Mudar ou Morrer – O Drama Brasileiro/ 2020

abr 20, 2020 by

Mudar ou Morrer – O Drama Brasileiro/ 2020

Mudar ou Morrer :

O Drama Brasileiro/ 2020

***notas sobre os tempos de pandemia , no Brasil e no Mundo, desde as lutas políticas via redes sociais/internet, à conjuntura internacional e nacional e a  previsões para a fase pós-pandemia ***

Mauro M.Burlamaqui

                          [ artigo integral , base do editorial de Caminhando Jornal TV 44 ]

                                                             

 

   I- A PANDEMIA E A CRISE DO GRANDE CAPITAL

 

O mundo e o Brasil sofrem com o chamado coronavírus , covid-19, com quarentenas , distanciamentos sociais , mortes , que aumentam, por aqui, hora a hora.

Mas, o Brasil, anterior à identificação do vírus, já vinha sofrendo dramática situação , com dívida pública de 6 trilhões, desemprego, instituições falhas, estado de exceção informal e implícito. E estranhas urnas e duvidosas eleições, inclusive a de Bolsonaro, dependência do poder financeiro internacional e do Império do Capital até em termos de comunicações (todas através dos EUA), falta de infra-estrutura, em especial de rede ferroviária, indústria decadente e quase inexistente, e não competitiva, agronegócio em total dependência da China, crise na maior empresa, a petrolífera(Petrobras), altamente endividada, etc.

O vírus vem adiantando o processo degenerativo , tornando agudas as contradições, desnudando realidade escondida pela big mídia e “elites”, enfim, uma série de mazelas, como 50 % da população sem condições sanitárias mínimas, inclusive água; milhares de favelas; dívida pública a multiplicar-se ; e ainda revelando a responsabilidade ou irresponsabilidade das “elites” brasileiras, as atuais no poder estatal e as anteriores, num processo que vem de longa data .

Assim, com razões diversas e muitas , tem surgido inúmeras reflexões e sugestões sobre como procederem os brasileiros , no presente e no futuro, sobre as origens da crise, ou da agudez dela , provável evitável , tivesse havido corretos e disponíveis investimentos, tendo como resultado milhares de mortes . Também discute-se sobre o futuro do país , superada a fase aguda da epidemia.

Muitos brasileiros não vem suportando o isolamento social, até por falta de condições para isso(desemprego, ou emprego “precarizado”, falta de mínimas condições sanitárias, até de água).Outros não conseguem sequer ler ou ouvir mais sobre a crise em curso, por isolados, neurotizados, ansiosos, depressivos. Ou confusos por propostas diferentes do Executivo e Legislativo, e terceiras pelos governadores dos estados. Muitos, ainda no exterior , pegos de surpresa , sem conseguir voltar ao Brasil, acham-se em difícil situação. Em suma, muitos mais pontos no sentido de uma confusão geral, além disso os administradores, em todos os níveis, divergindo e não conseguindo meios (respiradores, leitos, etc.) para atender a população porventura necessitada , que prevê-se em número cada vez maior.

É nesta situação que fazemos este editorial, de revista digital comunitária , de cidadãos não de partidos, dirigida a amigos, companheiros, famílias , povo brasileiro porventura interessado. Um trabalho sem objetivo de lucro ou promoção pessoal, mas de colaboração com nosso povo, pensando e discutindo soluções para os problemas em curso.

   II- A GUERRA – INFORMAÇÃO E DESINFORMAÇÃO

 

Assim, independente da discussão do conteúdo, da essência das análises e soluções, tem sido levantadas questões formais – quanto a como divulgarmos nossas matérias.
De um lado, recebemos sugestões daqueles que consideram que é preciso mostrar sempre otimismo , boas notícias e intenções, independente da realidade , pois asseguram que nem eles nem o povo brasileiros suportam mais tanto noticiário negativo . Que implicaria em que o evitassem e buscassem músicas, piadas, comunicações mais alegres. Assim, a parte política da revista digital, para esses, soaria mal, quase insuportável pelas informações, análises e conclusões nada otimistas, no momento .

Outros, ao contrário, consideram sério erro divulgar músicas alegres, ignorar fatos, omitir notícias, quando exato o importante para a população seria a política em si , inclusive políticos irresponsáveis, com propostas também irresponsáveis. Para esses, sequer necessário análises curtas, sintéticas, ou mesmo tratar-se de questões psicológicas , por exemplo. Ao invés, caberia concentrar “fogo” e insistir em análises políticas amplas, densas , pouco importando, pelas circunstâncias, que recheadas de ofensas pessoais ou até calúnias ou falsidades,com chamadas e títulos que não correspondem ao conteúdo, mas atraem público .
Tal importaria pouco , a esta altura da crise . O objetivo seria detratar , vencer o inimigo , desmoralizá-lo , desde que levando análises responsáveis por mais infectados e mais mortes. Recalcá-los e desmoralizá-los seria tarefa número um. Ora, que mal haveria em usar-se os mesmos recursos e a forma de agir deles , sem respeito à ética, moral, dignidade humana ,com uso de mentiras de todos tipo , fake news , caso dos bolsomilitantes ? Se eles assim fazem, por que não imitá-los e fazer-se o mesmo, igualando as “armas” , o menos, neste sentido ? Entraríamos , aí, então, num mundo de falsidades de parte a parte, enganos, mentiras, confusão. A quem tal favoreceria , fosse o caso ?

                                                          III- A QUEM INTERESSA A ‘VERDADE’?

Há , aí , um grande engano , quando militantes honrados, não pagos, cidadãos , colaboradores, resolvem tomar as mesmas diretrizes dos bolsomilitantes digitais e seus robôs , a serviço , hoje sabe-se, de interesses estrangeiros , inclusive agentes de outros países. (Cf. neste site editoriais e artigos a respeito, com a intervenção de interesses estrangeiros e instituições americanas, casos de Carvalho e outros. “A Nova Direita”, “A Irmandade”, etc. livros facilmente encontráveis via internet). Os militantes digitais da direita prepararam-se, tiveram dirigentes de bom nível, apoio técnico estrangeiro , seguem táticas e formas de atuar que diferem das democráticas e são dirigidas no sentido de vencer os debates de qualquer maneira e influenciar pessoas, em especial religiosos e ignorantes . Sabem como estes pensam e decidem, inclusive, por estudos feitos por meio de controle da comunicação dos celulares e internet.

Entretanto , por que a “verdade,” embora esta sempre relativa ? Não se pode aceitar a verdade de um Trump , com dezenas de mentiras por dia, segundo seu interesse , ou de um Bush , que justificou o ataque ao Iraque com a mentira daquele país ter armas químicas. Nem com um assessor presidencial de então, Rowe , e do proprio Bush e outros, de que a verdade é a daqueles que tem força para impô-la, o que o Império tinha condições de fazer.

De fato,  de outro lado, os interesses de ambos os lados são muito diferentes – (l) os dos que pretendem conservar valores,manter a sociedade como está, ou fazerem mudanças paliativas, sem tocar no cerne dos problemas : e (2) o daqueles que pretendem mudar a sociedade , transformá-la , no sentido dos interesses populares, da maioria da população , e não das “elites” aliadas a setores estrangeiros, independente de serem atingidos os interesses desses e de seus aliados brasileiros.

Por quê ?

               IV – TEXTOS LONGOS OU CURTOS ? ATAQUES? TÁTICAS

 

Olavo de Carvalho diz que 'espertalhões tentam parar a Lava-Jato ...

Essas questões envolvem forma de agir e conteúdos digitais a serem divulgados e , alguns , repetidos à exaustão, em direção ao povo brasileiro em geral.

E que não são de menor importância, desde que brasileiros, em defesa de interesses populares, enfrentam , de outro lado, estrategistas estrangeiros que usam táticas, inclusive, de linguística, e retórica, muito bem planejadas, com êxitos comprovados .

Inclusive, recorrendo à Filosofia e História, para vencer debates e conquistar mentes.  Veja-se até livro e instruções sobre isso do bolsomilitarista , ligado a interesses estrangeiros, Olavo de Carvalho , em suas obras e fontes- “Como vencer um debate sem precisar ter razão” . Este baseado na Erística dialética, obra incompleta de Schopenhauer. Tratar-se-ia de uma “patifaria intelectual”, para uso de vítimas, mas que Carvalho recomenda a seus alunos. (Cf. in “Tormenta”, de Thaís Oyama). A desclassificação do adversário, a baixaria, a não discussão da essência dos problemas, tudo isso é recomendado por Carvalho. Note-se que não se trata de teoria . Weintraub pregava , de público, que “quando ele [ um esquerdista ] chegar para você com o papo “nhoim nhoim”xinga ! Fala como o Olavo de Carvalho diz …”E a uma usuária do Twitter , que criticou-o , ele escreveu :“Prefiro cuidar dos estábulos, ficaria mais perto da égua sarnenta e desdentada da sua mãe.” Este o Ministro da Educação do Brasil, administração Bolsonaro.

Para muitos , em artigos da internet, dever-se-ia fazer textos curtos e elementares, desde que a maioria é de analfabetos funcionais (entendem apenas idéias simples e não complexas) ; para outros, dever-se-ia ser o mais “duro” possível e detalhado nas análises, jogando-as como bombas sobre os divergentes. Muitos , de ambos os lados, pensam assim. Aliás, há diferenças essenciais – num lado, temos analistas, sim, no sentido popular, intelectual, buscando idéias e fatos ; e, de outro , contratados ou agentes ou beneficiados por cargos e comissões, ou mesmo robôs ,  eis que o bolsonarismo no poder estatal ,com centrais digitais instaladas no próprio Palácio do Planalto, segundo  fontes da mídia.Isto, sem negativas por parte dos acusados, nem desmentidos e , ainda por cima, aqueles  manipulando, usando robôs, com auxílio de estratégia e logística estrangeiras, via anterior de Bannon e outros , desde a eleição de Bolsonaro.

Mesmo numa conjuntura negativa para isso , para alguns,  à esquerda, dever-se-ia manter o posicionamento de ataque forte e contínuo , em artigos , embora sem condições ou logística para isso , o que, no mínimo , criaria contradições e garantiria “visualizações”(repercussão ) em grande número , o que deveria ser o principal objetivo , aliás , o de qualquer publicação. Para estes, nada de perder-se tempo com músicas, nacionais ou não, nem com análises indiretas ou ter preocupação com a busca criteriosa de verdades e exatidão de fatos , informações e análises, ainda mais quando proliferam , na internet , e com sucesso de público , como referido , fake news e mentiras e falsas conspirações e títulos e chamadas,  em larga escala . E de todo tipo – ofendendo pessoas, países, difamando , alterando , com descaro, até a história do Brasil , a de outros países , a biografia de líderes mundiais famosos .(Com mais detalhe e referências, conferir em caminhandojornal.com ).

                                             ROBÔS, TÁTICAS ESTRANGEIRAS, $$$$

 

INTERNET , ROBÔS, MILITÂNCIA PAGA, COM CARGOS OU DINHEIRO , DESINFORMAÇÃO , AGENTES ESTRANGEIROS, PÚBLICO ALVO DE RELIGIOSOS, IGNORANTES, DESINFORMADOS POLÍTICOS, MILITARES , POLICIAIS MILITARES, SUAS FAMÍLIAS, COLIGADOS, COMO CLUBES DE TIRO, SEGURANÇAS, EMPRESÁRIOS DE SEGURANÇA, ETC.

É preciso que os cidadãos , que postam na internet seus blogs ou sites , não pagos, por vezes não ligados sequer a qualquer partido ,  não remunerados e não  servindo a grupos políticos, em especial estrangeiros, SAIBAM O QUE OCORRE NESSE MEIO VIRTUAL, ATUALMENTE , NO BRASIL .

              Até porque a desvantagem em que se encontram para defender suas idéias , da qual não tem clara consciência, constituem em dado intimidatório, desanimador, dando a impressão que isto tem algo a ver com o conteúdo postado e não com a forma de divulgação(oculta) , o que é difícil perceber . Alguns , quase todos . estão “encobertos”, sob o auxílio, de robôs( que multiplicam postagens de forma muitas vezes superior aos seres humanos ), com recursos financeiros, compra de cadastros daqueles para quem enviar, máquina do Estado em ação (os bolsomilitaristas estão no poder , muitas vezes a nível federal, estadual e municipal, tendo cargos, cargos em comissão, verbas, etc. em profusão, para distribuir entre os seus, além de recursos com origem , inclusive, estrangeira – o que melhor mostraremos adiante).

             Alguns desses chegam a afirmar –

“A prova que estamos certos é a recepção popular, do povo, muito maior que a de vocês anti-bolsonaristas , basta ver as nossas visualizações na internet e a de vocês”.Claro, tem uma máquina com estratégia estrangeira, recursos, robôs, Estado, etc. a seu favor(jornalistas afirmam haver uma central digitar poderosa funcionando de dentro do Palácio do Planalto, derivada do que chamam “Gabinete do Ódio”). As origens dela remontam a estrategistas do Pentágono e da Casa Branca, que serviram à eleição de Trump(já bem sucedidos nela ) , a Steve Bannon, Breitbart e outros .Olavo de Carvalho, brasileiro americanófilo, que reside nos EUA , foi ponte nesta intervenção que já vai longe, no Brasil, e participou intensamente da eleição de Bolsonaro Presidente. 

Se na década 1960, eleições em 1962, os estrangeiros, em especial os EUA , influíram , ilegalmente, direto com dólares e financiamentos de parlamentares e entidades e jornais, casos comprovados até em livros diversos como “IBAD- Sigla da Corrupção” , de Elói Dutra e “1964 – A Conquista do Estado”, por exemplo”, infringindo a Constituição Federal,  atualmente agem de formas mais sutis, mas também anti-constitucionais, como pode se verificar no art. 17 da C.Federal de 1988.

Em outras palavras, a isso servem os bolsonaristas internéticos  –  é a  que servem,  sendo feito por militantes bolsomilitaristas, orgulhosos com seu “poder de fogo” na internet (grande número de visualizações ). Essa situação toda – é  preciso que os cidadãos comuns que atuam na internet  saibam,entendam bem o que está ocorrendo.

Este processo de intervenção estrangeira (de grupos empresariais e outros estrangeiros desde antes das eleições de 2018, a partir de 2013/2014, aproximadamente . Já naquelas manifestações de rua havia recursos, $$$, financiamentos estrangeiros de grupos diversos e treinados , além de recursos de empresários nacionais e outros, intervindo nas passeatas, com faixas, carros de som, presença de militares e seus familiares endossando, etc.

 

                           GRUPOS DE WHATS APP E INFORMAÇÕES FALSA

 

Veja-se o que ocorre, agora mesmo, nesses dias, em que estão sendo concentrados ataques, na internet, em especial contra Rodrigo Maia, Presidente da Câmara dos Deputados. (Há “ataques orquestrados contra adversários no Twitter, uso de robôs e criação de grupos de Whats App para difundir informações falsas”.(Sérgio Roxo, OG, 21-4-20).

Num estudo de amostras verificou-se, após  manifestação de domingo em frene ao QG de Brasília, em 38 000 menções , 30% era de apoio a Bolsonaro, tudo dentro do grupo bolsonarista. David Nemer, da Universidade de Virgínia, pesquisador , identificou 1,5 mil,jhão de menções a Maia. Analisando 50 mil postagens, identificou 11 contas robôs , os perfis chegando a fazer  50 retuítes em dez segundos, algo impossível para o ser humano . Além disso, diversas contas falsas , com características profissionais, em que se faz postagvens apenas pró-Bolsonaro, de mesmo teor e quase ao mesmo tempo.(Consultoria Arquimedes). Os ataques estrategicamente coordenados , sempre buscando um inimigo comum, forma de manter as bases unidas e motivadas.

Os números impressionam – 1,3 milhão de menções da hashtag #Fora Maia. Há toda uma estratégia e táticas. No Twitter, ataque coordenado. No Whats App campanha “de desinformação pesada”. Os canais bolsonaristas do Youtube com 4 vezes mais visualizações do que outros canais políticos.(Pablo Ortellado, USP, Coordenador do Monitor de Debate Político no Meio Digital ). Pessoas aparecem acrescentadas aos grupos sobre coronavírus. Um especialista explica – ….“esse tipo de mobilização exige recursos, porque é preciso comprar o  cadastro das pessoas para serem incluídas no g rupo e pagar alguém para alimentar as mensagens”.(Id.) A mesma estratégia usada na eleição de Bolsonaro – “Isso só ocorreu na eleição porque é muito caro manter.” Entre os assuntos atualmente abordados, está a afirmação que “os hospitais estão vazios e que o vírus é uma artimanha dos chineses “. Além dessas , são escolhidas outras “palavras de ordem” que são defendidas de forma concentrada.

 

                                         LUTA DE CLASSES E FRAÇÕES NA INTERNET 

 

Para quem se interessar pelas  origens dessas posições bolsonaristas  atuais, e omissão das “esquerdas”, na verdade parte do esquema neoliberal do capital imperial , integradas a ele ,  e entender melhor o que se passa, lembrar que as ações na internet refletem  algo muito maior – a afirmação de uma Nova Direita no Brasil,a expansão e avanço da dominação do capital imperial,  com novos aparelhos e ação política e ideológica agindo ,apoiados desde o exterior por empresas e financiamentos diversos:

“Estamos assistindo – escrevo entre o primeiro e o segundo turno das eleições presidenciais de 2018 – a uma avassaladora técnica de produção de medo e de terror , e não a uma participação política esclarecida e plena. Técnica fornecida por lideranças da extrema-direita internacional, notadamente dos Estados Unidos, a entidades empresariais apresentadas como ‘sociedade civil’, mas que são casamatas de dominação …”

(Virgínia Fontes, in Prefácio ao livro de Flávio Casimiro, “A Nova Direita”, p.9).

Trata-se da busca de expansão do capitalismo e de “difusão de mentiras produzidas em grande escala e o uso desabusado de linguagens técnicas para maquiar a realidade .”(p.10)

Há uma formação massiva de trabalhadores sem direitos, agravada agora pela pandemia do covid-19, os limites sendo testados tanto na economia como na política . Ainda assim prosseguem lutas sociais em variadas direções, educação k, saúde, lutas sindicais por direitos e salários, etc. Exato para coibir isso , articulou-se uma Nova Direita , tendo ao fundo entidades empresariais voltadas para o “convencimento direto no terreno popular“. Bolsonaro é fruto disso, assim como o que se passa na internet /redes sociais . Basta ver movimentos como o MBL, nas ruas e internet , entre muitos outros, ou institutos como o Milleninum , envolvendo ações doutrinárias diretas ou virtuais , com financiamentos nacionais e estrangeiros que vão da TV Globo, Grupo Gerdau, Pactual, Odebrecht, JP Morgan, Mises , Atlas, Students for Liberty. (Cf. “A Nova Direita”, ib., p.464 e outras ).

Como viu-se , algumas frações de extrema-direita,   hoje , no poder estatal no Brasil sem qualquer escrúpulo, dignidade, moral, ética, base democrática , mas exato o contrário , testando limites e pregando golpes militares , no que tem sido impedidas, aparente pelo Exército (Cf. atos pró e de Bolsonaro,  no dia de ontem , em frente a quartéis , inclusive em Brasília , sendo permitidos , e  informações sobre falas dos generais Mourão e Ramos, no dia de hoje, 21-4-2020). Há divergências,  aparentes apenas táticas , entre frações de direita, inclusive militares, todas alinhadas,  contudo,  em defesa do grande capital imperialista, pouco importando soberania ou independência nacional.

                        V- VERDADES, MENTIRAS, PÚBLICO, MANIPULAÇÕES

 

Anotemos melhor algumas dessas questões , pois tratam da forma de nos conduzirmos nesta caminhada política e social que prevê-se longa, na internet , na mídia, nas ruas, nos quartéis, nas fábricas, em geral , provável indo além de nossas próprias vidas .

A questão de checarmos , com cuidado , informações, e nos apoiarmos  em obras e autores sérios – afinal, por quê ?

Reafirmemos. Busca-se analisar e atingir a “verdade”, ainda que relativa , sobre a sociedade, fatos políticos, análises, repartindo-a com quem do povo brasileiro, interessado. Porque ela , só ela, poderá dar caminhos para aqueles que pretendam reais mudanças na sociedade e não auto-exibição ou votos ou aplausos narcisísticos ou “visualizações”.

Para cidadãos inconformados com a catastrófica realidade brasileira, e não nos referimos a ricos nem à chamada classe média , e mundial,( idem, em relação aos dos bairros bem estabelecidos dos EUA ou Inglaterra , mas aos pobres desses países , à Índia, Equador ou Bolívia – a verdade não só é o melhor como único caminho, por mais desagradável que seja. Pois, só ela poderá nos informar, aos que pretendem mudar a sociedade,  sobre fatos, dados, locais , pessoas, clima, população , recursos , forças políticas , contradições ,etc.

Ou seja, indiretamente, apontar os rumos certos a serem tomados no sentido das mudanças desejadas . Aqueles no poder não se importam com isso – apoiam suas ações nos serviços secretos, policiais, de informações, que lhes dão , sem nenhum acesso do povo a eles, a realidade do que ocorre na sociedade, conspirações, conversas particulares, desde que usam elementos infiltrados, gravadores, informantes vários, câmeras de perto e à distância, arquivos policiais – e centenas , milhares de agentes pagos para exercerem tais tarefas.

Em outras palavras, só  programas corretos , planos viáveis , palavras de ordem acertadas poderão levar ao desejo de mudar a sociedade e a um projeto capaz de tal. A imensa gama de informações facilitar aos que pretendem mudanças, mas muito mais aos que tem mais poder e podem difundir meias informações ou verdades, desinformações, contra-informações , eis que possuem muito mais recursos e o aparato dos estados em suas mãos .

Atuam no sentido oposto aos que querem mudar , inclusive infiltrados no meio deles.  Agem e pretendem o  exato inverso os que buscam nada mudar , cujo objetivo , consciente ou não , é sempre desinformar , o que significa confusão, mentiras, dúvidas, desacertos – implicando, afinal, no auxílio à  conservação do statu quo e, em geral, dificultando ou impedindo quaisquer mudanças.

Aqueles que mesmo declarando-se pró-mudanças insistem em divulgar mentiras, demagogia , mitos como salvadores nacionais, atuam, de fato ,  no sentido do conservadorismo – e confundem mais ainda o povo mal informado . Dizem quererem mudar, mas apenas dentro dos interesses dominantes e tutelados por ele. É meio mais fácil porque contam com cargos,verbas, palácios, rádios, poder.  Isto  tanto em países “ricos” como  num país cuja realidade é calamitosa , caso do Brasil – o que nos dispensamos, atualmente, de comprovar. (Pois até a CNN , Globonews, Bandnews, etc. em nossos dias, depois de décadas de mentiras e omissões, comprovam-no, diariamente).

Longas e pretensiosas análises, nem sempre bem claras, embora sempre contra os no poder, focando-os pessoalmente, por vezes  fora do lugar, época , forma , público alvo adequado , serão eficientes ? E  ademais se oriundas de apenas um indivíduo, bom jornalista ou historiador que seja, por exemplo, sem respaldo em obras consagradas, numa historiografia respeitada , podem não serem o melhor caminho , embora possam ter milhões de “visualizações .”(?!)

Sobre números : ora, Hitler também teve milhões de votos,  o que não comprovou que estava certo em suas idéias, programas, objetivos. Muito ao contrário, a História provou que ele usava atos teatrais e  estratégias retóricas e outros  recursos para lidar com massas populares , tendo  um programa e projeto toscos  e teorias mais ainda. (Conferir , por exemplo, Harendt, H., “Sobre o totalitarismo”). Algumas dessas táticas, aliás, foram e tem sido usadas por populistas de direita , demagogos, ainda em atuação política em vários países. (Hungria, Brasil, EUA, etc.). Também demagogos de “esquerda”, falsa esquerda, as usaram e usam , instruídos pela direita política, muito versada nessas estratégias e táticas.

Ora, tal situação leva as massas populares , por vezes, à confusão , e a duvidosos resultados quanto à informação verdadeira e educação. Mesmo os que , com boa intenção, pretendem chegar a mais pessoas com o intuito de discutir honestas infomações e teorias são levados à confusão quanto a informações , assimilação delas por outros , realidade. Além de mesmo com boas intenções assimilar  desinformações  .

Por quê ? Primeiro, os números fornecidos pelo Youtube, WApp, etc. podem serem manipulados, pois, quem os controla , no caso, a internet, é o Império do Capital e seus aliados, na verdade seus prepostos locais . Exato aqueles que se pretende superar ou vencer em certa situação . Ora, aquelas empresas passam à situação de “juiz” quanto a lados diferentes, sendo que um deles , na verdade, financiado e produzido por elas mesmas (Império do Capital) ,exercendo(a) o papel aparente isento de acolher a todos, igualmente,  por dinheiro, pagamentos, etc. e (b) também  no papel de fornecer dados que informariam a realidade dessa comunicação (número de visualizações, etc.), ainda aí com aparência de imparcialidade.

 Mas, o fato é que tais dados (mais ou menos apoios, seguidores, etc.) , seja do twiter, WApp ou Youtube,   que facilitariam e dariam  vantagem a um ou outro, um deles ou vários deles seus aliados, seriam confiáveis ? Haveria isenção quando um deles ataca o sistema em que está integrada a própria empresa e outro , ao fundo , a defende, embora tudo se passe por vias aparente diferentes ?

 Ora , inconfiáveis são  tais dados, pois sabidas as ações do Império e seus prepostos,  em toda parte .Sabe-se  do que são capazes quanto à moral, ética e direito. Basta ver as bombas nucleares jogadas , pelo Império do Capital ,  sem necessidade , sobre Hiroshima, Japão vencido, ou o esmagamento total do Iraque, contra normas internacionais e apoiado numa afirmação enganosa(provadamente, cf. dados em livros diversos, entre eles “A desordem mundial”, de M.Bandeira) dos próprios serviços de informação americanos.Fizeram tal, mentiram, enganaram os povos do mundo , porque tiveram força para tal – e muitos até hoje não os condenam , até os defendem, como a grande massa da mídia ocidental.

Assim, grandes aprovações via internet, Youtube, etc. nada ou pouco comprovam ou mostram lógica, racionalidade, razão. O que vale para manipulações formas e de conteúdo, como vimos. Hitler  tinha grande aprovação  , na sua época – mais votos , aplausos, etc. que adversários, num clima de confusão e divisão popular – e daí ? Trump e Bolsonaro também , embora todos  em estados de exceção implícitos ou não (como Hitler),povos sob manipulações, etc. assim como Mussoline  . O resultado da política deles é conhecido, apesar de toda a aprovação que detiveram certo tempo.

Números parcialmente falseados , manipulações de cima para baixo ,  massas enganadas por truques teatrais e palavras e promessas antes pesquisadas sobre seus anseios e sonhos , mentiras e dedo de especialistas, robôs, muitos  recursos financeiros para melhor divulgação – e eis números elevadíssimos quanto à divulgação de asnices portentosas .Google, Youtube, Twiter, etc. são controlados por quem ? Como surgiram ? Através de tecnologia militar americana , uso inicial para a guerra, sempre controlados pelo …Império do Capital . Ora, daí, manipulações…etc….- e em larga escala.

Em resumo, as “caminhadas” políticas e sociais, hoje , e por enquanto , com uso das redes sociais, digitais, (não se sabe até quando, isto é , usadas e permitidas apenas enquanto interessarem aos detentores do poder ocidental, no caso o Império do Capital) , podem tornarem-se  longas, em especial se buscarem mudanças qualitativas , na sociedade , contestando o sistema do grande capital .

No caso brasileiro , se buscando mudanças de qualidade, com certeza serão longas, mais ou menos do que até hoje previsível , em vista da variável “coronavírus”, que poderá justificar mais autoritarismo com populismo , ou seja, crescimento do que um dia foi chamado de “totalitarismo”. O desnudamento do Império do Capital implicará em reações por parte dele e a comunicação, sem dúvida, será atingida. Aliás, já está sendo, com limitações quanto à divulgação de informações pelo WApp, por exemplo.

                VI -DIVERSIFICAR, CONTROLAR, DISCIPLINAR

No curso dessa hipotética caminhada , de luta digital, aqui analisada , e também nas ruas, locais de trabalho e outros, realizada por aqueles que pretenderiam mudanças qualitativas, no Brasil,  e no mundo, seria preciso, pela longa duração dela, por meses, anos , décadas talvez , naturalmente, além dela, saber  respirar , dançar , estudar , assistir cursos , trabalhar, namorar , transar , medicar , nascer, morrer, enterrar , fazer e assistir teatro, cinema, comemorar aniversários, reunir, congressos , assembleias, etc. – mesmo , por exemplo , com vírus, quarentena, guerras, calamidades e outras dificuldades. O esforço demasiado ou exagerado apenas levaria a danos físicos e provável interrupção por descontrole físico ou emocional ou até pela doença ou morte.

Oliver Stone – Wikipédia, a enciclopédia livre

Ah, estranho ou impossível projetos de longa duração ,  para alguns ? Então , lembremos , a China, o povo chinês lutando, séculos, contra colonizadores diversos ; ou melhor, mais recente, o povo do Vietnan, década 1960 – vietnamitas franzinos , em guerra contra os EUA, poderosos gigantes humanos , soldados, muito bem armados , sem quaisquer escrúpulos ou ética, que cometerem crimes a todos momento, genocídios, estupros coletivos e outros, dados comprovados pelos próprios americanos até em filmes diversos .(Caso dos de Olivcr Stone, entre outros).

Pois bem, aqueles vietnamitas viveram em túneis de até 150 km , por vezes a 20 metros de profundidade , dentro da terra, e sob contínuos bombardeios americanos, bombas e napalm, dia e noite, durante anos. E venceram a guerra – por quê? Porque alcançaram na defesa de seu solo, país, famílias ,sociedade, o mais alto nível de consciência social e política jamais alcançado pela humanidade. Portanto, disciplina, controle, rotinas, comemorações, aprendizados, solidariedade social – tal é indispensável. Não é possível continuo e ininterrupto trabalho de um ou poucos, o que só levará à morte, doença, paralisação.

Então, perto do narrado , o que passam os brasileiros, atualmente, quanto a esse vírus(distanciamento, quarentena , etc.) não é tão negativo ou difícil.Muito pior a situação descrita, Vietnan, porque se tratava de uma guerra. Não há, no caso de uma pandemia, mesmo com vírus mortal , um inimigo específico, que nos ataca, contra-ataca e destrói infra-estrutura, plantações, fábricas, mata direto, com sofrimento , e de imediato- o caso da guerra.

Por tudo isso, refletir-se, ao meio da crise em curso – manter o controle, calma , paciência, persistência. Se analisamos os fatos , com rigor, e somos obrigados a sermos rigorosos na busca da verdade e na imposição dela , é porque temos noção de que há um longo processo político e social a ser percorrido.E só a “verdade”, dados e análises fidedignas  nos darão dados para proceder e enfrentar dificuldades da melhor maneira.

Caso, por exemplo,  dos brasileiros pretendam um Brasil soberano e independente .Por isso, em meio à luta política , há que pensar-se em confraternizações , música, diversidade , etc. mesmo sob difíceis condições. Viver por algo , integralmente, “naturalmente”, para poder suportar longas e dolorosas jornadas.

Daí, em vista do exposto , e da conjuntura política percebida , a época, o tempo, o país, o povo, buscar  ser a nossa revista diversificada , eclética , com análises curtas,  em vista do público alvo – buscando-se a “verdade” , sempre, ainda que relativa, sem uma preocupação básica com audiência ou aplauso fácil, o que deve ser difícil de entender por quem pensa diferente e busca o imediato.

               VII- O IMPÉRIO E A CONJUNTURA INTERNACIONAL

Examinadas algumas preliminares, quanto à questão da comunicação pela forma de escrita, ou sobre ações na internet, evidente que há uma forma escrita para pessoas que não são analfabetas funcionais. Aquelas que são capazes de entenderem detalhes e pensarem além do simples ou do quase óbvio. Isto é, de irem muito além da orelha de livros e tendo uma formação política e social básica,  ao menos. Neste caso, é preciso ir além , muito além do simples  escrito , sabendo-se que trata-se de minorias – e ínfimas,  no caso do Brasil.

