Brasília Ainda Chora -os anos sombrios…

abr 1, 2018 by

Brasília Ainda Chora -os anos sombrios…

Brasília Ainda Chora

 

      * os anos sombrios e a tragédia brasileira *

 

     Brasil . Juventude iluminada ,mas, afinal, perdedora -brilhante, bem intencionada , corajosa – e ingênua , inexperiente , incapaz de avaliar suas forças e as dos inimigos, as aparentes e as invisíveis. A ação de opositores, inclusive agentes estrangeiros, clandestinos , foras da Lei, sob proteção do Estado, sempre via violência e ardis, abortando , construindo, reescrevendo a História do Brasil.

      As tramas levam-nos a indagar se o terrorismo de então, inclusive crimes e violência aparentemente comum, teriam sido superados – ou se, após décadas, os brasileiros patinamos no passado, padecendo, sem perceber, daquelas heranças e armadilhas do passado – confusos e perdidos.

          Contos,  mas não só ficção  sobre  lutas contra a ditadura, pois abrangem período que  chega  a  nossos  dias .  Além disso,abordam, via personagens,táticas,estratégias,divergências políticas, “desaparecidos”,  amores,   questões  existenciais.  Os personagens movem-se desde  décadas   atrás  –  heróis e falsos  heróis,vítimas e algozes,  estrangeiros,  CIA. E gente comum ,  à volta  dos atores principais, mergulhada na política,   mesmo sem consciência disso.

*******************************

      Brasília Ainda Chora   Brasília Ainda Chora  / Mauro M. Burlamaqui é um escritor maduro, talentoso e surpreendente, forjado da forma mais eficiente que é a da vida. Seus contos são tramas ficcionais, voos imaginários fruto das experiências vividas, lidas ou captadas pela observação e ambientadas em Brasília na época da Ditadura Militar no Brasil. Contos que nos prendem pela autenticidade e nos levam a fantasiar.

        Não falarei de todos, mas afianço que os 17 contos pungentes de Mauro M. Burlamaqui nos brindam com inaceitáveis verdades sobre a condição humana e possuem em suas narrativas curtas, mas empolgantes, cenas fortes, com uma carga emotiva que nos envolve e nos trás reflexões sobre nosso país, mostrando que quase nada mudou da Ditadura para cá em relação às mentiras políticas e sociais que moldam nossa sociedade, revelando o ser humano na sua essência, parecendo que não há esperanças para sairmos do abismo social em que nossa Nação mergulhou e, num espectro mais amplo e filosófico, nem para o melhoramento do sempre presente egoísmo humano.

        Alguns contos me chamam mais a atenção e são os meus preferidos, sendo eles: “Com os dentes trincados” que mostra a situação de um trabalhador brasileiro que vem para a cidade grande na busca da ascensão social e com os parcos recursos que possui compra um carro…, mas sofre …; “Antes da tragédia” caminha sobre estereótipos, preconceitos e inversões de valores quando uma idosa vai à delegacia prestar uma queixa; “O deputado católico revela a dubiedade de um bom político no olhar de uma mulher incapaz de ver o todo …e um Brasil absurdo de crimes ,sequestros …

     “Madrugada 13” nos traz um sombrio episódio onde um solitário faz suas vítimas nas noites brasilienses; Brasília ainda chora, conto que dá título ao livro revela um médico em ação, militante de uma das muitas organizações que faziam resistência à Ditadura Militar; “O assassino do lago”, embora possa ser lido independente dos demais contos, é o complemento de Madrugada 13”… onde será revelado o destino do criminoso; e por fim, em “Um herói brasileiro um agente da Ditadura, preso, recebe a visita de seu ex-chefe e conta uma história  tão forte, tão densa que vai nos incomodando… e acelerando nossa respiração …

        Assim, nestes contos, quase roteiros cinematográficos, o leitor entenderá o painel sugerido …de décadas …(e muito mais se ler as entrelinhas)… e se encontrará e se encantará com uma Brasília que ainda chora. (*) 

                                                                                          Pedro Pazelli

                                                                                      (professor; escritor)

(*) Informações:

 

civilisieped.com.br/loja

 

estantevirtual.com.br

 

Brasília Ainda Chora Brasília Ainda Chora

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *