Vivendo Crises e Retrocessos

jan 17, 2019 by

Vivendo Crises e Retrocessos

Vivendo Crises e Retrocessos

(Editorial de Caminhando Jornal TV 21 , integral/ 17-8-2019)

 

      Todos  cada vez mais , preocupados com o destino do país, de nossos filhos, famílias, amigos. Mais de 5(cinco) anos de crise. Não são palavras, mas fatos. A crise brasileira já nos atinge a todos, acreditamos que até às “elites” responsáveis por ela, parte administrando, e mal,  o país, mas preocupada, seja nas ruas ou até bares e restaurantes . Outra parte,  na cadeia . Restantes se autoprotegendo, propondo projetos , interpretando em proveito próprio Constituição, leis e recursos .Todos unidos pela corrupção, fora exceções que confirmam a regra .

Agora , por isso, investem, com violência , contra a lava-jato , Dallagnol e Moro, criticados muito mais  pelo trabalho positivo que fizeram, que atinge corruptos de todos os matizes , solidários entre si, do que pelos erros cometidos , que também são um fato. Quanto à crítica e providências a nível do Judiciário contra eles, sem sentido na medida em que  trataram-se de gravações ilegais e não periciadas . Sem justificativa, pois, de providências , a nível de Judiciário, contra eles.

 Passamos de 20(vinte) programas, feitos em modestas condições, por colaboradores e produtores , cidadãos preocupados, mas não especialistas em  TV ou Rádio . Professores, escritores, aposentados, psicólogas, donas de casa, ativistas culturais, profissionais liberais.

 

    UM

De algum modo, somos um microcosmo da sociedade,  vítima de“elites” traidoras do povo brasileiro , que nos levaram a essa situação , que se agrava paulatinamente . Ela,  o resultado de super-exploração, corrupção, apropriação de bens públicos, desvio de recursos, submissão vergonhosa a interesses estrangeiros .

Sim, somos um microcosmo do que se passa , feridos também na carne, e isso pode ser visto quando, embora pequena equipe, nós e famílias temos sido vítimas de assaltos, ameaças , toques de recolher (Belford Roxo, em especial), tiroteios , impedimento de livre circulação , assassinato de familiares, prejuízos com chuvas e quedas de barreiras , tentativas de estelionato, etc.

Uma completa falta de condições de circular, comemorar , andar livremente, no Brasil, em geral, e , no Rio,  em particular, bastando ver-se  o site OTT (“Onde tem tiroteio?”).  Só hoje , já ouvimos diversos tiroteios, e mais de ontem para hoje,  uma dezena , quem sabe número maior , em bairros ricos ou pobres ,  Leblon, Ipanema, Copacabana, Tijuca, além de áreas como Maré, Bangu, etc.Todo lugar,  no Rio, já  tem favelas, misérias , pessoas sem teto .  Hoje, enquanto escrevemos, várias pessoas foram mortas por balas sem rumo ; sete mil empregos retirados, noticia-se  ; seis jovens mortos nos últimos 5 dias.

Áreas contaminadas , como Tanguá, continuando abertas ao público. Em Caxias, 4 mil pessoas ali vivendo,  em área tomada por pó de broca. Nem turistas  conhecem  direito os riscos de banharem-se ou caminharem nas areias de diversas praias famosas.

Em Angra dos Reis,  outrora lugar turístico famoso , seis mortos em operação policial , quando havia um baile funk .Ventos – e  logo dezenas de turistas, visitando o Cristo , lá ficaram presos , por horas .Razão –  despendido um bloco da base da estátua , por falta de manutenção.

 E esses turistas tiveram ainda sorte por  não terem sido assaltados, o que lá virou normal  .

 73% dos inadimplentes brasileiros tem mais de metade da renda comprometida com o pagamento de dívidas. Protestos contra corte de verbas na educação e a reforma da previdência,  em 85 cidades,  de todo o Brasil. Arrastões na linha vermelha,  com quatro feridos. Enquanto isso, a administração federal vai assumindo o controle de toda  comunicação , no Brasil . Essa uma realidade que muitos conhecem, mas todos precisam conhecer – e em detalhe, porque podem morrer numa visita ao Cristo Redentor ou num passeio ao Alto da Boa Vista ou até numa caminhada pela praia da Barra.

  DOIS

 

E , agora, insistência em uma proposta neoliberal, fracassada em toda parte , que nos tem desgraçado a todos, de fato imposta,  primeiro, por um golpe militar estrangeiro, logo pela violência e prisões, assassinatos e torturas – uma contra-revolução antidemocrática e antinacional . Passada essa fase inicial, o processo continuou via ardis diversos, armadilhas políticas , fraudes, estado de exceção informal e implícito , culminando na atual administração, de  ostensivo cunho e projeto anti-nacional   , que até presta continência a uma Nação estrangeira dominante. Tanto que eminente intelectual  , insuspeito por carreira nos EUA e até sotaque americano,  considera o Brasil um “protetorado americano” –e isso  há anos .

Entender e repensar o Brasil,  divulgar análises, este um objetivo , que não consiste em trazer novas notícias, pois não somos agência de informação – e nem de desinformação e confusão, como virou moda em nossos dias .

Vivendo Crises e RetrocessosTenta-se ser racional e não emocional , buscando  análises verazes , verdades, relativas que sejam , sem partidarismos ou preconceitos – firmes, claras , sem prévias censuras , que possam tocar em importantes “feridas” políticas. Não temos obrigação , como bigs  redes de comunicação “brasileiras”, de criticar , como elas fazem , qual orquestra afinada , por exemplo, o governo venezuelano de Maduro , obedecendo ao comando do Império Americano.

     Temos buscado, por outro lado ,  fundamentos teóricos e sérios para nossas críticas,  em autores brasileiros consagrados, premiados, caso de Moniz Bandeira , Carlos G. da Motta, Werneck Sodré, José Honório Rodrigues, Carlos Fico , entre outros . E isto sem preconceitos  . Com eles , tratamos de espinhosos temas da realidade brasileira . Situação caótica que milhões de brasileiros,  doentios, deprimidos, mal conseguem  encarar , muito menos resolver . Tenta-se analisar , da forma a mais leve possível,  e por partes.

 Isto porque não pretendemos nos dirigir apenas aos que pensam similar a nós, mas a todos que queiram debater, buscar verdades , entender o que se passa e no país – e propor soluções.

Justo por sabemos que milhões de pessoas tem sido enganadas, nesse entendimento ,  por ardis diversos, desde iludir-se com um comunismo ilusório e deturpado em cada esquina, o que foi feito em várias fases da história do Brasil , até ver o Império Americano como um oásis de paz , emprego , direitos humanos e  democracia Isso , enquanto ele hoje produz armas , guerras ,  perseguição a estrangeiros, estados de exceção  implícitos como o seu, além das mortes de milhões de pessoas, numa ação descarada e assumida , disfarçada com mentiras.

Foi o que  fizeram os EUA no Haiti , República Dominicana, Cuba, Vietnan , Síria, Iraque, Líbia, Iugoslávia e mais de uma centena de países , depois de coagirem boa parte da humanidade por décadas , com  bombas nucleares sobre Hiroshima e Nagazaki , assassinando centenas de milhares de pessoas. Ora, isso quando se sabia que a guerra estava ganha. Agiram por seus interesses geopolíticos,  naquela parte oriental do mundo.

Trata-se de oligarcas financeiros minoritários,  mas audaciosos , com poder no mais poderoso país do mundo , tomado por um complexo industrial-militar que necessita da guerra para manter-se ,e que administra por subornos (Jimmy Carter  ex-presidente), fraudes , violência – e Trump está aí , para demonstrá-lo.

 

TRÊS

 

Nesse momento, segundo a auditora especializada e confiável Maria Lúcia Fattorelli, auditora de fama internacional, incontestada ,  cansada de,  há anos, sem resultados (fora apoio popular),  mostrar o absurdo da dívida pública absurda,   que chega a 6 trilhões de reais .Viveríamos o que ela considera, não sendo contestada , repitamos,  uma imensa farsa.

Qual seja ,  afirmar-se , antes de tudo , que “um país rico , muito rico “, o Brasil,  estaria numa crise que necessitaria de uma “reforma da previdência” , aquela em curso , enquanto  teria  trilhões em reservas, etc. Para ela, o objetivo daquela reforma e da crise pré-produzida seria arrancar mais um trilhão de reais dos bens brasileiros , para pagamentos em benefício do poder financeiro internacional .

 Em outras palavras, com Bolsonaro ,e desde antes, teríamos uma crise falsa, em essência, pré-fabricada , como outras anteriores . Crise produzida de cima para baixo, a nível nacional e internacional ,  bem como seu resultado tão urgente como falso , culminando na reforma em curso . Uma situação de fato , resultante  de mais um “golpe” planejado pelo poder financeiro internacional (a partir do chamado Banco Internacional de Pagamentos , privado, localizado em Basiléia, Suíça, “o banco central dos bancos centrais” ), contra as riquezas e bolso de milhões de brasileiros, aproveitando-se de conjuntura altamente favorável àqueles interesses .

[Cf. site www.auditoriacidada.gov.br e , ainda , as origens , objetivos, garantias, privilégios e isenções usufruídas pelo banco citado, BIS, em inglês ,  hoje controlado por grandes bancos americanos, entre os quais os dois famosos First Bank e Morgan Bank  ). Próximos passos já programados , após  Bolsonaro estranhamente eleito presidente,  à frente do país , um passo anterior , seriam no sentido de dar autonomia ao Banco Central(o que já aparece , hoje, defendido pelo jornal O Globo, em editorial – 16-8-2019), projeto em andamento urgente no Congresso , quando aquele banco pairaria, em definitivo,  acima do restante do país, dando-lhe  as diretrizes econômicas e financeiras ,   com muito mais garantias e liberdade do que até agora . (Já as dá, em verdade, na atualidade , mas , operacionalmente, de fato, sem garantias maiores de autonomia e outras, antes mencionadas) ] .

Não se trataria  de projeto apenas para o Brasil, mas atingindo diversos países em todo o mundo .( O BIS coordena bancos centrais de cerca de sessenta países ). O Brasil, como alguns outros países, caso da Grécia, Chile e mesmo Argentina , laboratório para toda essa situação , de longa data , que envolve aspectos políticos e econômicos, sendo necessárias manipulações antes nos primeiros , para depois atingir os segundos.

Imagem relacionada

Não teria havido casualidades no processo que temos descrito, e repetido e insistido , resumido em editoriais, e mais detalhado em artigos em caminhandojornal.com  . Isto desde passeatas,  inicialmente,  de origem popular , quase que espontâneas , mas logo  depois manipuladas ; movimentos de juristas e de parte do Judiciário,  de postos mais baixos, indignados,  justo contra corrupção, inicialmente, mas , em seguida , envolvendo também manipulações que  iriam além das fronteiras nacionais  ; Dilma afastada por manobras jurídicas legais , mas politicamente planejadas em detalhe.

E mais – financiamentos estrangeiros daqueles  movimentos de rua citados, que culminaram na eleição até de deputados , com “virada” radical e estranha na eleição presidencial ; intervenção de poder estrangeiro nas eleições e formação da opinião nacional , via redes sociais, atuação em larga escala, com assessoria direta de especialistas de alto nível e poderosos,  a nível de sustentação financeira internacional, caso de um Steve Bannon  ; exacerbação da atuação de frações políticas dominantes , engajadas no processo descrito , abusando do estado de exceção informal e implícito existente no Brasil, o STF e Toffoli exercendo papel predominante; tal  como a cúpula militar que, para ascender a mais postos e poder(seja por que motivos forem, admitindo-se até  algum projeto de nação) , compôs-se com a  via mais rápida e possível  nesse sentido , engajando-se direto na candidatura  Bolsonaro .

Embora talvez não totalmente consciente de todos os mais que  perigosos engajamentos por trás dela , que chegam a Trump, CIA , Império Americano. Como dado não menos importante, urnas eletrônicas duvidosas e suspeitas(até por parte do então candidato Bolsonaro) ,  sob a direção e supervisão exato do suspeito Toffoli , na última eleição assessorado de perto por um General , indicado pelo Alto Comando do Exército , por sua vez engajado na candidatura Bolsonaro – em seguida, eleito . Casualidade nenhuma, mas causalidades entrelaçadas – diria o mestre Moniz Bandeira .

