No País dos ‘Maricas’ – Deus , Urnas Suspeitas, Milícias, Epidemia…

nov 15, 2020 by

No País dos ‘Maricas’ – Deus , Urnas Suspeitas, Milícias, Epidemia…

No País Dos ‘Maricas’ – Deus , Urnas Suspeitas, Milícias, Epidemia…

[Editorial de Caminhando Jornal TV nº 58 ]

Mauro M. Burlamaqui

1

Bolsonaro mente e diz e contradiz-se, a cada dia – chama milhões de brasileiros de “maricas”e festeja a parada da Anvisa relativa aos testes da vacina chinesa . Logo a vacina é liberada, sem objetivo a paralisação, e ele muda sua fala . Grita, por toda parte , como Hitler o fazia, décadas atrás – “Deus , Pátria, Família” . Logo ele, que fez e faz exato o contrário da pregação cristã.

É tido por milhões de brasileiros como despreparado , com problemas psicológicos , aloprado destrambelhado . E tem quem ache engraçado.

-2-

As eleições , no Brasil, ou em qualquer lugar , sob o sistema capitalista , tem importância , eis que o sufrágio universal foi conquista popular de séculos, o sistema eleitoral funcionando via partidos e sendo meio de circulação de poder , segundo as relações de força em curso, no bloco dominante .

Isto é, estabelece-se certas alterações e reajustamentos entre as classes e frações em disputa, nos centros de gravidade do poder . É gerado , assim, contexto de maior interesse e discussão popular – politização , informação , debate. Foi conquista imposta pelos que padecem do poder aos que o exercem, através de muito tempo e lutas . Tanto que, em vários tipos de estados de exceção, os que exercem o poder tentam , logo que podem , suprimir aquela possibilidade.

-3-

Mesmo no estado de exceção implícito e informal brasileiro, aliás, cada vez mais explícito, essa extinção ou limitação extinção ou limitação tem sido sempre buscada pelas “elites do poder”, de várias classes ou frações . Basta ver as atuais urnas eletrônicas suspeitas, quando recusa-se, de longa data , dar real segurança a elas , com um também paralelo voto impresso ; ou a (in)Justiça Eleitoral brasileira, desde Vargas, décadas , julgando recursos contra si mesma, isto é , processando impugnações e recursos contra atos do próprio Judiciário; ou o voto obrigatório, no Brasil, que implica em dever e autoritarismo, e não direito e crítica, eliminando, na práxis , exigindo uma luta por mobilizações populares partidárias , um maior e mais autêntico ar libertário nas eleições; ou , ainda, os partidos políticos atuais, inexpressivos , sem identidade , embora, em tese , cerne da democracia , segundo Kelsen , via seus programas .

-4-

Os partidos gozam de exagerada autonomia , o que lhes permite terem , face à organização interna , verdadeiros “donos”, sejam famílias ou patriarcas ou oligarquias . E tem , ainda , seu papel original esmaecido e roto , pois eles quase substituídos pelo “ Príncipe Eletrônico”(Octavio Ianni) .

Ou seja, por uma big mídia articulada entre si , financeiramente poderosa , atuando via analistas, intelectuais, profissionais diversos, embora não partidários . Ao fundo, há uma base e direção dessa mídia , dando-lhe rumos, táticas e estratégia – as “elites” dominantes, hoje, oligarquias financeiras , integradas ao Império do Capital, EUA à frente.

Todos defendendo, sempre e em especial, em eleições , primeiro , o próprio sistema , o regime e suas instituições. Mais do que uma ou outra candidatura, pois financiam e/ou apóiam , indistintamente, um ou outro lado , até mesmo as “oposições” ao governo , embora não ao regime .

-5-

Confira 7 boatos já desmentidos sobre as urnas eletrônicas no Brasil - Fotos - R7 Eleições 2020

Atualmente, por exemplo, estão na defesa férrea das urnas eletrônicas , nas mãos do STF e das oligarquias , do sistema eleitoral desvirtuado, que não é forma de efetiva aferição dos desejos políticos da maioria , mas uma de várias técnicas eleitorais possíveis para definir uma maioria do povo , esta a ser antes determinada.

Poderíamos retroceder e ir às origens e depois avanços desse processo eleitoral atual , à própria Constituição e à Constituinte de 1986. Para começar – um – não se tratou de uma Constituinte autêntica , mas limitado Congresso Constituinte; dois – disposições , e constituintes , foram regados a dólares , havendo compra de votos , corrupção , algo comprovado por Dreifuss , em “O jogo da Direita” .

Indo adiante – o voto proporcional , caríssimo , ao invés do mais barato , autêntico e organizador : voto distrital ; e – pouco depois de aprovada , uma Constituição restringida, logo podada de importantes normas, garantias da soberania e independência nacionais e da estabilidade financeira.Caso, por exemplo, das relativas ao entendimento de empresa nacional , meios de comunicação de capital nacional , etc.

Isso , muitas vezes, com apoio de presidentes recém-eleitos, aproveitando-se do auge de sua popularidade . Caso vergonhoso , à “esquerda”, entre aspas , o da alteração do art. 192, da Constituição Federal , que até então estabelecia juros máximos de 1% ao mês, para concessão de créditos, comissões, etc. , Além desse limite, juros maiores eram considerados – crime de usura . Pois bem – logo após eleito, um Presidente popular liderou a alteração desse artigo, os resultados chegando aos absurdos juros de hoje , dos bancos e cartões de crédito . De um lado, um presente único no mundo , a esse nível , para as oligarquias financeiras nacionais e internacionais . De outro, um assalto, de décadas , contínuo , ao bolso das massas populares , hoje parecendo consolidado e esquecido .

Que todos investiguem e divulguem os nomes dos que lideraram aquela luta pela aprovação de tal emenda constitucional e também dos que nela votaram .Verão que a origem de tal retrocesso não esteve apenas na “direita”, bem ao contrário. Perceberão , então , como o povo brasileiro tem sido enganado, por todos os lados e em todos os tempos , por gente que usa máscaras políticas .

Muitas mais deturpações, ou ao menos questões discutíveis, poderiam serem levantadas , caso de nosso superautoritarismo presidencialista , que sempre permitiu desvirtuamentos, desde 1889. Por exemplo, livres concessões para empresas de rádio e TV , sem critério justificável .

O resultado ? Negociatas , corrupção e impunidade, desde o início da República , contra nossos interesses econômicos e soberania .Mais – estrangeiros manipulando direto e controlando nossas comunicações e , daí , a opinião pública e o processo eleitoral e político.

-6-

Mesmo durante o regime militar, e depois dele, sem exceção de nenhum governo , o que tivemos foram escândalos , a nível nacional , sempre envolvendo o Executivo , bastando pesquisar-se , como o fez Paulo Napoleão , em seu livro “Autoritarismo e Impunidade”- de bancos a obras diversas , terras , licitações e até pontes.

Sem lembrarmos omissões talvez intencionais , como algumas na Constituição de 1988, que apoiou-se em normas da constituição democrática de Portugal .Mas, que ignorou , por exemplo , o chamado “direito de antena”, lá existente, que impede a mídia de deixar de informar desdobramentos e resultados finais de qualquer caso que ela tenha noticiado. Em suma, norma que evitava fosse abafado um assunto e esquecidas certas noticias . Caso , no Brasil, por exemplo, de denúncias de fraudes em urnas eletrônicas e de escândalos envolvendo bancos , manipulações financeiras e alguns crimes políticos.

-7-

Nossas eleições , que não terminam nos dias das votações, mas bem depois , pelos recursos, resultados, leis geradas, etc. desenvolvem-se num contexto anormal e bem pior que o descrito : assassinatos como o de Ignácio, chefe da contravenção , “jogo do bicho” , no Recreio , duas horas da tarde, mesmo ele com seguranças e carro blindado , prova que ninguém está seguro, no Brasil ; o filho do presidente , Flávio, Senador, envolvido , como o resto da família, com lavagem de dinheiro, quadrilha , apropriação indébita , segundo o MP ; 23 mortes (políticas) , no Rio, desde 2018, sem qualquer condenação; milícias cobrando taxas de gás, tv a cabo, luz e outras ; em PE. vereadores mortos à bala; no Rio , 52 bairros, mais de 4,4 milhões de pessoas afligidas pela violência da milícia e do tráfico ; e , na Costa Verde, milícias em luta , disputando áreas, quadrilhas inteiras de tráfico contratadas por elas…

-8-

No âmbito administrativo , na saúde pública , faltam medicamentos, salários estão atrasados; a educação sendo militarizada ; o Brasil, com dívida pública acima de 6 trilhões, chegando a 100% do PIB, só menor que a de Angola e Líbia;etc.

Quanto ao poderoso Executivo , o Presidente da República propaga , entre o povo , dia sim, dia não , intranquilidade, mentiras, bazófias . Apenas interrompeu tentativa golpista , em curso , face à reação encontrada, da esquerda à direita mais liberal, passando por militares e altas autoridades de todos os poderes.

Além de ter-se tornado figura ridícula, nível nacional e mundial , o presidente levou o país, já em crise anterior , à situação descrita . As medidas tomadas por ele voltam-se , em geral, contra a soberania, a independência, os sentimentos do povo(?), a moral em curso , a ética e anti qualquer forma de humanismo. Porque defende violência , torturas, desrespeito às leis vigentes, aos mais fracos . E dependência em relação aos poderosos , caso dos EUA.E aí há uma contradição a ser estudada – sua posição, de fato , anticristã , embora a declaração diuturna de pró-cristianismo , num cinismo aceito como tal . Seria este um cinismo também de muitos outros autodeclarados religiosos ? Ou , por demagogia, apesar de todas as suas atitudes, é acreditado pelos religiosos cristãos ?

-8-

Donald Trump | euronews - notícias internacionais sobre Donald Trump

No País Dos ‘Maricas’ – Deus , Urnas Suspeitas, Milícias, Epidemia…

No Senado, houve a aprovação da independência formal do Banco Central, que retira do país a direção autônoma da economia . Quanto à epidemia, o Brasil já atinge 162 mil mortos , tendo o presidente subestimado e dado pouca atenção a mortes e avanço da doença , aparente sem perder prestígio. A par disso , tem apoiado qualquer medida oriunda dos EUA – inclusive quanto à Venezuela, à tecnologia 5 G, ao meio ambiente, às agressões a líderes nacionais e de outros países . Um dia xinga um Collor, no outro elogia. Não tem credibilidade – é encrenqueiro , aloprado , mentiroso comprovado , etc.

Então , por que aceito, popularmente , como também Trump , que ele imita ? Respaldo do Império do Capital, através de importante fração , recursos financeiros, apoio das oligarquias financeiras locais e outras , por falta de alternativas e por ele já estar no exercício da presidência .Em suma, presidente eleito lá como tenha sido , atual defensor um do Império e seus interesses. Além da demagogia permanente, bem aceita pela ignorância popular e, recente, apelo a figura e tradição de Deus e religiões , bem arregimentadas, politicamente.

Fora a questão psicológica do medo, o maior fator de coesão social conhecido – forças militares, milícias, berros e gritos e ameaças , sombra de antigas torturas e desaparecimentos . O Império do Capital atuando aqui , invisível , seus tentáculos, caso da CIA e outros serviços de informação, nos bastidores.

-9-

O atual presidente até tentou um golpe (bem descrito por jornalista da revista ‘Piauí’) , mas voltou atrás por falta de apoio. Submete, de resto , os interesses nacionais aos dos EUA , de forma evidente e abjeta. Um jornalista assinala passarem de uma dúzia os crimes de responsabilidade cometidos por ele. Nomeia um contra-almirante para dirigir a ANVISA, que, por sua vez , dificultou, ilegalmente, testes e produção de vacinas, sem razão – só porque envolvia tecnologia chinesa.

Contestando o novo presidente eleito dos EUA ,Bolsonaro menciona , em vídeo , ridiculamente, “pólvora, ” que afirma deveria ser usada quando a diplomacia não resolvesse os problemas , algo absurdo a ser dito para autoridade do país mais armado do mundo – e por parte de um país frágil ,desindustrializado e mal armado , como o Brasil.

Os mentores do presidente são, assumidamente, as autoridades dos EUA, chegando ele a prestar continência à bandeira americana . Lá , ocorreram , há pouco , eleições anormais , Trump, ídolo do presidente brasileiro, vencido por Biden . Eleição regada a ameaças , denúncias, acusações, brigas de rua , provável piores do que o propagado, abafadas pela big mídia.

-10-

A plutocracia americana em crise . Um estado de exceção informal como o Brasil, técnica de governança moderna das democracias capitalistas, via manobras jurídicas, interpretações, pareceres e outras , embora sem ceder à fraude fácil das urnas eletrônicas brasileiras, sem garantia impressa .

Os EUA não são, hoje,pois, exemplo para ninguém , em nada . A farsa está desmoralizada . Muito menos exemplo para povos pouco poderosos, econômica e militarmente, ocasião em que o Império revela-se particularmente covarde – o Japão , de Hiroshima e Nagasaki , derrotado na Segunda Guerra Mundial ; ou o Iraque, a Líbia, a Síria, o Vietnan e centenas de outros países bem o sabem .

O Império age amoralmente, usa torturas, bombas , assassinatos via drones, golpes de surpresa, napalm – sem limites . Para não falarmos no desrespeito total a direitos humanos e à soberania dos povos, à ONU, à humanidade .Isto seja via Bush ou Channey ou Obama ou Trump – muda a forma de agir , não o conteúdo.

Trump pareceu querer legitimar, mundialmente, a violência do Império, cuja face torturadora e terrorista é exibida até em filmes , coloridos, com grandes atores , heróis da CIA defendendo o mundo , mas torturando e assassinando. Adiante, talvez pretendesse a legalizar a violência , internamente e no plano mundial, via ONU.

Trump acusa o sistema eleitoral dos EUA de corrupto, as eleições de fraudadas , os participantes de biltres e vagabundos criminosos – uma grande farsa . Se com a razão , existiria um regime interno bárbaro , sob máscaras e biombos de religiosidade, progresso , democracia.
Já se ele mente , não tendo razão neste episódio da eleição , em que foi derrotado , trata-se de um mentiroso , sem vergonha , exemplar ímpar de canalha , que trai e avilta seu povo , desmoralizando-o . A pergunta , então, seria – e como um canalha teria feito carreira nesse meio, que seria honesto e democrático, até culminando ser eleito presidente ?
Em qualquer hipótese , nos EUA, como no satélite Brasil, uma sociedade dividida , confusa, errática , desinformada , uma parte de ignorantes , politicamente . A resposta envolveria corrupção , dinheiro, crimes e mentiras diversas, muitos outros participantes tipo Trump, o capital acima de tudo , especialmente o financeiro, improdutivo , e por isso ele aceito . Havendo muitos resquícios de outros tempos e outros valores(Questão a ser estudada , que não caberia aqui).

-11-

Como consequência disso, um medo e insegurança mundial , entre os vários povos , especialmente os integrados ao Império , quando se sabe que os EUA, um bloco terrorista mundial, liderado por indivíduos como esse – e em crise profunda , exibida mundialmente pela big mídia . Que o digam os países antes citados , mais a Argentina que tinha tratado militar com os EUA , e que , abandonada, perdeu as Malvinas ; ou as então crianças vietnamitas, vítimas do uso de napalm; ou o Cambodja , dia e noite bombardeado ; ou as famílias e os brasileiros torturados sob a direção de agentes americanos, caso de Dan Mitrione e outros.
De outro lado, atenção e incentivo a outros regimes discordantes , na atual multipolaridade mundial, por certo incentivados por essa situação.

Trata-se a república americana , em qualquer hipótese, como vemos, uma república apodrecida em suas bases, aliás , como a brasileira , sustentada por oligarquias minoritárias, que nada tem de democráticas e muito menos igualitárias. Elas são , sim , peritas em marketing, propaganda, fachadas e biombos , capazes de bem esconder a realidade.

-12-

Se o exemplo americano pouco serviu ao Brasil , seja no passado como no presente, o que nos provaram desde um Eduardo Prado a Moniz Bandeira , além da pesquisa e comparação e aferição de dados, o que buscarmos para o futuro do Brasil , curto prazo ?

Primeiro ter em vista e aferir os riscos , efetivos, de golpe militar ou paramilitar , com omissão inicial militar , algo calamitoso tipo o ocorrido na Indonésia(1965), em especial , do qual aquele país jamais recuperou-se . As esquerdas ou democratas radicais atuais não parecem em condições mínimas , seja quanto à ideologia ou quanto organização , no sentido de enfrentar tal tipo de ação contra o frágil e limitado regime democrático vigente . Até porque quem tem liderado a luta contra a extrema-direita bolsonarista tem sido a direita e o chamado centro direita , não democratas radicais ou esquerdas . A elas devendo-se não ter sido desferido golpe muito mais radical do que o que vem avançando, pouco a pouco , com a administração Bolsonaro .

Caberia abandonar e combater essa democracia brasileira , tão falha como referido, pouco debatida, apoiada na falta de transparência, discussão e ignorância popular ? Ah, e também no uso de vários ardis de bons estrategistas americanos .
Uma democracia que está sendo imposta , além da superfície , pelo medo como arma psicológica , antigas torturas sempre na ordem do dia , o presidente perito em trazê-las , ameaças de milicianos, de golpe via forças militares, etc. – insista-se . Além disso, por oportunismo puro e simples – cargos de vereadores , deputados, senadores, até governadores, privilégios e salários de gabinetes , tal à direita e à esquerda, verbas, corrupção, financiamentos , etc. De fato, “o de sempre”, em especial após a aliança bolsonarista com o chamado “centrão” do Legislativo.

De qualquer modo , não haveria forças para combatê-la , mas lutar para corrigi-la, passo a passo , e aí numa situação como a descrita, talvez recorrer a lições gramscistas, no momento . E haveria muito a fazer , como visto . Buscar propostas no sentido defender o que nos resta , fiapos de “democracia”, corrigir erros anteriores de organização , taxar grandes fortunas , investigar a absurda dívida absurda , cobrar , adequado IPVA de iates milionários e aviões, como se tem sugerido , reverter absurdos de bolsomilicianos, punir crimes e ilícitos , venham de onde vier, recordando-se o famoso “ninguém está acima da Lei”. Todos mobilizarem-se neste sentido , mas com os cuidados devidos, mas com ou sem pandemia.

Integralistas cariocas participam do Dia da Pátria - Integralismo | Frente Integralista Brasileira

Em período eleitoral, temos assistido presidente , “bispos” e “pastores” a gritarem – DEUS , PÁTRIA e FAMÍLIA !

Quase piada, pois vinda de torturadores e defensores de torturas . Contraditam Deus e a Bíblia e Cristo .
Quanto à“defesa da Pátria”, como possível , se aviltam interesses nacionais até prestando continência à bandeira dos EUA ? E apoiam projetos antinacionais em nome do capital financeiro e dos EUA .E votam , nos foros mundiais, contra interesses do próprio país e a favor dos EUA .E falam em Pátria … Hipócritas.

Como tal gente defender “família” , se o chefe recebia “auxílio-moradia” da Câmara, dinheiro do povo , para “comer gente”, ele mesmo disse ? Família ? Como , se ofende colegas deputadas , defende torturas e torturadores , ofende as família dos torturados e seus descendentes?

Trata-se do cúmulo da hipocrisia, condenada por Jesus e pela Bíblia , que fingem defender . Ora, até quando os verdadeiros cristãos e outros , seja por covardia, ignorância ou comodismo , aturarão tais espetáculos, em que essa gente até dança , brincando e debochando, ao fundo de Deus, de Cristo e da Bíblia?
É preciso que isso seja mostrado e discutido , a nível popular . O que eles tentarão impedir pela falta de argumentos.
O que viu-se nas tvs, nos últimos dias, justifica o texto :

O nome de Deus passou a ser o último refúgio dos canalhas, não o patriotismo. Que o digam Flordelis, João de Deus , Trump e o pastor traficante Elisamar. Entre muitos outros ”.(*)
________________(*) Original não revisado , o que não impede entendimento .

Related Posts

Tags

Share This

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.