Ferreira Gullar – Jóias da Poesia

dez 2, 2018 by

Ferreira Gullar – Jóias da Poesia

(Maria Lúcia Lima)

*******************************************

 

         UM

                                                              Cantiga para não morrer 

 

Quando você for se embora,
moça branca como a neve,
me leve.

Se acaso você não possa
me carregar pela mão,
menina branca de neve,
me leve no coração.

Se no coração não possa
por acaso me levar,
moça de sonho e de neve,
me leve no seu lembrar.

E se aí também não possa
por tanta coisa que leve
já viva em seu pensamento,
menina branca de neve,
me leve no esquecimento.

 

 

 

   DOIS                         

                                                                  

                                                                        Subversiva

A poesia
Quando chega
Não respeita nada.

Nem pai nem mãe.
Quando ela chega
De qualquer de seus abismos

Desconhece o Estado e a Sociedade Civil
Infringe o Código de Águas
Relincha

Como puta
Nova
Em frente ao Palácio da Alvorada.

E só depois
Reconsidera: beija
Nos olhos os que ganham mal
Embala no colo
Os que têm sede de felicidade
E de justiça.

E promete incendiar o país.

                   

                                                         TRÊS

                                                                Dois e Dois são Quatro

 

Como dois e dois são quatro
Sei que a vida vale a pena                                                                                            Imagem relacionada
Embora o pão seja caro
E a liberdade pequena
Como teus olhos são claros
E a tua pele, morena
como é azul o oceano
E a lagoa, serena

Como um tempo de alegria
Por trás do terror me acena
E a noite carrega o dia
No seu colo de açucena

– sei que dois e dois são quatro
sei que a vida vale a pena
mesmo que o pão seja caro
e a liberdade pequena.

 

____________________________________________________________________________________________

(Original não revisado , o que não impede o entendimento. Confira a obra de Ferreira Gullar. Vale à pena).

              

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *