   [Lula e lulistas promoveram, desde década 70 ,  décadas de esperança no sentido de recuperação nacional e popular , mas tendo se constituído , ao contrário , em importante trunfo para o projeto de dominação do Império, como várias vezes analisado neste site. E agora , determinados a se autopreservarem –  interesses, postos, riquezas acumuladas – a qualquer preço, pouco importando o país ou o povo brasileiro para eles , tendo à frente um líder neoliberal sem nenhuma coerência ou problemas de caráter ou moral, espada na garganta entre a  prisão ou algum tipo de saída acertada via elites . O que constitui-se num forte entrave a avanços políticos no Brasil, no sentido de real democracia e mais soberania nacional. Ainda mais tendo-se em vista que ele representa trunfo/interesses do  Império do Capital ].

   BRASIL VOLTA-SE PARA O PASSADO

  Desnacionalização , desindustrialização pouco a pouco, desistência voluntária (!?”) do uso de energia nuclear , desarmamento da população, antes efetivo desarmamento (a nível tecnológico moderno) das próprias forças militares, tornadas sem capacidade efetiva de defender o enorme território nacional. Perspectiva daquele velho futuro agro-pastoril que remonta a Pedro II e os portugueses.

O oposto exato do ocorrido em países como Israel, Índia, Paquistão e até Iran, Coréia do Norte, Cuba, para não lembrarmos o passado de uma França e outras nações do mesmo quilate, além dos próprios EUA , mais industrializados, usando de alta tecnologia , mais  armados do que nunca e invadindo diversos países .O aviso fora dado aos brasileiros desde o conhecido “A ilusão americana”, do monarquista Eduardo Prado (o que não invalida suas informações e análises ) . Muitos outros escritores, inclusive estrangeiros , explicaram , em detalhe, a política americana , a nível mundial. As resistências por aqui a mudanças também foram bem explicadas, até por estrangeiros domo Gunnar Myrdal. (Cf. neste site e abaixo). Isto é, oligarquias que concordavam em algumas mudanças, mas negavam-se a perder quaisquer privilégios – daí aliando-se a interesses estrangeiros – imperialismo.

A maioria dos  países que buscaram desenvolverem-se  tentaram manter a soberania nacional e independência , apesar de interesses imperiais diversos , negociando, combatendo , regateando , mas sempre buscando manter forças próprias, primeiro com armamentos mais simples, depois com o domínio da energia nuclear e outras, armamento adequado próprio,alto nível tecnológico,  negando-se a abdicar deles – conscientes que tal apenas os desmoralizaria perante o mundo e impediria real soberania, estando à mercê do(s) Império(s) dominante(s) , a qualquer momento ; exato o que aconteceu com o Iraque, Afeganistão e Líbia, por exemplo  .

E que por certo poderia acontecer com a Coréia do Norte e Iran, que mostram ter consciência do afirmado ,  reagindo e sendo respeitados, ao menos até agora, embora sob xingamentos e pedradas do Império  . Trump ouviu do dirigente coreano ofensas nunca antes pensadas serem ouvidas pelo Império, embora o tenha ofendido de modo igual(mas isso não foi surpresa, pois assim os EUA agiram ,durante séculos, com as nações suas subordinadas, inclusive o Brasil,sem reação pela falta de poderio militar ) . E dos dirigentes iranianos reação firme , com um não  mantido até agora. O Brasil fez papel ridículo , sem sequer armas nucleares, dependente , sempre em crise, apenas disfarçando tal com propaganda(estrangeira!) a pleitear, seguidamente, via FHC e depois Lula, um lugar no Conselho de Segurança  da ONU( permanente). Uma ilusão talvez vendida , em segredo, rindo , por seu “Grande Irmão” do Norte .

             O Brasil, ao contrário dos países citados, e daí a desmoralização mundial evidente , que não vem só das últimas vergonhas exibidas ,  cedeu em tudo e ainda teve o desplante , agora, via Temer e o ridículo Aloísio Nunes (que consta ter sido guerrilheiro, imagine-se, talvez  só mesmo motorista de Marighella ), de condenar a Venezuela quando o Império, e sua orquestra mundial, exigem  dela que se renda às calúnias e impropérios por ele ensarilhados contra os venezuelanos, além de presenteá-los, dia e noite com armadilhas e sabotagens de todo tipo. O Brasil não lidera mais ninguém , sequer na América Latina. Resultado da política neoliberal dos últimos 50 anos – um salto para trás (James  Petras).

Tal perspectiva citada  foi demonstrada, caso recente, até pela sofrida e ofendida Venezuela , ameaçada pelo Império, como já o foi o Brasil, inúmeras vezes , no passado (seja via Floriano , Getúlio, Góes Monteiro, Goulart, Costa e Silva e outros ) e hoje já não o é porque de joelhos, cedendo a tudo .

Venezuela agora , 2017, sob ataque do Império , como sofreram antes países menores (Nicarágua, República Dominicana, Guatemala ,Haiti ,etc.), invadidos, desrespeitados aviltados pelo “Grande Irmão” americano , sem qualquer possibilidade de defesa , ou argumentação , buscando uma saída nacional, em meio à globalização e neoliberalismo inevitáveis, de cima para baixo, respeitando as nações mais fracas, como parte de processo a ser superado, garantindo-se o máximo de democracia possível .

     O QUE SE QUER ?

PARA ONDE VAMOS MESMO ?

O que se quer para o Brasil  ?O que acontecerá se resistir ao mínimo em defesa dos interesses nacionais ? E se não resistir ? A segunda pergunta já foi respondida inúmeras vezes neste site. Quanto à primeira, quanto mais longe for no caminho neoliberal, mais sofrerá adiante. Por isso , talvez nossas elites já estejam conformadas com a condição de uma província subalterna. Só que o Império tem muitas outras e problemas internos – por que sequer privilegiaria um povo desarmado , desordenado, sem educação , elites que se vendem barato, forças armadas sem moderno e real poderio bélico de enfrentamento, de qualquer tipo , inclusive guerrilheiro ?

Pensar. Pensar , entre as alternativas, e condições (somos um povo que assiste , diariamente, na televisão, dezenas de milagres , paraplégicos andando, mudos falando, cegos enxergando, etc. Mil milagres mais , por atacado, do que os que dizem terem sido feitos por Cristo. Nenhuma intervenção das autoridades . Nem se fala mais em charlatanismo. Quem esse povo apoia ? Que idéias têm ?  Para onde vamos mesmo ? Centenas de religiões, seitas, milagreiros, pastores, apóstolos, bispos e bispas. Pensar.

 O Brasil exato ao contrário de um Israel, ou Alemanha, vítima de uma guerra destruidora, até da pobre Venezuela, militares e povo mostrando-se heroicos, enfrentando o Império do Capital ; Braz$l devedor internacional, ridicularizado , com milhares de favelas no Rio de Janeiro, centenas delas sob comando de criminosos , sem haver garantia estatal aos direitos dos cidadãos , educação popular de nível mínimo , com insegurança pública generalizada , etc. (Boechat, Rede Bandeirantes, 19-11-2017) .(O que não será resolvido por poses, gestos simbólicos ou paliativos ou mentiras e omissões na mídia oligopolizada , controlada , ao fundo , por estrangeiros ).

 Se pretende-se contestar tal, que sejam apresentados argumentos – e modificaremos a análise. Mas, não os conhecemos. E aqui não agimos como nas atuais “rodinhas” políticas da televisão brasileira , desta democracia “golberyana-relativa”(Geisel) – todos com o mesmo genérico pensamento , proibidos d  ebates , além também de certas palavras como “imperialismo” . Os brasileiros já têm longa experiência “nisso tudo” – Samuel Wainer e Armando Falcão , há décadas , posições diferentes, este em “Tudo a declarar “, já mostravam a democracia dessas emissoras, ainda hoje ao centro da mídia nacional . E como faziam para conseguiu a não presença nessas emissoras de tv de convidados inconvenientes .(Bastava simples conversa com diretores , insinuações. O capital do império, multinacionais e capital financeiro, ao fundo controlam tais emissoras . Ora, daí deduz-se o resto. Wainer, há décadas, já narrava a corrupção nos meios de comunicação e outros , inclusive governos, décadas atrás . Cf.).

A GEOPOLÍTICA DO

GENERAL GOLBERY

Analise-se , a partir de indagações e hipóteses como as acima, ou até de debates sobre tais temas , a Resultado de imagem para GENERAL GOLBERY“geopolítica”tão respeitada,entre militares, do general Golbery, que aqui prevaleceu décadas , levada adiante por métodos não os mais transparentes , e até violentos, sequer discutidos abertamente com a Nação , em especial por ele e Castelo Branco, depois com a oposição de Costa e Silva e outros generais .

Se não desmentir-se o acima, de forma objetiva e sem tergiversações, apresentando-se e provando-se o Brasil como um país desenvolvido, industrializado, moderno , com boa educação , uso correto de energia nuclear , após 50 anos dessa política golberyana, ao fundo do Império, que , dito isso com boa vontade, enganou as forças militares brasileiras, só podemos concluir pelo engodo, erro, depaupério de tal projeto nacional militar/golberyano .

  O fato é – após mais de 50 anos, , de algum modo e diversas formas, sob a direção política do Império, concessivamente aceitando suas táticas e estratégia e liderança, e à força, via regime militar, isto para lembrar apenas as últimas décadas , houve a execução de políticos, prisões e mortes , depois uma democracia colocada como exigência para a saída do regime militar terrorista, isto é, relativa, golbeyana -e chegamos à situação atual . Qual ?

   Calamitosa, própria de uma província desprezada . Ou seja, executamos uma política, ao fundo , golberyana-castelista-americana , aqui imposta , por etapas, via desde o regime terrorista até sua institucionalização de valores e segurança camufladas , como tentamos demonstrar(cf. neste site ; citamos fontes e estudos ) , paralela a uma superexploração do povo, com , por exemplo , juros de agiota quanto à divida pública, sempre multiplicada, enquanto havia , por aqui , isenções e empréstimos direcionados para interesses estrangeiros .

Daí , em nossos dias, só sobrará uma conclusão plausível aos nacionais sobre aquela política do general Golbery – ignorância pomposa, falsa erudição de um pretensioso (elogiado por jornalistas como Carlos Castelo Branco e Alexandre Garcia, fãs declarados dele !) ou , em outras palavras ignorância crassa de um americanófilo esperto ; ou, alternativa , em sentido contrário, não ignorância do militar , mas uma tomada consciente de idéias antinacionais de estrategistas estrangeiros, verdadeira traição nacional – aviltando os interesses de milhões de brasileiros e utilizando recursos pagos por eles aos militares e ao próprio Golbery para garantir a sobrevivência da nação, o bem estar de seu povo, suas fronteiras – e não para destroçar a Nação, e o regime político legal , levando-a a dívidas impagáveis e sofrimentos e crises torturadoras, corrupção , doenças físicas e mentais .

   Não têm cumprido a missão de proteger, defender, aperfeiçoar as instituições, manter uma nação independente, livre, soberana , o povo com mínimo bem estar, condições sanitárias, segurança pública, saúde . Nem isso o fizeram .

Fora essas hipóteses , só restará como alternativa o cinismo absoluto dos golberyanos ou uma combinação dos dois fatores – ignorância e traição nacional . Saindo do governo , Golbery foi exercer altos cargos , muito bem remunerados, em empresas multinacionais. (CF. Gaspari,”Ilusões …”). Por quê ? Evidentes as multinacionais e capital financeiro delas aliado muito felizes com ele. Sem fazer inferições desabonadoras, pensar. Entretanto, ele ainda vivo, muitos militares fizeram inferições desabonadoras. Conferir Maud Chirio, “A política nos quartéis “).

NEM A VERDADE SE CONHECE

Só parte dela. Não se investiga Lula, Dilma, BNDES , urnas eletrônicas , Eletrobrás. Petrobrás, que não é brasileira há tempos , só parcialmente .

Os membros mais conscientes das forças militares teriam o dever de posicionarem-se , a essa altura da desgraça nacional , pois , depois das tantas intervenções feitas ao longo de nossa história pelos famosos chamados “militares cidadãos”, em suas várias versões, desde as do General Góis Monteiro até a última de Golbery, entendimentos com modificações sobre a ação deles .
   

   E atenção porque essa última intervenção , mais fácil de ser avaliada, pode caracterizar-se pior ainda do que imaginamos, ao abrir-se adiante as caixas pretas, tipo BNDES e URNAS ELETRÔNICAS , desde que disfarçada décadas por poses políticas e mentiras, ardis, propaganda, recursos à psicologia social, etc. Hoje , como se nota, nem a “oposição”, Lula à frente (?!), nem o “governo”(Temer), velhos sócios e parceiros , têm qualquer pressa nessa abertura das caixas-pretas. Por quê ? Devem saber o que se encontraria.

 

MILITARES-CIDADÃOS” ? SIM !

Góis Monteiro (abaixo melhor se verá ) defendia a participação política dos militares. Que o papel deles era essencialmente político. De fato, manter a nação independente e soberana , inclusive lutando , armas nas mãos por isso, é uma tarefa antes de tudo política. E para haver vitória é preciso muitos projetos além de ter grande número de homens armados e treinados (se é que temos isso) – tecnologia, apoio popular, povo capaz de sacrificar-se ,etc. Isto leva a questões psico-sociais.

Tratar-se-ia hoje ou de provar o êxito , 50 anos depois, do projeto golberyano/castelista/americano , quando a Nação , jamais essencial e totalmente formada, corre risco de desfazer-se ou/e consolidar-se com uma província sem soberania ; ou de imediato erigir-se um outro projeto nacional , geopolítico. Não é o que se vê , mas sim indiferença e corrupção de políticos ; aparente omissão dos militares ; absoluto desentendimento da grande maioria do povo brasileiro, brincando com celulares , computadores e em grande maioria brincando e fazendo fofocas via tal moderna tecnologia. Os intelectuais , limitados em suas análises, assim mesmo só conjunturais, repetindo-se em rodinhas amigáveis nas tvs. O país afundando ou já debaixo do mar , explodindo , qual o submarino argentino, segundo se noticia .

Província , o que hoje somos, não significa o país estar tomado por tropas estrangeiras, muito ao contrário, a “boa província”, a “pacífica província” nunca delas necessita, o trabalho repressivo e opressivo sendo feito pelas tropas locais( sem capacidade militar para defesa do território, mas com capacidade policial para conter eventuais rebeldias civis ou militares ). Isto se necessário, porque o domínio do Império é antes de tudo – ideológico, o que já data de décadas, e as revistinhas “Pato Donald” e os cursos para sindicalistas e estudantes e militares , no exterior, EUA em geral, onde Lula esteve e aprendeu a ser o líder americanófilo que é , o demonstram sobejamente. (Cf. “Dizem que voltei americanizado”, de Larissa Corrêa , e Lucas Figueiredo, ib.) .

A tal “geopolítica” americanófila do General Golbery degringola-se frente aos fatos e realidade à nossa volta. Ela ignorou, ao fundo, interesses nacionais, e internacionais , inclusive o já conhecido Projeto Americano de domínio das Américas e do mundo . Isto é , a”Doutrina Monroe”(1823, interpretada segundo interesses americanos imperiais, seguida da invasão de dezenas de países soberanos, mas mais fracos ) e a conhecida crença/justificativa do Império no sentido religioso de haver um “Destino Manifesto da América ”, oriundo de Deus(?!) .

Golbery , contudo , acabou por ser , talvez , o artífice do “holocausto brasileiro “, com o apoio de Castelo, a enxergar uma “interdependência”nacional , de fato dependência , que seria o preço a pagar pelo conflito do Ocidente com o “Mundo Comunista” . O “perigo comunista” iminente implicaria e justificaria as forças militares tomarem posições violentas , agressivas , assumirem um regime terrorista , e depois, já com civis no poder estatal , colocarem-se numa posição de conivente omissão frente ao processo de destruição nacional , que vem ocorrendo nos últimos anos, desde a chamada “democracia relativa”, pós-distensão .

Só resta às forças militares brasileiras (1) negarem o acima e a situação em que se encontra o Brasil ; ou (2) assumirem uma autocrítica dessa política golberyana-americana , provada distorcida e despropositada, além de contrária aos interesses nacionais. Nesse caso, caberia apresentarem , de forma transparente, uma proposta alternativa que porventura tivessem , quanto a algum “projeto de nação”. E convocarem o povo brasileiro nesse sentido.

MILITARES SEMPRE

COM O IMPÉRIO ?

Resultado de imagem para Nelson W. Sodré
Nelson W. Sodré, militar,  sempre defendeu o caráter popular das forças militares, sua origem no povo brasileiro. De fato, muitos jovens de origem pobre ingressaram nas forças militares , desde o século XVIII, buscando ascensão social – gerando consequências à direita e esquerda, de lá para cá. O pai de um Lamarca, p.e.,  era sapateiro .  Mas, a questão parece ser outra , ideológica . As intervenções militares últimas deram-se contra os interesses nacionais do povo brasileiro, sempre sob a justificativa do perigo comunista. E nos nossos dias, como fica a questão , o Brasil de joelhos sob todos os ângulos ? E os “comunistas”, hoje com inúmeros deputados , até governadores, do PC do B ? Onde o perigo comunista ? E mais ainda com o PT que chegou ao poder estatal local,aliado ao PC do B,  e que ainda tem um Lula, que dizem, dizem em primeiro lugar nas pesquisas eleitorais   (porque tudo inconfiável no Brasil, muito mais pesquisas das “elites”)?

Ou os militares (as forças militares oficiais ) têm consciência que trata-se de um Lula falso “esquerdista” apenas para enganar idiotas brasileiros ? Idem o PC do B atual (que sabe-se lá como foi reconstruído após massacre e infiltrações na Lapa e derrota no Araguaia, com a traição de velhos dirigentes) ?

Ou,  se não,  como chegou esse partido a ter um Ministro da Defesa (Aldo Rabelo) comunista , admitido pelos militares ? Tornaram-se também “comunistas” ou sabiam que fora construída uma imensa farsa, teatro, pseudo-comunista , no Brasil, Lula , PT, PC do B, à frente, tanto que levaram o país mais à direita ainda sob beneplácito militar ? Ou os militares foram novamente enganados ?

Aí, se não admitem terem sido enganados, a pergunta seria outra – como e por que permitiram tal farsa ? Porque , via serviços secretos, que participaram disso, estrangeiros e nacionais, sabiam que se tratava de um teatro político apenas para enganar milhões de brasileiros- e para levar o pais ainda mais à direita , liquidando os “comunistas”(de brincadeira ) ?
Então, se participantes disso, seriam mais responsáveis ainda pelo que se passa hoje no Brasil. E devedores do povo brasileiro .
Bem, os resultados estão à nossa volta . Que reflexões e análises, cabe retirar das passadas(e presentes, quase omissas ) atuações militares , ao longo de nossa História , em especial as nas últimas décadas – 1889 e 1964 ? Algumas estão acima. Há muitas outras.

QUAL A MISSÃO

DAS FORÇAS MILITARES?

Manter viva, em paz, próspera a Nação Brasileira, seu povo sua gente. Se preciso lutar e morrer por ela, não matando-a e a seu povo .
Analisemos as tarefas – políticas, sim, pois Góis Monteiro e outros tinham razão . Começar talvez pela evidência que o Império sempre “sabotou”,desvirtuou os interesses da possível,viável Nação Brasileira , que poderia ser soberana e independente, não fosse pela ação dele , Império, por não desejar a mínima competição, rival prospero, industrializado, etc. Ora, essa é exato a nação que eles, militares brasileiros, tinham e têm a missão profissional de defender , inclusive fronteiras e povo, bem estar e segurança, parte fundamental do próprio conceito de Nação e Estado.

Imagem relacionadaOs EUA atuaram sempre no sentido previsto e analisado por um americano , Noam Chomsky, “Como entender o poder”, análise muito citada neste site – não permitem nenhuma independência ou soberania ou industrialização efetiva nacional em suas colônias . (E reconhecem isso em publicação autorizada nos EUA de seu CSN, já divulgada. Citada, por sinal, por Chomsky ).

Ora, manter a nação independente , soberana, industrializada, com “ordem e progresso” seria, seria exato a tarefa das forças militares. Não cumprida até agora, muito ao contrário, o país sendo destruído e elas próprias sem estrutura para tal, inclusive sem condição tecnológica à altura para poder cumprir seu dever. Se a nação não é soberana, ou nunca foi, ou não conseguiu ser, independente de críticas ao passado , a quem caberia , pela Constituição, pensar tal e ser o centro , a essência dessa construção ? Ou se preciso lutar por ela, morrer por ela ? Afinal , quem foi preparado, pago , profissionalizado com tal objetivo ? Não foi Seu Manoel, aquele pedreiro simples , de 65 anos, hoje, lá de Belford Roxo, rua de barro, famílias grande, que talvez já tenha morrido ou esteja morrendo.