QUATRO

 

  Essas análises resumem , com editoriais anteriores e estudos e debates , o que percebemos nesses 5(cinco) meses , 20(vinte) números de  programa semanal curto e comunitário, mas sem censura .E com debates e discordâncias, muitas vezes, sobre os temas e pautas e editoriais e conjuntura , antes das gravações , sintetizados em editoriais anteriores e neste, 21 , buscando-se sempre  dar passos adiante, na compreensão de nossa realidade.

Agora,  avançar na compreensão de fatos em curso , da situação nacional, e no sentido de propostas para mudanças de uma arriscada situação , que muitos vêem à beira de algum tipo de golpe , provável violento . Pensa-se colocar em apreciação , nossa e de quem interessado , no programa,  não só figuras históricas, como fatos históricos , caso de “Getúlio Vargas – ditador, traidor , nacionalista ou estadista?” , título deliberado provocativo, programado para o dia 24 de agosto próximo, 65 anos de sua morte, em 1954.

 Deseja-se  aprender e buscar causas e antecedentes do caos atual, correções ou comprovações  da história oficial , buscando-se outra, se for o  caso , já  que alguns consideram prevalecer uma contra-história . Uma história que viria sendo distorcida, alterada, de forma deliberada , assim como as ações de líderes políticos e os acontecimentos mais importantes até do dia a dia . Uma  manipulação das informações, com notícias deturpadas ou falsas , envolvendo autores, financiamento de pesquisas e cursos de pós-graduação , editoras, livros , sem esquecer-se redes sociais  . Tanto autores nacionais como estrangeiros tem atestado  os perigos e consequências dessa situação (ver arts., na íntegra,  em caminhandojornal.com).

 

CINCO

 

         O que vemos, hoje, no Brasil , tramas , problemas, encruzilhadas  políticas e econômicas , parece resultar  de décadas , havendo similaridades, problemas e crises não  superadas mas agravadas . Isto estaria mais claro e  específico ao observar-se a década 1950 .Embora ,  hoje , com outras faces , pois nada se repete  exato igual no tempo, em especial após sucessivas derrotas populares, inclusive por uma intervenção militar , apoiada do estrangeiro , que impôs não só uma política como um determinado caminho econômico.

Resultado de imagem para vivendo na crise charge

Hoje , situação em nível ainda  desvantajoso para o povo brasileiro, pois só a  dívida pública atinge 6 trilhões de reais , pagando-se juros dos maiores do mundo . Evidente, a fragilidade do país, quando o Presidente anuncia que o Exército trabalhará em meio expediente, pois sem condições para gastos quando em expediente normal, o que beira ao caos e ao ridículo.

O que significa que receitas e diagnóstico neoliberais , aqui usados por décadas , impostos pela violência e depois propaganda, vitória ideológica , com desmantelamento das oposições , somados a genocídios, golpes , crimes diversos, assassinatos, corrupção , “desaparecimentos”de pessoas  – nada foi suficiente para , com aquelas receitas, aparecerem, reais resultados positivos , a nível popular .  Tudo que usaram , legal e ilegalmente, administrações diversas,  para implementar desenvolvimento, progresso, industrialização , crescimento do PIB – nada  foi suficiente para mínimo sucesso da receita neoliberal.

 Até porque o neoliberalismo( que envolve ataque a interesses populares e à Nação, com privatizações,desnacionalizações , abertura de mercados a nações mais desenvolvidas, reformas trabalhistas ,etc.) mostra-se incompatível com o próprio “modo de ser liberal” . O implante do neoliberalismo , em essência , necessita de “situação autoritária” , com uso do Estado, ação estatal ,  por trás os interesses corporativos multinacionais  , em geral com quebra de democracias. Os maiores arautos do neoliberalismo sempre exaltaram um Pinochet, verdugo do povo chileno .

A ausência de , ao menos, uma situação autoritária , com forte atuação estatal ,  implica em risco de impedimentos a nível parlamentar e a nível das ruas , os povos tendendo  a rebelarem-se , intranquilos, o que  atinge interesses do grande capital . Este , abertos mercados e asseguradas matérias primas pelas guerras (forma de acumulação de capital, bem percebida por R.Luxemburgo) , precisa de mercado  e condições regulamentadas e legitimadas para que seus negócios fluam e para que a acumulação se multiplique sem sobressaltos permanentes . A  “guerra civil permanente” , mesmo que de pouca intensidade, não é objetivo do grande capital , em si mesma . Ele precisa segurança jurídica.

Resultado de imagem para vivendo na crise charge

SEIS

 

Como o Brasil pretenderia desenvolver-se,  no contexto que lhe é, de fato, imposto , e limitado , pela adesão incondicional  ao Império Americano ? 

Este jamais  admitiu desenvolvimento e industrialização em suas colônias – e isto está consignado até em normas do  Conselho de Segurança Nacional , dos EUA ,  abertas ao público e citadas em livros conhecidos . (N.Chomsky as cita , p.96, n.53, “Para entender o Poder”, col. , Peter Mitchell e outro, Bertrand Brasil, RJ, 2005).

O papel, a forma de ação repetida e consagrada ,  dos EUA, ontem e hoje, no mundo , é por ele descrita :

“ Por exemplo, por que a América Central é tamanha câmara de horrores ? “ (…)  “… e a Guatemala é uma região onde exercemos cem anos de influência . Bem, isso nos diz alguma coisa .”(p.97, ib).

E ele continua :

“(…) olhem o Brasil : potencialmente um país extremamente rico, com tremendos recursos naturais, só que teve a maldição de ser parte do sistema ocidental de subordinação .” (…)

 

Chomsky ainda conclui ,  adiante   “… ; todo país que foi colonizado pelo Ocidente é um desastre total “(ib.)

 

          Não se trata, óbvio, de  algo promovido pela big mídia imperial, em nenhum país do mundo ,  mas trata-se de conhecimento  notório,  sabido , sabido , em 2019, depois de séculos de ação imperialista americana, no mundo,  sempre nesse sentido .

Como pretender o Brasil avançar , em nossos dias, econômica e politicamente, falido (oficialmente, como anuncia Bolsonaro) ,  décadas depois de golpes por aqui, assassinatos , uma política de séculos de sua exploração por impérios, por sinal , e exato ,  pelo Império Americano, até nossos dias  ?

O processo antes descrito  vem , mais intensamente,  desde a morte de Vargas , coagido, acuado, por adversários locais identificados e com o auxílio e apoio dos EUA .

                                        SETE

O Império Americano, hoje , em crise muito maior ,neste momento falando-se em recessão nos EUA ; o Império por ele liderado ameaçando e provocando guerras a todo momento, embora semi-paralisado  pela ação de  China e Rússia, hoje aliadas , e por mais algumas nações que resistem aos atentados contra suas soberanias, caso do Iran, Venezuela , Cuba , Coréia do Norte , entre outras.

 Nesse contexto , os EUA   tem partido para medidas desesperadas, contraditórias, ameaças, ataques, coação a nações,seus povos ,  como fez , recente, com a Venezuela. A vitória eleitoral legal,  mas não legítima,  de Trump,  um reflexo dessa situação . Basta lembrar , antes e depois dele , os EUA contra o Iraque , a Síria e , recente,  a Venezuela , acuada e ameaçada, mas que sobrevive como nação soberana . Tal aparente desespero, embora o país mais armado do mundo , vai refletir-se e aparecer não só na sua própria política interna , com eleições pouco legítimas , como nas “democracias” que apóia nos seus países satélites , caso do Brasil e da Arábia Saudita.

Numa crise escondida , mas evidente , exibida em filmes por liberais americanos discordantes com tais rumos (no cinema e em livros e revistas ) ,  decadente, o Império acabou por “eleger” Trump, que nada tem de tresloucado, muito mais qualidades como ator bem dirigido . Caso de um Bolsonaro, no Brasil , embora só indivíduos com algum tipo de transtorno mental,  ou de caráter , aceitem desempenhar aquele papel .

Resultado de imagem para vivendo na crise chargeTrump e Bolso . Mais do que apenas dois despreparados, oportunistas , incompetentes, pois fiéis seguidores de roteiros imperiais. Um , servil às oligarquias de seu país, das quais faz parte – e seguidor das regras impostas por elas  ; outro, um político oportunista , amedrontado/maravilhado pelo poder americano, e servil a ele.

Sem coragem, Bolsonaro,  nem condições, sem apoio popular efetivo, ao menos para defender  mínimos níveis de soberania nacional e independência para o país que dirige .(A Venezuela, acuada e em crise violenta, em especial pela ação americana, é retrato , embora infiel, do que aconteceria ao Brasil,  em caso de mínima rebeldia ou discordância do Império).

 Assim, o servidor fiel daquelas oligarquias, Bolsonaro,  com ou sem consciência disso, mas mostrando saber o significado de “poder”,  acaba considerando que só lhe resta  bater continência ao Império .

A aparência , o ato de bater continência , ao fundo,  vai revelar ele ter consciência de sua submissão , um sentimento de inferioridade. Em si,  uma declaração pública de conformismo,  sem luta ,ou hesitações  , com   conhecimento provável de uma realidade pior ainda da que conhecemos.

Revela-se ,aí,  uma faceta de consciência, errada ou não , da situação nacional , de conformismo, não de rebeldia, mas de submissão , a aparência correspondendo à essência – o gesto de  submissão pública de um representante de uma nação satélite, dominada , frente ao agressivo e prepotente  dirigente da nação militar e economicamente mais poderosa do mundo. Onde o mito, a coragem, o rebelde ?

 

OITO

 

   O caminho atual do Estado Brasileiro, declaradamente,  passou a ser o da autodestruição , isto é , eliminação de sequer resquícios de sua independência , soberania nacional, industrialização  – exato, provável,  o pretendido , e há décadas , pelo “Estado Protetor” americano .

Daí, o presidente brasileiro ainda se dar ao luxo de permanente provocação a opositores, sentindo-se poderoso, face a seu fortíssimo guarda-costas . Arrogância e  talvez  uma forma de pautar jornais , pouco se importando com  repetidas mentiras ,numa luta ideológica permanente .

De  outro lado, sabe-se lá , talvez um provocador  sonhando que adversários respondam , à altura, suas ofensas e xingamentos, assim “colocando a cabeça de fora” , de forma a serem depois  atacados e  atingidos, com respaldo “legal”. Busca-se ,  no caso ,  usar a “democracia”, tendo  a vantagem de também usar o poder estatal , o militar,  e possível ainda milícias, tudo isso num estado de exceção informal e implícito. Isto é , com condições de garantir erros , deslizes ou malfeitos .

  Para apenas melhor aplicar uma política neoliberal indicada pelo Império “protetor” , para que algum projeto de Nação ? Este até atrapalharia. Há que ignorar-se o tema,  esfrangalhar as bases nacionais , abrir caminho, ao contrário ,  para que o território nacional seja ocupado , ou desapropriado , usado por estrangeiros em cada vez maior escala – se possível,  desnacionalizado, privatizado .

NOVE 

 

 Como se trata do Império Americano, nada obsta rompimento com interesses e fundos de preservação ,como os da Amazônia, por exemplo, financiados pela Noruega, Alemanha ou outros países. Tudo para e a favor do Império aliado . Afinal , provável terem havido suculentas promessas daquele  Império , via acordos secretos, para a Administração Brasileira. Promessas , como as do passado, que foram sempre descumpridas( cf. Prado , E., “A ilusão americana” ; ou ,  mais recente, Moniz Bandeira, “Brasil – Estados Unidos : as  relações perigosas …” ) .

       Aprofundemos  comentários sobre a situação existente sob Bolsonaro e os caminhos seguidos e programados por ele  . Provável ,acima,  as razões da transferência,  em curso,  do COAF,  e outros órgãos de fiscalização , para o centralizador Banco Central, sob direta  supervisão estrangeira . 

O controle passa a atingir até os próprios fiscais , envolvendo-os , ou seja, de fato eles passam a inexistir , em relação aos interesses financeiros internacionais. Basta comparar  os juros aplicados aos clientes necessitados de um  banco com os relativos à dívida pública,  ou os pagos a clientes-investidores. Dos mais altos , de um lado, aos mais baixos , de outro .

Algo excepcional,   em qualquer parte do planeta , tipo a tomada de três pinos, referida por Bolsonaro, mas que aí está, em todos os lares,  imposta aos brasileiros por multinacionais de origem estrangeir. Isso , entre outras aberrações, como os “kits de socorro” , exigidos de todos os motoristas, certa época – depois,   suspensa a exigência.

Imagem relacionada

Enveredam o Brasil e seu povo , mais e mais , sob a batuta de Bolsonaro – ou chicote, diriam alguns – e em  caminhada rápida , por uma trilha política e econômica nebulosa e sombria , talvez sem volta ,  similar a outras , que o levaram a emboscadas e perdas  trágicas . Tudo indica retrocessos , avanço sempre , mas para trás, décadas de destruição nacional . O destino já antevisto  por alguns ,  previsto – associação a um país mais poderoso, ou esfacelamento naciona, seja formal ou informal  .

Corte de verbas na educação pública , como vem sendo feito , significa multiplicação da ignorância, auxiliar da aceitação, por boa parte do povo,  do que vem ocorrendo – desemprego, privatização , perda de bens nacionais, inflação, crise permanente , condições sociais indignas para  a maioria da população . Corte de verbas , de hospitais e da previdência social , das  penitenciárias , das forças policiais e militares , significa mais mortes e crimes contra a população, em especial, a negra e pobre – isso expresso em.genocídios e submissão a qualquer autoritarismo , por parte da população restante . Situação  programada, embora mascarada,em que se extermina, primeiro,os doentios, deteriorados, física e mentalmente.

 

DEZ

 

  O que há por aqui ? Um sistema capitalista distorcido , dependente , não gerido pelos nacionais , projeto neoliberal nada democrático , coalhado de autoritarismo e impunidade , regime político distorcido e corrompido , estado democrático de direito mascarado, escondendo estado de exceção informal e implícito . Um regime  sem legitimidade, quanto a quaisquer dos poderes, a “legalidade”apenas parcial, com garantias de  alguns direitos, liberalismo e não democracia, pois esta envolveria  inexistente controle popular sobre os instalados no poder  estatal .

Em essência, um estado fragilizado , garantido por fraca “força policial  legalizada” , assim como militar , a garantir uma deturpada República e a promover o extermínio parcial e programado do povo, segundo conveniências das “elites” – contra pobres, doentes, negros , pessoas de classes mais baixas , ignorantes , com  educação deturpada –  “refugos” sociais  . Tipo moradores de rua adormecidos, noite alta ,  queimados com uso de gasolina por jovens da classe média ou alta , ao voltarem de festas , em certas ocasiões . Ou seja,  “a escória da sociedade”, do ponto de vista das elites dominantes. A atual “reforma da previdência” colabora com tal perspectiva, por elevar a idade de aposentadoria de um povo já doentio e problemático – provável promovendo mais mortes precoces.

De fato, já estamos , no Brasil , sem sequer garantias mínimas quanto ao cumprimento das leis e da Constituição. Elas estão sendo dadas por um  estado fragilizado,deturpado e doentio , em que autoritarismo e impunidade se integram. Até hoje não se sabe o nome do mandante da vereadora Marielle , RJ. Nem onde está o famoso Queiroz , agente financeiro dos Bolsonaro, acusado de  vários crimes. Ou seja, de fato não pode haver mínima confiança jurídica .

Quem confiar nela , fatalmente terá em risco  a perda da liberdade ou a vida – vide quantas as milícias criminosas e áreas em que estão atuando, em diferentes estados do país.  Mesmo quanto às instituições, num estado fracassado (tipologia notória, usada por Chomsky)como o Brasil,  a garantia é outra – desde que o país cheio de zonas fora de controle, em todos os estados da federação . O estado ancorado no poder reconhecido do Império Americano, o “protetor” do estado fracassado.

Ao meio disso , o czar Guedes, representante direto dos interesses americanos, um dos famosos “Chigago’s Boys”, chefe de parte da política econômica (que divide com os colegas do Banco Central ) representante de importantes oligarquias aliadas , pede tempo-  “uns dois anos” para sua política “dar resultados” . Ora, após pedirá mais tempo e os fatos já estarão consumados. O que vale a palavra de Bolsonaro, a essa altura, e mais ainda a de um seu subordinado ?

  A  cada dia o povo brasileiro com mais dificuldades para sair (do país )ou fugir (dele ou do seu problema) ou superar a  situação em que se encontra –  o país  endividado, em recessão, PIB ridículo, fechando-se portas para ele em todo o mundo, restando-lhe  apenas as garantias (secretas , por certo) do Império Americano , via os políticos bolsonaros, Guedes e Chicago’s Boys à frente. Aonde chegamos.

 

ONZE

 

O neoliberalismo fracassou em toda parte, inclusive no Brasil, mas falsos exemplos de êxito são levantados , com fraudes e distorções, para justificarem a política econômica  atual . Todas as redes de mídia do Império repercutem isso , tentando dar-lhes credibilidade . Cita-se , em especial , e  de forma falsificada , os “êxitos neoliberais “ do Chile, hoje festejados como fizeram , no passado,  com o Brasil, Lula chamado de “O Cara”e recebendo prêmios em todo o mundo .

 No Chile, o projeto neoliberal  foi e é  fracasso ,  o parco resultado atingido, certas épocas , datando , ao contrário de tempos pós-Pinochet. Aplicado durante o governo dele , durante  anos , sem oposição , com assassinato de 3200 opositores , presas e torturadas 38 mil pessoas , exiladas mais de 100 mil , até com toque de recolher , o grande choque neoliberal , logo em 1973, quebrou-se em 1982- queda do PIB em 13,4%, desemprego de 19,6%, 30% da população dependendo de programas de  assistência social criados para enfrentar a crise.

E , em 1986, o PIB do Chile era ainda inferior ao patamar de 1973. Que êxito teria sido  este , depois de tantos crimes e assassinatos e o projeto neoliberal beneficiando-se, ainda,  da chacina promovida pelo Império Americano e aliados locais ?

Resultado de imagem para vivendo na crise charge

 José Luís Fiori chega a chamar Guedes de “moleque”, pelas distorções que divulga , sobre o Chile , e menciona um “blefe ou engodo”(“O ditador, a sua ‘obra’, e o grande blefe do senhor Guedes”, https://ultimosegundo.ig.com.br, 21/09/2014).

Só após o  fim da ditadura, com governos de “centro-esquerda”, por 20 anos, entre 1990 e 2019 , o PIB  chileno passou a crescer na base de 7% ao ano.

Mais uma vez mentiras tentando sustentar , por algum tempo, políticas de exploração,  quanto a países atrasados e sob a égide do Império. O lobo americano  dizendo  como as ovelhinhas devem agir, como viver e até comer . Sempre de acordo com os interesses dele, claro.

DOZE

 

Políticas de  pequeno alcance , como prega Bolsonaro , tipo defender o armamento da população , ou combater as  multas abusivas do Detran , ou promover a desburocratização e facilidades para abertura de  novas empresas –   tem perspectiva potencial de correção de alguns erros , mas ainda assim teriam que serem, primeiro ,  discutidas com o povo brasileiro – o que não tem acontecido . Por isso, muitas propostas dele acabam caindo no Congresso, sendo cortadas ou distorcidas, e , afinal,  pouco representando frente a problemas nacionais maiores e  mais importantes  , destacados e prioritários, examinados com urgência.Sequer recordando-se os intocáveis e  falsamente esquecidos como a dívida pública de trilhões e os privilégios dos bancos .

       O caminho atual  da administração federal poderá culminar  na necessidade de repressão e destruição das restantes garantias de  defesa dos interesses do povo brasileiro , antes incrementadas em diversas instituições . Simples passeatas não resolverão essa situação ou minorarão consequências , sejam aquelas pacíficas ou não . As primeiras atingem mais os  convertidos, nas redes de  comunicação e também nas sociais . E podem serem ignoradas ou distorcidos seus objetivos e aspectos positivos, pelo controle pelas “elites” da big mídia  . Manifestações violentas  podem justificar a repressão, se permitirem haja repressão – e isto quando não se tratar de provocações policiais – além de facilitar a identificação de líderes e dos “radicais” .

 O Império aperfeiçoou suas técnicas de governança , luta ideológica e ação política , além de seus ataques militares ;ocupação de território ;   não ocupação de território ; repressão e omissão ; uso da corrupção como arma política ; das infiltrações policiais ; das polícias locais, municipais , particulares ; etc. Não teme xingamentos , nem manifestações , maiores ou menores , no momento ou posteriormente,  pois detém, em geral,  o controle da mídia .

Reformas mais radicais , mesmo democráticas, e mais ainda as qualitativas , requerem certas condições. Que poderiam terem sido conquistadas, por exemplo,  nos governos de Luladilma – mas não o foram . O que houve foram administrações de direita , subordinadas aos velhos interesses dominantes , usando máscaras esquerdistas .Na década 1960, o Governo Goulart, em sentido contrário,  o tentou , tendo tido diversos êxitos nesse sentido – e essa a  razão de sua derrubada .

Por isso, interessante refletir , no atual caso brasileiro, sobre  palavras de mestre respeitável , anos atrás :

 “Para Florestan, não existe uma reforma que concilie uma minoria todo-poderosa com uma maioria esfarrapada. (…) e todos os caminhos permanecem fechados ; a nação é uma impossibilidade. Nessa perspectiva, democracia e revolução nacional existem apenas enquanto mitos, e não como realidades históricas .”(C.G. da Mota “História e Contra-História”, Globo, SP, 2010, p.254).

Resultado de imagem para vivendo na crise chargeVivemos a tentativa de consolidação de um protetorado ou província sob domínio estrangeiro, resultado de derrotas diversas e erros de democratas e esquerdas, por décadas.

Os responsáveis ? Procurem os líderes e financiadores do PMDB, PT, PC do B, PSDB , PR , PSB e outros e lá chegarão . Bem lá no fundo , escondido ao máximo possível ,o Império Americano puxando os cordéis , através de seus muitos agentes, reconhecidos ou não . Os líderes partidários acima , até na “oposição” , coadjuvaram e legitimaram sempre a” festa da destruição nacional” , dia a dia , durante décadas.

A falsificação da história, uma vitória ideológica planificada e planejada, estes elementos necessários à mudança política em curso , em direção à direita extrema. As “elites “ à direita conhecem as verdades, mas não podem expô-las , a mentira é o truque ou cobertura – e ainda estão no poder estatal e controlam o poder econômico .Superioridade sob todos os aspectos .

 

TREZE

 

 Ao contrário, quanto aos que pretendem mudar situações políticas e econômicas adversas , e muito mais,  estruturas  – as análises falsificadas , exageradas , distorcidas , ainda que possam , de imediato , beneficiar algum partido , ou liderança , a médio prazo destroem qualquer possibilidade de mudanças qualitativas  – e acabam por confundirem lideranças e bases e povão  . Implicam em programas e ações erradas, desmoralizam seus autores, dão argumentos aos que querem manter e conservar a sociedade e seus valores.

Temos, no Brasil,  “restos de democracia”- e deturpados. Falta de legitimidade das principais instituições; estado de exceção informal ; crise social intensa ; dívida pública de trilhões de reais ; juros dos maiores do mundo ; ignorância popular e ensino deficiente em todos os níveis ; guerra civil mascarada , de tipo especial , diversos setores e frações de classe se enfrentando .

 Ainda assim , a  depredação do que resta dessa democracia ferida, quase em estado de coma, é perigosa para as classes populares, desorganizadas , sem partido integrador e lideranças . E há que se ter em vista, ainda , o não desejo da administração federal, bem como das “oposições”, de uma Constituinte independente – que seria a saída lógica para uma sociedade ainda um mínimo sadia, e não da existente, deturpada e doentia .

De um lado e de outro , governantes e oposições, talvez sem avaliarem a gravidade da situação adiante , defendendo seus privilégios e interesses , evitaram soluções políticas mais rápidas para o país, a curto prazo,  , caso de uma Constituinte independente e de eleições presidenciais , com a retirada do poder de Temer, o vice, junto com Dilma  . Proposta que era legal , constitucional ,  tendo sua recusa até sido denunciada por alguns ministros do TSE, com toda razão . (Proposta, aliás,  da REDE/Marina) .

Talvez elas  não conheçam ou não queiram lembrar ou mesmo conhecer questão muito omitida por nossa big mídia, a “brincar de Venezuela falida “a todo momento. O que ocorreu na Indonésia, um “modelo “-  e que pode ser um risco para o Brasil(?!). Em 1965 – em situação em que se  contestava, democraticamente, via eleições,  interesses dos EUA/aliados.A Indonésia, então,  se desenvolvendo ,  na democracia levada a sério , quando o Império Americano, à frente e mascarado , mais militares liderados pelo  Gal. Suharto , junto com milícias , assassinaram mais de 1 milhão e meio  de pessoas, tudo facilitado pela legalidade de comunistas e esquerdas e democratas . Isto ,  sem contar torturas e barbaridades indescritíveis. O partido comunista de lá era  legal, pacífico ,  milhões de filiados, o que facilitou o massacre  .

Isso atesta a brincadeira perigosa e desonesta,  da big mídia brasileira ,  em colocar os EUA, hoje lamentável estado terrorista ,  como líder dos “direitos humanos” . Esconder  problemas , colocar questões secundárias  em primeiro plano , para confundir a opinião pública, outras importantes omitidas – estas táticas de desinformação podem terem resultados desastrosos, como se viu no Brasil e poderá ocorrer de novo.

Onde está aquele “desenvolvimento”passado , tão proclamado, Lula , “O Cara”, de Obama ? Onde está o “milagre brasileiro”, do General  Médici?

Apesar disso , há disposição generalizada, aparente das “elites” e da maioria do povo brasileiro , administração estatal no poder e “oposições”, quase todas parlamentares  , em  manter a atual Constituição , com alguns  remendos ou emendas possíveis . Por quê?

De um lado,”elites” , seus próprios interesses,  e de quem elas representam. De outro, fraqueza, desorganização , medo mesmo , vontade de não correr riscos e ganhar tempo. Do ponto de  vista de cada um – todos estão certos.

Mas, de qualquer modo , pouca pregação de programas anti-imperialistas ou  no sentido de maior controle,  pelo povo, das instituições.Poucos pensam nesse sentido . Lideranças,  de um lado e de outro , querem é preservar privilégios e não correr riscos- o jogo “democrático” e parlamentar é saboroso, cheio de vantagens.  A lista de privilégios e garantias para as”elites” são inebriantes, desde salários a casas  , empregados, transportes , alimentos, viagens. Ou quanto aos lucros delas e dos  empresários e multinacionais que as financiam, em maioria  .  Conservar o regime atual , ampliar seus privilégios, escapar de controles e punições – continuar o esquema de Autoritarismo e Impunidade : tal o desejo de muitos,  quiçá a maioria, povão manipulado. Fora uns chatos a pensarem em igualdade e liberdade e democracia verdadeira, que não se satisfazem com os prazeres do dinheiro,  numa sociedade desigual como a nossa, ou mesmo a americana.(“Elites”)

Tornar a democracia ao menos mais real e  intensa, por outro lado, a essa altura ,  tal não depende sequer de manifestações de qualquer  tipo , nem aquelas de rua . Vai além disso – precisa-se de recursos , organização, planejamento tático-estratégico, partidos, linhas de ação e programas e palavras de ordem capazes de levarem muitos a atingirem o entendimento do âmago dos problemas. E ainda atingir-se o coração dos que pensam em  resistir e lutam e pretendem mudanças no estado autoritário e produtor de desigualdades.Vitórias ideológicas , para começar , que precedem ou caminham junto com as políticas. Atentos os democratas  para não cairem em provocações que levarão a mais autoritarismos e retrocessos.

Ou  , de outro lado , uma profunda crise e sofrimento do povo,   a tal ponto que classes populares, organizadas, e com capacidade de atingirem interesses das “elites”, sejam capazes de imporem  mudanças – reformas , conciliações de seu interesse .  Décadas,  desde 1964, e mesmo com a ascensão das “esquerdas”, até administrando o estado brasileiro(embora não governando)  , anos sob a direção de lulopetistas, em maioria,  nada disso adiantou– muito ao contrário, abriu caminho para a desmoralização da democracia e da esquerda e para ascensão da direita a mais radical .

                                QUATORZE

 

Golbery incentivou a criação de um partido “esquerdista”, não comunista , sindicalista , PT , e a reorganização de um partido comunista , que de comunista só tinha o nome (segundo Prestes)- PC do B  .Esses partidos  tomaram a frente das esquerdas e das “esquerdas”, estas em número  maior, o que explica muitos comportamentos estranhos, sem sentido , desordens, despreparo  . Por certo, Golbery  infiltrou-os ao máximo , com seus agentes .  Os resultados estão  à nossa volta , atingindo até partidos mais ao centro do espectro político , pois o negativo e o potencial  da destruição é mais fácil ser alcançado e apresenta resultados bem mais rápidos que o oposto- construir ou organizar . 

Resultado de imagem para crise no brasil 2019 charge

O bruxo americanófilo-geiselista , com Geisel Presidente,   era , ainda e sempre , um estrategista – e bem assessorado pelo Império, onde estudou, em 1944, em suas escolas de informações, antes mesmo da criação da CIA( 1947). Antes de deixar o poder , provável soube imaginar ou prever  um futuro, em que as esquerdas poderiam voltar a crescerem.  Assim,(1) antes podou-as , assassinando-as e torturando-as (nas décadas 1970/80); (2) depois , muito prático , pensou numa solução , caso da volta delas ao poder , que deveria ser pelo voto, e incentivou , então , um PT , sindicalista não comunista ;e um PC do B, comunista só de nome (Prestes)  . (E para lá direcionou ex-presos, ex-torturados , “cachorros” ex-esquerdistas amestrados pela repressão , e, naturalmente, centenas, sabe-se lá quantos, agentes infiltrados , o que é lição elementar dos serviços secretos).

 Estava pronto, pelo cozinheiro  Golbery,  um cardápio palatável para a maioria dos esquerdistas restantes, os mais perigosos ou pensantes conhecidos , não importa se com armas nas mãos ou não ,  antes chacinados e esmagados,  às centenas, jogados  em latas de lixo (ou incinerados no Araguaia) .Os que sobraram direcionados para a “esquerda”,  ou do PT ou do PC do B.

De passagem, Golbery ainda retirou a sigla PTB das mãos de Brizola, deixando-o com um PDT já um pouco desfigurado, e, longe dele,um PTB completamente desfigurado , este nas mãos de elementos de sua confiança. Uma situação capaz de confundir bastante massas ignorantes, matando ao máximo as anteriores heranças  de luta dos trabalhistas. 

Talvez, bem possível ,  Golbery tenha lembrado de Getúlio , que , em seu tempo, enxotado do poder (1945), antes construiu as bases  do PTB e do PDS ,que depois o trouxeram de volta,  em 1950, como Presidente. Desagradável refletir sobre isso ?Sim, mas necessário. A ingenuidade na política pode ser,  e em geral é –  mortal. Política é conspiração , segredo, mentira, tudo pelo poder . (CF.Freund, J. “O que é a política ?”). 

Mudanças qualitativas exigem condições objetivas . E subjetivas ,também da parte de quem pretenda o poder . O Brasil está desordenado , precisando novos rumos , lideranças, mudanças. Aberto a mudanças, pois .

Mas, hoje , quem possui  condições de tentar liderar essas  mudanças , e se apresenta perante o povo brasileiro , depois de décadas de lutas populares , no Brasil ? Bem paradoxal ,mas  são justo os extremistas da  direita e da Nova Direita, que se reorganizaram e aproveitaram os erros dos adversários para ganhar espaços .

 E tem ainda o apoio no Império Americano , estando no poder estatal local . Os democratas e aliados, ao centro e à esquerda ,  e as esquerdas , minorias,  por sua vez, precisariam de tempo – teriam que se corrigirem, recuperarem quadros, mudarem rumos, formas de organização , programas, se  reorganizarem e reciclarem , após tanto tempo perdido , tantos erros e lambanças, com os resultados catastróficos conhecidos .

E até, afinal ,  decifrarem a Constituinte de 1986, a Constituição de 1988, e o quadro de xadrez político armados, há décadas,  pelos estrategistas da direita.

Uma direita (!?) militar, civil e estrangeira, via “distensão lenta e gradual” e “democracia relativa “geiseliana”,  nunca esquecida pelo regime terrorista e seu aliado imperial do Norte. Seria ingenuidade demais pensar que , depois de tudo que fizeram e passaram (inclusive massacres , esquartejamentos, desaparecimentos, com risco de deslegitimação para sempre), os dirigentes do antigo regime terrorista  concedessem uma democracia descontrolada ou de alta intensidade. Muito ao contrário, basta ver a anistia aqui concedida, concedida, não conquistada , em essência, e as ocorridas na Argentina, Uruguai ou mesmo Chile.

O cuidado aqui foi maior, na proporção da importância , então , do Brasil. Isto explicaria o que , hoje , passamos ? Bolsonaro é  o atestado disso, berrando todos os dias no sentido das linhas acima.

As esquerdas , insista-se neste ponto , como é de praxe na legalidade , com certeza , foram  profundamente infiltradas desde a redemocratização, pelos agentes de informação do  estado – quer dizer, por décadas . Além de corrompidas, “amaciadas”,  distorcidas, sem formação de novas e efetivas lideranças populares. Casualidade ou causalidade ?

Um problema a mais e sério , que talvez elas  não tenham ainda  bem avaliado , até onde vai e foi ,  e que pode explicar muito do ocorrido com elas , de lá para cá , nas últimas décadas.Reorganização efetiva, generalizada  , pois , não será  fácil, levará tempo ,  requererá táticas, estratégia, habilidade, trabalho, disposição, capacidade e coragem para reconhecer erros e buscar mudanças . E mais inteligência, em mais de um sentido . Isto apesar do primarismo e boçalidade da atual direita no poder – embora não se possa esquecer, jamais, o que há por trás dela, o Império, com recursos e estrategistas de alto nível.

Por aí , por esse caminho ,  quem sabe , teríamos, ao menos,   explicações razoáveis  sobre tantos problemas , envolvendo tanto esquerdas como democratas,  no Brasil . Que talvez facilitem, ainda ,  o entendimento dos vácuos políticos existentes e deixados , que acabaram sendo rápido ocupados pelas direitas as mais radicais e despreparadas.Mas, bem dirigidas e organizadas,  nas suas cúpulas/alianças ,  por sua vez  auxiliadas pela promoção , pós-Dilma, das condições para  estranhas eleições e urnas eletrônicas suspeitas, que legitimaram radicais mudanças, qual passe de mágica . Analisar todos esses aspectos pode auxiliar na  compreensão  da crise geral em curso.

Aliás, uma “crise profunda e generalizada”, no Brasil , crise  que , por sinal,  necessita de melhor análise, com comprovações , de números, dados estatísticos, etc. ,  vide a posição respeitável de Fatorelli, M.L. , e outros , no sentido de que se trataria  de falsa crise, uma farsa, mais uma produzida de “cima para baixo”, desde o Banco Central,  BIS, poder financeiro mundial ,com o objetivo de lucrar alguns trilhões de reais às custas do povo brasileiro, sua ingenuidade  e desorganização . Isso somado à traição tradicional , secular,  de suas “elites,” e da ascensão de uma  direita tão extremada que chega a ser ridícula, o que não a torna menos perigosa- pois  tal facilita o domínio e intervenção direta de seus mentores estrangeiros .

Muitos temas e razões para debates, reflexão , análises , como pode-se ver ,  sem menosprezar imediatas e óbvias  ações  .

        *********************************************

(Original de editorial , integral , de Caminhando Jornal TV 21, resumido , de 17 de agosto de 2019 ).

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.