Elites Traidoras, Estado Fracassado , Decadência – Para onde vai o Brasil ?

jan 8, 2020 by

Elites Traidoras, Estado Fracassado ,  Decadência – Para onde vai o Brasil ?

 

“Elites”Traidoras, Estado Fracassado , Decadência :

Para onde vai o Brasil ?

[ Mauro M.Burlamaqui]

*O que se passa no Brasil ? Quais as origens dos atuais anos de crise, com decréscimo acentuado do PIB , ou estacionamento dele, sempre inferior a todos os demais da América Latina e do Mundo ? Agora  todos assistindo, o mundo inclusive, um retrato nítido de uma realidade, literalmente, catastrófica . Para onde vai o país ?*

(artigo original em que se baseou o editorial 41, de Caminhando Jornal TV)

 

           I-PRELIMINARES

 

Cerca de 50% do povo sem saneamento básico(mas, muitos mais  tendo celulares), barragens caindo, bairros com morros desabando, árvores e  prédios destruídos  .Isto ,  com chuvas, muitas vezes nem tão fortes, inclusive nos bairros das classes privilegiadas . E faltando mínima segurança pública, direito de ir e vir , além de haver  um surto religioso , liderado por políticos, juntos, de vários partidos, com pastores religiosos, empenhados todos  na tarefa de mentir , com descaro ,  para massas de baixo nível cultural , com uso, especialmente,  da Internet e redes sociais  – além de fazerem provocações, dizem e propõem  asneiras , ofendem jovens estudantes discordantes , jornalistas, mulheres, professores, qualquer um que lhes resista. E com violência, até palavras de baixo calão ou caluniosas, seguindo direto instruções do extremista de direita Olavo de Carvalho, aparente guru americanófilo deles, desde sua residência nos EUA . Uma situação e clima negativos, Brasil/povo  sombrio, amedrontado , inquieto , muito longe daquele um dia internacionalmente famoso.

O Brasil dirigido por extremistas , ligados à chamada direita alt-right americana, parte dela portadora de cruzes nazistas , todos  fingindo-se de moralistas  anti-corrupção  e religiosos . Isto  quando o passado deles e cada um  revela exato o contrário, inclusive o da família presidencial, toda escorada , de longa data , nas benesses legais,  e outras não tanto , do estado brasileiro  – propinas, ilícitos , ligação com crimes e milícias .Incrível , a  ascensão deles ao poder federal máximo , da forma que foi, inclusive com a omissão ou paliativos , legais e administrativos de adversários ,  anos a fio. Mas,  compreensível pela desilusão popular com o lulopetismo, povão empenhado em retirar petistas e aliados do poder , além do uso de duvidosos recursos, não contestados pela oposição , caso de manipulação maciça da internet, verbas estrangeiras financiando passeatas pré-impeachment de Dilma, duvidosas urnas eletrônicas, etc.  De qualquer modo , hoje , grupos  extremistas de direita e outros ocupando o Estado ,  no exercício dos mais altos cargos estaduais e federais, e ainda alojando sistematicamente opositores ou até centristas ou  liberais que exerciam aqueles cargos.

Para onde vai o Brasil?Para onde irá  este circo de terror , mentiras, decadência progressiva , crise sucessiva , dívida pública brutal com agiotas internacionais,  ultrapassando 6 trilhões de reais ? E cujos problemas e absurdos não são identificados apenas por nós, mas pela maior parte da mídia nacional , e, inclusive , pela big mídia  internacional ?

Pior ainda , nessa situação trágica, não há, para o país , de parte das  “elites” dirigentes , sequer um projeto de nação –  claro, objetivo  . Se não há,   nem de parte dos detentores do poder  , muito menos, das “oposições”. Por quê ?

O  programa econômico e político , dessas atuais “elites” no poder ,  sem projeto de nação, presente ou futuro, parece ser ,  simplesmente,  a velha receita econômica e política tomada por nossos dirigentes  desde antes da proclamação da República, 1889. Isto é, há 131 anos atrás . Qual ?  Nada mais , nada menos do que a velha ordem “siga tudo que seu mestre mandar “, dada pelos EUA, líder do Império do Capital. Isto é, a receita americana para seus países “satélites”, amigos, aliados, que nome se queira dar a países atrasados mantidos sob as asas do Império Americano.

                                              II- A “RECEITA” DOS ADMINISTRADORES

Receita no sentido de programa, medidas econômicas e políticas adotadas, numa metáfora com as receitas médicas. Administradores e não governantes  porque, de fato, há muito (e a escolha de Meirelles por Lula , durante  seu governo, para a direção da economia, ao assumir, prova isso, aquele um elemento antipetista e ligado, admitidamente, ao ao capital internacional), o Brasil não tem governo, de fato, mas administração , desde que seus dirigentes não decidem aspectos fundamentais, caso , por exemplo da política econômica, fiscal, decisões sobre a dívida pública , entre outras  . De fato ,  havia  e há uma “receita”política/econômica sempre  apresentada pelos teóricos, economistas e dirigentes americanos  , líderes do Império do Capital, detentores do maior poder mundial, aqui representados por quadros formados em universidades americanas ou com diretrizes e formação básica com apoio na clássica economia proposta pelo Império do Capital para seus países “aliados”.(Universidades de Chicago, Harvard e outras)  . Em diferentes  palavras, a mesma“receita” daqueles brasileiros aliados ao Império, ou dele simpatizantes fanáticos,   que , já nos primórdios da  República, até deram  o primeiro nome ao novo Estado pseudamente republicano clássico – “Estados Unidos do Brasil” .Estado que , logo logo ,  cada vez mais endividou-se exato  com as empresas americanas e de outras potências mundiais, isto é, ao fundo , com o Império do Capital.

Resultado de imagem para Vargas e Goulart,

A receita, no sentido já explicado , essencialmente, sempre a mesma – a do estado americano, não uma que tivesse em vista, essencialmente , interesses nacionais, embora tenha havido tentativas nesse sentido em governo como o  último de Vargas e o de Goulart, os dois derrubados por golpes estrangeiros, em essência , promovidos por serviços secretos e dólares não tão secretos jogados em eleições e na mídia, em especial , embora na forma ficasse a impressão da ação de militares brasileiros e empresários locais dele aliados. Ao fundo , serviços secretos estrangeiros, minoria militar cooptada, inclusive por dólares , “elite”local politica e econômica idem, entre outras vantagens, como , no golpe estrangeiro de 1964, ficou bem provado por Renée A.Dreifuss, em livro clássico. (“1964- A Conquista do Estado “).

Hoje, temos  FMI ,OCM  , etc., o sistema do grande capital melhor organizando-se ,  órgãos mundiais representantes dos interesses globais sistemáticos do Império do Capital – defendendo privatizações, cortes de investimentos em indústrias básicas, infraestrutura  ,mais empréstimos com organismos internacionais, Banco Central autônomo e independente , pagamento religioso de uma dívida pública ascendente, não auditada e , no mínimo suspeita, etc. ( Atualmente, caberia ainda  a “receita” básica do famoso “Consenso de Washington” , de 1989, endereçada para toda a América Latina e outros países “satélites” do Império do Capital ). Entretanto, o fio condutor é o mesmo – pressões, de todo tipo, de financeiras a intimidações econômicas e políticas, inclusive militares, fora as da big mídia sempre, para que o programa econômico assumido pelas administrações brasileiras fosse sempre o de Washington, Pentágono, Império do Capital , dos primórdios da República até esta administração esdrúxula de Bolsonaro .

Assim,  as recomendações do Império vêm sendo tomadas há décadas, com resultados desastrosos , não só aqui, mas, inclusive , por países,  um  dia considerados com grande potencial de desenvolvimento, como Argentina e Brasil . Ambos até aceitando-as em períodos sob a direção de populistas de “esquerda”,  que, mascarados, fingiam combater os interesses do Império , mas que, depois de eleitos, cedo ou tarde, viriam a trair todas as suas propostas iniciais ,  alinhando-se, descarada , mas mascaradamente, com o Império do Capital, caso de Ménem, ex-presidente populista e peronista da Argentina, ela hoje falida e em crise contínua , como o Brasil , como Lula da Silva (Cf. Brasil e Lula – ANO ZERO,de James Petras, que junta inúmeras comprovações).

O Brasil/2020 vive uma catástrofe, cada vez mais explícita , mesmo para os mais omissos e ignorantes. (Excetuam-se os alinhados , religiosamente, e sem qualquer  base cultural , manipulados via Internet e redes sociais, por “elites” extremistas ligadas a interesses estrangeiros , o que também sobejamente provado , como se vê em livros como o de Flávio Casimiro(“A Nova Direita”)  . Estes promovem reacionarismo, regressão, autoritarismo , pregação de golpes de estado e ação de milícias , além de intimidações aos divergentes .Quer dizer, há aqueles que , religiosamente, creem, tem “fé”, em Deus , Cristo, etc. , isto é , não num mundo real,histórico , mas sobrenatural ; e que,  agora, parecem levar tal tipo de perspectiva e fé ,  para a política .

O que atesta a correta estratégia estrangeira de investir, econômica e politicamente, nestes religiosos e seus líderes, muitos corruptos, com objetivos políticos determinados – a conquista do poder , no Brasil, o que foi conseguido. Manipuladas massas religiosas  por  líderes populistas , numa estratégia inteligente, aproveitados  esses redutos de conservadorismo histórico .O que foi conseguido  com estratégia, recursos e táticas, logística em suma ,  vindas do exterior, por vias já conhecidas , entre elas o “guru” Carvalho, com certeza testa de ferro de interesses americanos, que até reside nos EUA  .(Bannon,  que foi estrategista da Casa Branca e que continua empenhado em organização internacional de interesses do Império, no mesmo sentido do aqui vencedor , Breitbart , o  Carvalho já citado , “A Irmandade”, Soros , entre muitas outras origens estrangeiras. Cf. artigos no site caminhandojornal.com e editoriais de Caminhando Jornal TV ).

A catástrofe brasileira atual, evidente,  é inegável , bastando olhar-se em volta de nós (ruas, praias, notícias , desemprego,  falta de saneamento , desabamentos, mortes, etc.), o que inclui a economia em geral –  infraestrutura, finanças , regime e  sistema político, endividamento,  educação, escolas, universidades . Desta forma, chegando-se  a absurdos , anotados em linhas gerais, neste site ,  e que dispensamos  detalhar , pois bem conhecidos.Observe-se que tal vem de longa data, administrações anteriores a de Bolsonaro e até Lula, e com tal força que os irresponsáveis dirigentes brasileiros ainda deram-se ao luxo de falarem em milagre econômico, Lula ser chamado de “O Cara” , promover-se Copa do Mundo de Futebol e até Olimpíadas , sem qualquer reação efetiva a isso por parte das elites políticas . Isto seja do “governo” ou “oposição”, esquerda ou direita, o que prova todos minados pelos interesses neoliberais americanos e por suas pressões diretas e indiretas, inclusive e  principalmente pela big mídia , que construiu líderes de todos os lados , enquanto lhe convinha e deles necessitava.

          III- “RECEITA”IMPOSTA – POR BEM OU POR MAL

 A” receita americana” , para os problemas brasileiros, em muitos períodos, foi  imposta à força , com violência, crimes, atentados contra a soberania nacional, etc. ; em outros,  por acordos secretos, corrupção, ardis, armadilhas políticas, pressões e intimidação , manipulação de líderes populistas promovidos pelo próprio Império , e , principalmente, propaganda direta e indireta de alto nível . A  “receita” para os nossos sofrimentos, sempre mais ou menos a mesma – assim como o “diagnóstico”( estado tomado por corrupção, inchado,gastos elevados com  funcionários públicos ,etc. Acusações , em geral, não comprovadas, quando a situação brasileira comparada com a de outros países, bem sucedidos em termos de desenvolvimento) .A mesma “receita”, em linhas gerais,  indicada como solução, desde mais de 130 anos . De fato , um absurdo, bastando observar-se  o acima explicitado e olhar-se à nossa volta . O paciente cada vez mais fraco e doente . Quase  sequer andando , em nossos dias,  , basta ver os PIBS negativos ou na base de 1% , quando muito, e se é que o IBGE não está manipulando dados .Ou seja,   um dos menores do mundo, lanterna na América Latina.

Resultado de imagem para Moniz BandeiraMas, mais estranho ainda nessa história é que muitos estudiosos, brasileiros e estrangeiros (Chomsky, Ianni, Furtado, Moniz Bandeira, etc.) , já o percebiam , de longa data ,  o referido , como colocamos  em outros programas , repetindo e insistindo  no tema. Sempre ignorados e suas informações ignoradas pela grande mídia ou massacradas por ela, via desinformação maciça e até livros, com influência e peso do Império. (Frances Sounders , “Quem paga as contas ?“, entre outros, mostra como tal ocorre).  Aqueles argumentaram, mostraram , analisaram – e a práxis, realidade à nossa volta , comprovava os fatos narrados, repita-se  – pois bem, nem a violenta crise brasileira, econômica e política , levou à aceitação continuada de receitas alternativas, fora por pequenos períodos, interrompidos por golpes e violências diversas . Assim, a aplicação da “receita americana”, por décadas, o Brasil em crise permanente e, hoje, em decadência mesmo, com desindustrialização evidente .

As “elites” brasileiras , apoiadas pelo Império americano , alinhadas com propostas e  interesses estrangeiros, voltam sempre à mesma velha “receita”, americana, em suas origens, sempre a Universidade de Chicago e outras, elas  formadoras  de  “grandes economistas brasileiros “, recheados de títulos dados por elas , em contrapartida  elogiando-as , exaltando-as, continuamente, assim como a suas pregações econômicas, por eles empregadas aqui.

Quanto aos  diversos insucessos ocorridos  , fazem de conta que a velha “receita”,  liberal ou neoliberal, não vingou porque pouco ou mal aplicada – isto é , seria  preciso privatizar mais ainda , desnacionalizar, reduzir o tamanho do Estado , remunerar menos os  funcionários públicos , pouco investir  em infraestrutura, por falta de recursos   – mas ,  pagar , sempre , religiosamente , a dívida pública  suspeita,  e não auditada,  com os bancos e empresas do Império do Capital,  organismos internacionais, etc.

Ao meio disso,  sempre esse clamor permanente das “elites” por mais liberalismo econômico , privatizações, etc. (a receita do citado “Consenso …”)  e  o mais completo desrespeito à democracia e ao povo brasileiro, jamais efetiva e democraticamente consultado  – eis que trata-se, afinal,  de seu destino, autodeterminação , respeito à soberania nacional, princípios inscritos na Constituição Federal Brasileira – e é ele quem paga as contas e impostos .

Isto porque tão logo crescem forças políticas por mudanças, contestando as pregações americanas e de aliados locais, logo surgem ameaças ou mesmo  golpes , ao fundo estrangeiros . Sempre sob desculpas várias, em geral comunismo ou corrupção , com  atuação descarada, quase aberta ,  de serviços de informação estrangeiros, como ocorreu em 1964, com amplo controle da big mídia  , via empréstimos e propaganda paga por empresas multinacionais . Mais ainda, financiamento de políticos , semi-aberto, como ocorreu em 1962, com a fundação e ação de institutos como o IBAD e o IPES, provadamente financiadores de candidaturas de deputados federais e promotores do golpe estrangeiro de 1964.(Cf. Elói Dutra, ‘IBAD – sigla da corrupção”: e, em especial, “1964 – A Conquista do Estado , de Dreifuss, já citado ).

Desta maneira, foi derrubado  Getúlio Vargas, em 1954,  com imensa campanha de mídia ,  com recursos estrangeiros . Já em 1964, após a tomada do Estado ,   os adeptos do Império do Capital implantaram , aos poucos, um regime militar-terrorista e  manipulador . Este , décadas depois,  buscando institucionalizar –se,  após crimes, esquartejamentos, genocídios bárbaros, de índios e de jovens políticos, torturas e assassinatos, promoveu uma “distensão lenta e gradual”. Na verdade, a tentativa de institucionalização do que pretendiam os projetos dos  golpistas  estrangeiros e nacionais, adeptos  do capital-imperial. Isto foi conseguido, como o próprio “golpe”, via serviços secretos, em especial, tendo como aliados locais as “elites” as mais destacadas , que chegaram a colaborar com o regime terrorista que se seguiu  , e não só com dinheiro , mas cedendo  locais para torturas e bens , como automóveis(A própria  Volks, para dar um exemplo; e o jornal Folha de S.Paulo) . Assim, colaboraram  com torturas , violências de todo tipo, sequestros , etc. auxiliando uma linha de comando que vinha  mais alta autoridade do país , o “presidente” militar , de então .(Gaspari, E. “As ilusões armadas”).

                                          IV- IMPERIALISMO EM NOSSOS DIAS

Resultado de imagem para Mangabeira Unger

Em nossos dias, há uns dois anos , Mangabeira Unger (talvez em momento de descontrole , pois  americano naturalizado, forte sotaque,  e professor de Harvard, preconizador de idéias tão inovadoras quanto inviáveis, mas  palatáveis para o Império ), taxou o Brasil de “Protetorado Americano”(Globonews , “Diálogos”, com Mário Sergio Conti ) .Lembrou , ainda,  que todas as comunicações brasileiras, inclusive as militares, passavam pelos EUA .Já Otávio Ianni, em “Roda Viva”, TV Cultura , 2002 , mencionava o Brasil como uma Província, com a colaboração de FHC , presidente . E o Brasil /2020 ?

Catastrófico, tentando manter  as aparências, com um despreparado capitão na presidência, ajudado pelo próprio Império do Capital, pois vassalo assumido dele , na voz do próprio presidente, que bateu continência para a bandeira americana .E que elogia os atos mais destemperados de Trump , presidente dos EUA,  mas até superando-o –  pretendia apoiá-lo, recente,  numa  guerra contra a Venezuela, oferecendo-se , o que o outro não quis . Ora, o Brasil guerrear, mal armado, desindustrializado, sem indústrias pesadas ,  mal suportando uma chuva forte, pois logo em situação de  catástrofe geral ? Um país sequer capaz de enfrentar  , com condições, doenças antigas como tuberculose e sarampo e febre amarela (de volta,  todas ) , muito menos dengue , zika ou chicungunha , pretenderia uma guerra , na América do Sul?  Isto sem sequer considerar o coronavírus, com capacidade de matar ,aparente,  maior que  outros vírus ?

O Império, hoje ,  tem novas formas de atuar , que dificultam sua identificação pelo povo , caso de “esconder-se “ sob os “mercados”. Ellen Wood mostra que os trabalhadores “ dependem do mercado e são obrigados a entrar nele para vender sua força de trabalho, coisa análoga acontecendo  no mundo global , onde mais e mais partes do mundo foram submetidas a esses imperativos de mercado,  que as tornaram dependentes .”

O caso do Brasil é  conhecido :

         ”Em anos recentes , os líderes brasileiros falaram …sobre sua independência …mas, na verdade , mesmo com Lula …no poder , eles se tornaram ainda mais dependentes do capital internacional ao aceitarem a dominância do neoliberalismo. Quaisquer que sejam as realizações progressistas alcançadas , elas foram …limitadas – e agora, talvez, até revertidas, pela submissão da economia brasileira às pressões do capital internacional …”(“ O Império do Capital”).

  Mas, nada disso é visto ou percebido fácil pelo povão, tudo escondido sob o “mercado”, Banco Central , big mídia, etc. A divulgação esforçada ,  feita na Internet,  por uma competente Maria L.Fatorelli, é sufocada pela maciça divulgação de desinformação pela grande mídia. Esta ignora a dívida pública colossal, para as condições do Brasil , sua origem , juros absurdos. E  que ela , envolvida em fraudes , medidas ilegais e arbitrárias tomadas pelo Banco Central , etc. é , com a política do Banco Central , a  maior responsável  pelas contínuas  crises econômicas nacionais.

Não se trata mais, em nossos dias,  de uma  “colonização” por invasão armada e tomada de território – trata-se de grandes capitais, exploradores, não produtivos,  poder financeiro internacional  , garantidos por duvidosos contratos através de décadas  – e , se preciso, pela maior força armada do mundo, inclusive a  nuclear  – a do Império , liderado pelos EUA. Tal justifica o empenho militar americano, a nível internacional. Verdadeiro gangsterismo internacional , se pesarmos tal forma de atuação do Império e a intimidação por ele causada.

O Brasil tem sido e é vítima desse processo , de longa data , já endividado com o antigo Império Inglês. A omissão e conivência de nossas “elites”a essa situação ,  vem de longe. Naturalmente , elas beneficiadas por propinas, comissões, migalhas, à custa do sofrimento do povo brasileiro .

À época da República, Eduardo Prado, no livro “A ilusão americana”, já denunciava que o Império Americano, então ainda em formação, não ajudava nação alguma , fora a sua própria . Muito menos ajudara o Brasil, no passado. Teria , sim, prejudicado , inclusive desrespeitando nossos militares e acordos diversos. Isto veio de lá para cá , anos a fio , e há inúmeras histórias e casos expostos  em livros diversos , caso da “História Militar do Brasil”, de Sodré ou “Relações Perigosas – Brasil-EUA”, de Moniz Bandeira . A atuação direta e indireta de americanos na política e economia brasileiras, de longa data , sempre foi contra nosso nacionalismo e interesses . Aliás, como referido adiante, tal sempre fez parte da política externa dos EUA  – como regra, decisão , do Conselho de Segurança Nacional.

Petras fala de período mais recente e do Brasil  , corroborando o referido :

           ”Com os governos neoliberais relativamente estáveis no poder nos principais países do Terceiro Mundo, que subordinam todas as prioridades ao cumprimento das suas obrigações da dívida, houve um investimento recorde na dívida .Os especuladores investiram um recorde de US$,3,3 bilhões nos títulos dos governos do Terceiro Mundo, dobrando o número de 2002(US$l,7 bilhão ). O melhor desempenho do ponto de vista dos especuladores aconteceu na América Latina, onde os lucros alcançaram 35%, enquanto na Ásia, engajada numa trajetória produtiva mais independente, a taxa de retorno foi de 12%(jornal Financial Times, 23-12-2003,p.13). Na América Latina, o Brasil foi o país mais lucrativo, tendo dado um dos retornos mais altos do mundo” .

Governo, ou melhor, administração de direita ? Não , ao menos governo auto-intitulado  de “esquerda”, melhor  entre aspas .(Ou de direita,  fingindo de esquerda ?).(Petras trata dos anos 2004/5, e pouco anteriores, administração Lula da Silva ).

                                                        V- A DÍVIDA PÚBLICA 

Examinadas origens da trágica situação do Brasil e seu povo( enfatize-se –  prédios  e barragens caindo, insegurança pública, legislação distorcida, democracia falseada , doenças, falta de saneamento público , etc.).  O país mais lucrativo do mundo para o Império do Capital, que o manteve sempre hibernando , sem progredir .E que ,  quando houve tentativas robustas no sentido de rompimento dessa situação , simplesmente promoveu golpes, armadilhas, ardis diversos de seu interesse . Hoje, naturalmente, continua defendendo o mesmo diagnóstico de 100 anos atrás, e a mesma “receita”. Isto,   desde um Rui Barbosa, fracassado Ministro da Fazenda, nos primórdios da República ,  a um  Castelo Branco, presidente militar , em 1964 ,  e Roberto Campos , seu guru econômico . Mais recente, dias de hoje, com um Guedes, daquela mesma Universidade de Chicago referida , na Fazenda , e  com o conhecido capital financeiro cada vez mais poderoso por aqui e …e ainda com o neto daquele mesmo Roberto Campos na direção do Banco Central !

O Brasil , já BraZ$l melhor dizendo  , com o Z usado pelos americanos e com o $ representando a presença e domínio do capital financeiro internacional, garantido não  por contratos fajutos, que não podem enfrentar sequer  uma auditoria , mas, ao fundo ,  por canhões e mísseis do Império do Capital ,  que funcionam muito bem, nada fajutos.Por isso,  a dívida pública aumenta e aumenta, juros sobre juros ,  paga e paga o povo brasileiro e sempre deve mais e mais  ,  a big mídia alinhada com seu Império financiador calando-se – e o Brasil já devendo  acima de 6 trilhões de reais .

A  dívida pública foi transformada numa “vaca sagrada” , intocável, seja pelos governos, oposições , big mídia ou “intelectuais do sistema”. Estes a debaterem sobre ela , mas sem falar nela jamais,  no vazio, ignorando a dívida e o Império , noites e noites ,   em eternas , infindáveis, intermináveis “mesas redonda “ , em todos os canais de TV .

Resultado de imagem para fatorelli

Não  podem  falar em dívida pública, nas irregularidades dela, nos trilhões surrupiados pelo sistema financeiro internacional e seus aliados locais internos. (Cf. vídeos de Maria Lúcia Fatorelli, Auditoria da Dívida Pública, um deles neste programa 41). Afinal, eles financiam não só seus empregadores como seus empregos e salários e benesses . O mínimo que podem é calarem-se . Não são jornalistas no sentido essencial do termo, buscando informações verazes, mesmo que desagradáveis, que interessem ao povo. São peritos na arte de omitir, disfarçar, desinformar – fora exceções conhecidas , caso , no passado , de um Barbosa Lima Sobrinho e de alguns ligados a mídias alternativas.

Sabe-se ,  pela intocável dívida,  quem manda no Brasil, de longa data . Lula já assumira convocando Meirelles, banqueiro de confiança do poder financeiro internacional, que era até de partido político então rival.   A dívida pública  manobrada por cordões , quais os de marionetes , que terminam, hoje, depois de longo caminho via bancos, FMI , OMC , etc. no Pentágono, ou em Trump, ou na boca dos canhões e mísseis americanos ou ingleses.

Quem pensar  em não pagá-la saberá mesmo  onde está mexendo ? Isto é,  além de conseguir rápida inflação , falta de produtos , quedas da iluminação e da água, etc.  ?Alguém ainda lembra do ocorrido, na  Venezuela, há pouco, ela em situação muito menos dependente do que o Brasil atual, ao enfrentar o Império do Capital  ? Parece que os guerreiros acoelhados daqui sabem muito bem do que se trata , pois a valentia se limita a motins de pms no Ceará , com lideranças ligadas ao próprio governo federal , que logo as anistia , abertamente ou nos bastidores ; e no assassinato covarde do povo simples e de vereadoras desarmadas como Marielle.

Justiça seja feita – vários presidentes brasileiros  procederam igual a Bolsonaro  –  todos caladinhos frente àquela dívida pública sagrada , a vaca sagrada brasileira  , fora Tancredo Neves ,  que declarou , em discurso,  antes de assumir o cargo – “Não pagarei a dívida pública com o sangue do povo brasileiro. ” Casualidade ou não , ele morreu em  pouco,  depois  de muito sofrimento ,  em estranhas circunstâncias.

O Brasil , pois, algemado por essa dívida ,  e em crise política permanente . Por quê ? Claro que há uma relação entre a política e a economia .

Não adiantam  projetos políticos ou decisões  que infrinjam os  interesses do capital financeiro internacional, que já controla aqui  não só os “mercados” como o Banco Central , embora este ainda não autônomo nem independente –  legalmente . Mas, na prática, ele o  é ,  tomando várias medidas econômicas antinacionais e  anticonstitucionais , que tem causado prejuízo de trilhões de reais (Vide Maria L.Fatorelli, que vem denunciando tal , sem contestação, há muitos anos  )  sem reação dos nacionais, com poder, que não investigam, não fazem CPI que funcione, o MP se cala , deputados vão até certo ponto e logo também acoelham-se .

                             VI- EXPLORAÇÃO ARTICULADA E CONSOLIDADA

A exploração do Brasil , por estrangeiros, em especial impérios inglês e americano, entre outros,hoje todos integrados,  vem de longe , está consolidada , pois,  e é tão clara  que até analistas estrangeiros , nada comunistas , mas independentes intelectualmente, já a analisaram :

  Resultado de imagem para N.Chomsky                  “…o Brasil, potencialmente um país extremamente rico, com tremendos recursos naturais, só que teve a maldição de ser parte dos sistema ocidental de subordinação .”

  E adiante – “…os países que se desenvolveram economicamente são aqueles que não foram colonizados pelo Ocidente; todo país que foi colonizado pelo Ocidente é um desastre total “. (N. Chomsky) .

          E este autor ainda enfatiza que , assumidamente, em registros documentais, os EUA sempre admitiram que seu empenho internacional no Terceiro Mundo

                 “…deve ser impedir a ascensão de regimes nacionalistas que atendam às pressões das massas da população por uma melhor nos baixo padrões de vida ….”(relatórios do Conselho de Segurança Nacional/EUA).

      Quer dizer  – tal regime nacionalista , tanto faz ser de direita como de esquerda , será combatido pelos EUA . E N.Chomsky conclui –

               “…o intervencionismo americano não tem nada a ver com resistir à disseminação do “comunismo” , é à independência que sempre nos opusemos …”(“Para entender o Poder “).

Nossas “elites”locais continuam na mesma trilha de 100 anos atrás , com o mesmo “diagnóstico” e usando as mesmas  “receitas” ,genericamente aceitas até pelas “oposições” à esquerda, como vimos, eis que Petras refere-se aos  anos de 2002/4 .E, então ,  quem estava na presidência? Não era Bolsonaro e já não era FHC.

A pergunta que nos resta  é – o brasileiro , tratar-se-ia do povo mais “burro” do mundo , pois depois de 131 anos insiste no mesmo “diagnóstico” e “receita” para seus problemas ? E isto possuindo não só documentos, análises de sérios autores nacionais e estrangeiros ,a práxis de décadas, o resultado expresso na catástrofe à  volta  – e , para finalizar , a própria  confissão do “médico imperialista” sobre suas reais intenções , em documentos consultáveis. (Cf. em Chomsky, documentos disponíveis e registros do Conselho de Segurança Nacional dos EUA) .

O povo mais burro do mundo  ? Não , primeiro porque o povo , maioria pobre, tomando água poluída e com casas e ruas desabando (só consultar os  jornais brasileiros ) jamais nada decidiu sobre problemas econômicos, projetos, análises, etc. até porque a maioria é analfabeta ou analfabeta funcional , o que abrange mais de 70%, em geral manipulados por big mídias e via Internet . Além disso, tal não foi motivo de referendo ou plebiscito (detestados, aliás ,  pelas “elites”) . Além disso, nunca teve condições de ser eleito deputado ou sequer vereador, fora exceções. E foi tão mal educado que não tem nem formação política, nem social, muitos estão desempregados, sobrevivendo a duras penas.

Trata-se, então ,  de “elites”, setores mais elevados e enriquecidos de diferentes classes e extratos sociais , (fiquemos com este entendimento) , que chegaram ao poder . Seriam as mais” burras”, ignorantes,  do mundo ?

Mas , como , se estudaram em Chicago, Harvard, quando menos na PUC ?  Então ,claro que já ouviram falar nisso tudo, consultaram livros e deram , solenemente , as costas aos fatos e à práxis. E por que sempre  o mesmo diagnóstico e receita americanos ?

Porque aquelas aliadas com os interesses do Império, ganhando altos salários pagos por ele, direta ou indiretamente, tem centenas, milhares de privilégios – e, assim,  para elas , nada do acima narrado importa, sejam  dívidas, enchentes ou  quedas de barreiras ou falta de saneamento . Não pagarão por nada disso, tem isenção de muitos impostos, não existem  impostos sobre grandes fortunas. Então…

Fingem  de nada saber e traem seu povo – seu povo ?  E isto dia a dia , em função de seus interesses pessoais . Não são  ignorantes  – são traidoras, e artistas de alto nível, sempre encenando a pantomima de debates , mesas redonda,a culpar o Estado “inchado”,os gastos altos com o funcionalismo , a“Previdência social cara”, etc. , Ignoram o imperialismo e a dívida pública fraudada (por que nunca concordaram em investigá-la ? Sabem que  a investigação acabará num escândalo ) , com cinismo e descaro t

 VII- ESTADO DE EXCEÇÃO ; OLIGARQUIA

E quanto à política, como tem sido contornada a situação descrita , de crise permanente , instituições herdadas da ditadura , moldadas numa transição negociada entre David e Golias ?Quem fez a Constituição e as leis dela derivadas ?

Dreifuss assinala que, na Constituinte,  houve grandes doses de dólares nela e compra de interesses nela expressos (“O jogo da direita”). Crises permanentes, resolvidas magicamente pelo STF, ou pelo  Congresso Nacional, sempre e ultimamente também pelo Poder Militar .Claro que com o abraço do Executivo de plantão , seja de “esquerda”, entre aspas, ou daquela  direita mascarada e fantasiada de centro .Caso de um FHC e outros, ou mesmo da “direita raivosa” e,  falsamente,  anti-corrupção e religiosa , alinhada com a extrema direita americana e com alguns de seus financistas.

Qual o recurso usado para isso , isto é , conciliar  inconciliáveis situações  ? Isto é,  com  direitas fingindo de esquerdas , corruptos fingindo de moralistas, torturadores dizendo-se cristãos , milicianos escondendo suas armas e apelando dia e noite para liminares do STJ ou do STF? E  com êxito, pois não são “cidadãos comuns”.

Mentiras e peças de teatro tupiniquim  o tempo todo, para  manter uma superexploração estrangeira sempre disfarçada , o país sob direção , de fato, estrangeira , do poder financeiro internacional , sem investimentos próprios, agachando-se para buscar investimentos estrangeiros ,  e  pagando uma dívida insuportável. Isto além de  fingir, o tempo todo, o país  possuir uma  soberania e independência que  não mais possui .

 Os brasileiros administram,  mas não governam seu próprio país –  não tomam decisões fundamentais, como as relativas a  seus próprios  rumos econômicos  – dívida pública, Banco Central, etc.

Agamben percebeu tal , nos EUA e outros países , uma discrepância entre as normas legais e sua execução, zonas cinzentas de direito . E  resumiu isso ,  de forma magistral,  em seu “Estado de Exceção” , que seria “…a forma legal daquilo que não pode ter forma legal .”

 

      Ele remonta à ascensão de Hitler e a traz para análise em  nossos dias,

“considerando o Terceiro Reich um estado de exceção que durou 12 anos.” Um “estado de emergência permanente (ainda que, eventualmente, não declarado no sentido técnico “), que tornou-se uma das práticas essenciais dos Estados contemporâneos, inclusive dos chamados democráticos “(p.13 ).

        De fato, e ele lembra as detenções sem prazo nos EUA , o USA Patriot Act, do Senado dos EUA. Poderíamos lembrar a eleição, na Flórida, de Bush filho ,  numa decisão esdrúxula do Supremo Tribunal de lá, a guerra do Iraque , sem autorização constitucional , etc.(Há filme a respeito , detalhando tais questões – “Vice”, de Adam McKey ).O “estado de exceção” seria a nova técnica de governança das democracias capitalistas, agindo através do sistema legal , via pareceres, interpretações jurídicas, etc. , além da conveniente e própria elaboração de normas . Tal o recurso que também tem sido usado em outros países e no Brasil, inclusive  nas últimas eleições, embora  entre outros. Caso das suspeitas urnas eletrônicas  (até por Bolsonaro) , sem contraprova , a manipulação maciça da Internet, por robôs, financiamentos estrangeiros de  manifestações , caso daquelas pré-queda de Dilma,etc. ( Fatos  comprovados de formas diversas, caso do livro “A Nova Direita “, de Flávio Casimiro , entre outros , como os livros sobre “A Irmandade”, nos EUA . Cf. neste site, e em editoriais resumidos, de  Cami TV) .

                                                VIII- A DEMOCRACIA AMERICANA

Finalmente, o que dizer do “modelo americano de democracia “, ainda hoje apresentado por muitos intelectuais e pela nossa big mídia oficial, além do próprio presidente,  como o grande “exemplo de democracia”?

Resultado de imagem para estados unidos guerra irã

Ora, os EUA invadiram dezenas de países, desrespeitando a ONU, tratados internacionais, a soberania deles, muitos sendo bombardeados ou invadidos por marines (América Latina), quando não promovendo golpes via serviços secretos e escondidos atrás de militares locais . Mais recente, Vietnan , Iraque, Líbia, Afeganistão , Síria … Além da pressão , intervenção, bloqueio militar e econômico , etc. durante meses , anos , contra Cuba, Venezuela , Irã , havendo , hoje, até sanções contra a China.

Isto, tais atos, já traduzem  “superioridade” falsa de seu regime econômico sobre os  desses países e dos que denomina “comunistas” ou socialistas.

  Que superioridade é essa que  tem que bloquear a economia, ameaçar constantemente, muitas vezes invadir, diversos países , apenas para ter o seu regime econômico  reconhecido como  superior ao deles  ?

Isto é prova de inferioridade, medo,  covardia, falsa competição . Tivesse futuro seu próprio regime e não precisaria de constantes guerras de submissão , intimidação , exploração e conquista armada de mercados e matérias primas. A guerra, para o Império ,  tem sido o meio último  de dinamizar a economia dos próprios EUA, à custa do sacrifício de sua democracia interna. Eisenhower, década 1940 , já percebia  isso, e se preocupava ,  ao reconhecer a existência ainda dissimulada  de um notável complexo industrial-militar . que alimentava e alimenta , hoje ainda, a economia, com  uma máquina de produção para a guerra,  venda de equipamentos  e promoção de suas  próprias guerras , na maioria das vezes de interesse de empresas petrolíferas ou outras , abocanhando matérias primas de todo tipo e ao mesmo tempo garantindo mercados para suas empresas

Embora , em nossos dias , tal máquina seja necessária para dissuadir reações, ameaças, mais do que atuar , propriamente, eis que o Império tenta  usar métodos mais espertos de conquista , tais como promover líderes favoráveis , atuar via poder financeiro e dívida pública , como bem perceberam autores como a citada Ellen Wood.

O Império tem estrategistas competentes. Preveem a instabilidade mundial, eis que já promovem , de longa data, diversos  tipo de ações  terroristas, aparentes e disfarçadas, via serviços secretos . Os EUA , via Pentágono e Comando Espacial sustentam necessário  o

             …“domínio da dimensão espacial das operações militares para proteger os interesses e os investimentos dos EUA”.  Isto porque  sabem que a globalização conduzirá a um “agravamento a distância …entre os países e à “estagnação econômica, instabilidade política e alienação cultural cada vez mais profundas …” gerando inquietação e violência …”(Chomsky , “Estados Fracassados”,p.17).

Basta ver que a doutrina Clinton , de então, oficialmente lançada , dizia que os

“Estados Unidos têm o direito de recorrer ao “uso unilateral da força militar “ para garantir “acesso irrestrito a mercados chave, fontes de energia e recursos estratégicos . “

Fecha-se o quadro de uma democracia distorcida , nos EUA também, sob estado de exceção , em que as leis não são integral e estritamente obedecidas , via o mesmo recurso que levou Hitler ao que todos sabemos . Já Carter, ex-presidente, mencionava subornos, distorções nas eleições americanas , que os EUA estavam muito longe da democracia que um dia existira e que  muitos pensavam ainda existir (In “A desordem ocidental”, de Moniz Bandeira ).

Teria havido uma mutação , há muito tempo, do regime democrático americano em oligarquia, a revestir uma “ditadura do capital financeiro”, havendo uma escalada da concentração de renda e desigualdade social nos EUA(P.472). Se tal processo de deterioração democrática avançou  , internamente , desde aquela antes existente “democracia na América”, retratada por  Tocqueville , acabando por transmutar-se  numa oligarquia,   pior ocorreu externamente, atingindo o mundo e gerando uma “desordem mundial”  . Os EUA, exacerbando seus interesses e posições políticas , já distorcidas,   passou a exportar “democracias” que seriam de seu interesse e, pseudamente, no modelo que ainda teria.  Mas, que democracia exportou, na nova situação que já vivia internamente ?

”…a de bombardeios, destruição, terrror, massacres, caos e catástrofes humanitárias .”(MONIZ BANDEIRA)

“Esta a realidade dos fatos. E o certo é que, na história, como  Oswald Spengler salientou, não há ideais, mas somente fatos, nem verdades, mas somente fatos, não há razão nem honestidade, nem equidade, etc. mas somente fatos “.(M.Bandeira, ob.cit. , p.513).

            Os EUA e grandes potências jamais entraram em nenhuma guerra para defender democracias ou povos ou proteger direitos civis , mas sempre para defender seus interesses e necessidades, econômicas e geopolíticas, imperiais, em resumo. (Conversa fiada e propaganda e mentiras não mudam isso ).( Id.).

Pois bem, os dirigentes brasileiros atuais (1) esperam aliança, auxílio, desenvolvimento através de uma aliança entre uma ovelhinha  pretensiosa, o Brasil, e uma águia carnívora antropófaga, os EUA. Isto apesar de décadas da História, além de documentos e análises mostrarem , acima de dúvidas, o comportamento em política externa dos EUA. O  que pretendem do Brasil é conhecido – um grande Porto Rico conformado ou um grande Haiti do Sul,bastando ver o que fizeram nesses dois estados. Jamais permitirão o desenvolvimento do Brasil e sua afirmação sequer como potência regional , a não ser depois de guerra aberta e declarada , em que percam (?!), o que hoje é totalmente inviável ; (2) os atuais dirigentes brasileiros ainda  elegem a democracia americana como exemplo ; idem sua política externa, defendendo-a ; pior , ainda elogiando seus líderes os mais radicais e apegados à política terrorista citada.

Ora, são situações como vimos , nada complementares, mas de interesses opostos. Além disso, inexiste a democracia americana e uma política externa minimamente solidária da parte dos EUA . (3) Os dirigentes brasileiros ainda  tomam como receita econômica e política aquela mesma de mais de cem anos atrás , oriunda do Império , jamais abandonada por nossas elites vassalas  (eis que quando questionada , sempre  retomada com bases em “golpes” militares e ações , de fato ,  oriundas no seio do Império , como ocorreu em  1964 – com  torturas, violências, ameaças, intimidações , ardis, mortes , que deixaram a nação desarticulada até nossos dias, com nosso povo ainda mais sofrido e neurotizado  ).

 Não é à toa que nosso povo, o povão ,  que nessa situação , com falsas direitas e até esquerdas , de fato “esquerdas” , entre aspas ,  se vendo e sendo mesmo manipulado por  “elites” como as citadas, descaradas,  fique confuso e aturdido. Ainda mais se tivermos em vista que a grande maioria é analfabeta ou analfabeta funcional .Além disso , tem lideranças falsas , hipócritas, traidoras, atiçando-o e mentindo , de todos os lados , bastando examinar , com cuidado,  a historiografia já existente.

          De fato, lideranças ,   evidente , não cristãs , hipócritas,  a mentirem dia e noite,  envolvendo em sua traição pastores e religiões . Por  isso , como nos admirarmos que  boa parte do povão só confie em Jesus Cristo , apelando a ele, esperando sua volta ? (*)

Referências principais:

Agamben, Giorgio .”Estado de Exceção”, Boitempo,  SP, 2004 .

Chomsky, Noam. “Para entender o Poder”. Coletânea. Peter R.Mitchell e outro, Bertrand Brasil, RJ, 2005.

______________. “Estados Fracassados”, Bertrand Brasil , RJ, 2009.

Moniz Bandeira, L.A. “A desordem mundial – o espectro da total dominação”,Civilização Brasileira ,RJ, 2018.

Petras, James . “Brasil e Lula – Ano Zero”, Edifurb,Blumenau, 2005.

Wood, Ellen Meiksins . “O Império do Capital”, Boitempo, SP, 2014.

_________________________________________________________________________________________

(*) Artigo integral , base do editorial 41, de Caminhando Jornal TV/TVC, 7-3-2020.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.