     PROTETORADO AMERICANO

Resultado de imagem para Mangabeira Unger Vergonha máxima abrir a tv e ver o que hoje se vê, seguidamente, na política , inclusive. Mas,há casos que se destacam.Chegamos ao ponto em que um Mangabeira Unger , brasileiro ,tão americanizado que não consegue falar sem sotaque americano, professor de Harvard, afirma em alto e bom som , sem maiores explicações, aliás desnecessárias, duas vezes , em programas diferentes de TV(Globonews, “Diálogos”, com Mário Conti) , que todas as comunicações brasileiras passam pelos EUA , inclusive os gps militares . Que o Brasil é um protetorado americano e que ele gostaria que fosse um “parceiro” e que tal não é possível dessa forma.

  SEM RESPOSTA ?!

QUEM CALA CONSENTE?

Quem respondeu a ele ? Algum general desmentiu-o? E Temer ? Algum político, parlamentar ,  até de esquerda, se é que existe algum ? E o “esquerdista” Lula, ex-presidente, anos no poder , antes com dezenas de deputados no PT e PC do B e outros aliados ? Lula foi ex-presidente. Devia   saber de algo, desmentir ou confirmar e explicar por que isso. E o tal ex-Ministro da Defesa, o “comunista” Rabelo ?

Está certo, então, Mangabeira . E pior ainda – veja-se a situação brasileira, em outros aspectos .Os sofrimentos impostos ao povo brasileiro durante as últimas décadas, inclusive aqueles oriundos do último regime terrorista , e após ele , na“democracia”, até  o que se vê hoje à nossa volta – ausência de saneamento básico, prisões dignas, hospitais , segurança pública, territorial, caso da Amazônia, favelas, queima de ônibus, assaltos em pequena e grande escala , etc. – para entender-se o fracasso político daquelas propostas “neoliberais” .

   Foram militares como Golbery , entre outros, ele e uns poucos , os principais construtores do estado brasileiro de exceção fracassado atual , um Estado Frankenstein , que hoje chega a ponto de ignorar, omitir-se , diante da situação de até falta de direito de ir e vir de milhões de brasileiros, no Rio e outros lugares,  enquanto garante privilégios inúmeros a evidentes bandidos, corruptos, traidores da nação, responsáveis por milhares de mortes, instalados em postos diversos , cruciais , da mais alta administração do país .
Os “militares”, as forças militares institucionalizadas, organizadas , evidente, são responsáveis , aliás principais, pelo destino  da nação e do povo brasileiro – por suas atribuições constitucionais, compromisso firmado com a Nação Brasileira , e profissionais, além de morais com todo o nosso povo. 

                             

O FIM DA  NAÇÃO BRASILEIRA ?

   E OS BRASILEIROS ?

 

A simples ameaça de quebra da espinha dorsal nacional , riscos de secessão da Nação Brasileira, significa a quebra  das próprias forças militares institucionalizadas . Ou  seja pela  contínua  omissão delas  ou por  permitirem a derrota  em perspectiva   ou  por complacência  com o verdadeiro  explorador , que não é seu povo  ;  ou ainda em caso de  fuga ou  deserção frente ao enorme poder inimigo ,   quando estará abrindo mão de suas precípuas funções  para   quem quer que  se aventure a tal 

Ao contrário do que prega o Império, depois que elas intervieram a favor de seus interesses por aqui ,  em especial desde 1964, o que provado já está,  face ao falso então “perigo iminente comunista” , invenção/ardil  esperto , incentivado pelo próprio Império, por meio de agentes infiltrados e diversas provocações, capazes de justificarem massacres contra povo e militantes desarmados .

   Tais pretextos ,  que  levaram ao esmagamento  das forças populares então em ascensão ,  levaram também  o país à situação em que se encontra . Agora  forças militares só poderão e deverão intervir  nos destinos da nação para defender seu indefeso povo .  Para ajudá-lo a afundar mais ainda não tem sentido. A não ser que queiram reprimir alguma ainda resistência popular contra a destruição da Nação, que só poderá estar dirigida contra o Império – quem sempre a entravou e principal responsável pelas desgraças nacionais, ao lado de locais, nem diga-se nacionais, porque não o são ,  oligarquias corruptas e traidoras .

 Ou  intervirão a serviço de novos ardis (do Império ),  capaz de inventar e organizar , por aqui , junto com agentes locais ,  algum “grupo terrorista” , ou partido de tal tipo , que possa servir-lhe de pretexto, quando precisar , como”provocação” para que possa intervir , como  mostrou-se  perito em fazer  no Oriente ? Será que até já o fez ,  no Brasil, estando  os provocadores apenas aguardando ordens  secretas  sobre o momento de “acordarem” ? Os serviços secretos estrangeiros são peritos nesses misteres, , conforme os conhecidos  livros sobre eles,  como o famoso “Diário da CIA”, de
Agee.

             Se não , a simples omissão das forças militares daqui,  frente à degringolada nacional , com descumprimento evidente de suas funções,  também  caracterizará uma posição, a essa altura da crise nacional. Porque envolve e significa    – licença , bandeira branca frente  ao inimigo e a seus aliados internos,  para que continuem o verdadeiro saque do país e seu povo.  Destruição do que resta do Brasil .

             Isto é , sendo explícitos , continuarem “assaltando” (como fazem/fizeram  com a inconstitucional “dívida externa”, que analisada e auditada de forma isenta  viraria crédito brasileiro  ;   e com o BNDES -cf.vídeo anexo) , apenas por exemplo, os criminosos soltos, lépidos e fagueiros ; ou também o fizeram  com a verdadeira imposição de proibir aos brasileiros o uso de seus  próprios minérios(aliás , continuamente assaltados por eles, desde décadas atrás , à força, com navios por perto, no Espírito Santo, década 40)  ,   para beneficiarem-se de energia nuclear , mesmo para fins pacíficos  – tudo isso  levando a Nação à ruína política, econômica  e social, dentro da qual aliás já está . (Excetuando-se  setores das oligarquias , elites e parte das chamadas “classes médias”, mesmo assim  já entrando em crise aguda) .

Em outras palavras, a omissão delas e do povo em geral, partidos, estudantes, movimentos sociais, trabalhadores , sindicatos , profissionais liberais , funcionários públicos, membros da Polícia Federal, Ministério Público, policiais militares ou civis ,  etc. , a esta altura , permitirão o país  consolidar-se  como  uma Província ;  ou , então , tornar-se ,  direto , parte do  território de outra nação. O que será  precedido  do prévio suicídio doloroso  das forças militares institucionais. 

    Não há exagero nisso, infelizmente  – basta uma pesquisa não tão complexa para comprová-lo.(Façam-na, confiram dados)  .  Podemos estar vivendo os últimos dias da nação brasileira, e vejam que nem mencionamos  “estado brasileiro ” , eis que não é mais dirigido de forma soberana por brasileiros escolhidos pelo povo . Como  elas, forças militares,  não podem deixar de ter consciência do acima, bastante óbvio, a posição de contínua omissão só pode ser entendia no sentido  que nossas forças militares já assimilaram a posição do Império e de oligarquias locais no sentido da admissão do fim da nação brasileira . Apostam nisso , disfarçadamente.

Isto via ardis, pressões e aquele destino pastoril e agrário lembrado por Celso Furtado,  sonho antigo do Império quanto aos países  latino americanos ? Isto é  , o país, agonizante , deverá  ser , então, liquidado, degolado, de forma disfarçada ,  sem qualquer efetiva resistência ?

Estas algumas lições a serem retiradas  sobre a República Brasileira , de 1889 a nossos dias.  Refletir. Há outras,  sustentadas por autores sérios e com  análises consistentes, como veremos adiante.

*******************************************************************

  (Notas, hipóteses, noções, observações – abaixo detalhadas , com específicas referências . Original não revisado, o que não impede entendimento. Atenção – Difícil o entendimento de certos pontos, compreende-se ,  na medida que a invasão do site por hackers (cf. artigo) , e a necessidade de sua reconstrução desde o zero , não nos permitiram a republicação de uma série de artigos  em que se apoiam  pontos acima sustentados, lá citados com refs. . Continua – III ).

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.