Consideremos o Brasil, a conjuntura atual, a internacional. Como a pandemia a influencia e influenciará,  e em que sentido se voltará a sociedade , após o ápice da crise ?  “Qual o futuro dessa situação”? É possível já pensar nele ?

A situação brasileira é dramática, anterior à pandemia ,  e o drama começa na  conjuntura internacional -o Brasil integrado , nela, via econômica, comercial, política . Um país fortemente  endividado , vítima sofrida até hoje , mais recente, não apenas de um golpe civil-militar , como se propaga ter sido o de 1964 ( o primeiro , porque houve outros  , menos claros , depois daquele primeiro, via  Castelo Branco, depois contra Costa e Silva, etc. ) .

Mas, golpe estrangeiro, tramado via serviços secretos (Cf. Carlos Fico , Moniz Bandeira , René A.Dreifuss, etc.) , que tornou o país total dependente do Império Americano , com enorme dívida pública,  para suas condições, estrutura deficiente , com as mazelas antes já descritas.

(Neste momento, multiplicando-se mortes, doenças,  hospitais já superlotados, em especial em São Paulo,  isolamento social em boa parte rompido, face à posição contrária do Executivo, sendo divulgada a cada momento . Bolsonaro, ao meio dessa situação de vida ou morte, no Brasil , inclusive, participou,  hoje,  de manifestação pró-intervenção militar (?!) pregando fechamento do STF, Legislativo, e pró-AI-5 , ditadura, torturas ).

                                             VIII -RISCOS PARA A HUMANIDADE EM CURSO

Chomsky lembra que o “ coronavírus é algo sério o suficiente , mas vale lembrar que haveria “ algo muito mais terrível se aproximando, estamos correndo para o desastre, algo muito maior do que o que já aconteceu na história da humanidade “ – “e Trump e seus lacaios estão à frente disso, na corrida para o abismo .”

Para ele, haveria sérias ameaças a atingirem países e povos, de forma drástica – a guerra nuclear , o aquecimento global e a deterioração das democracias . Se o vírus seria superado, esses outros problemas não .  (N Chomsky –entrevista, março 2020,com filosofo Srecko Horvat –Opera Mundi –Dialogos do Sul -resumo)

A deterioração da democracia e a ascensão (em nossa opinião, via estados de exceção , nova forma de governança das democracias capitalistas ocidentais, dentro do viés bem percebido por Agamben, em livro de mesmo nome) de SOCIOPATAS BUFÕES seriam um risco perigoso . Para Chomsky , ...Trump é o pior , por causa do poder dos Estados Unidos, que é esmagador”.

Viveríamos , assim, uma crise devastadora e altamente perigosa para os povos do mundo, inclusive o americano .
Os mercados , levados por um “neoliberalismo selvagem” , o mundo estaria nas mãos de gente desse tipo. Algo chocante …um “momento crítico da história humana”, em que já existe e poderia crescer uma forte violência do Estado .

                            IX -O IMPÉRIO ENFRENTA RÚSSIA E CHINA

Se Noam Chomsky lembrou importantes riscos , para todos os povos , no plano internacional, José Fiori vai mais longe – vê um processo irreversível de disputas, presentes e futuras , entre EUA, China e Rússia, que se acentuaria após a atual crise.

Tal tem sentido , na medida em que os EUA buscam a supremacia mundial e, com a globalização, a China e Rússia , de formas diferentes, ascenderam e tornaram-se fortes competidores, ainda mais quando agora aparecem  fortemente aliadas .Enquanto os EUA tornaram-se mais e mais um país em guerra permanente com todos os países que se negaram a ceder frente a seus interesses,  outras nações, em especial a China, desenvolveram-se muito rápido , industrial e militarmente.

Os EUA passaram a sobreviver pela guerra e , mesmo recuperando-se dessa pandemia atual , poderiam depois ficarem em segundo plano, fortemente atingidos , tanto internamente, como no plano ético e moral. Em especial, pela mostra de deficiente atuação preventiva , falta de estruturas de saúde e sanitária, numero de carentes , xingamentos e atitudes de Trump, eficiência chinesa quanto à contenção da epidemia , com aumento de seu prestígio mundial. Daí,  os ataques sucessivos de Trump à China, depois de elogiá-la . Após elogiarem a China, os EUA passaram a ofendê-la, e também à OMS , seguidos de líderes de seus países dependentes, tipo Bolsonaro, no Brasil, chegando a cortar verbas da OMS , que teria sido “conivente com interesses chineses” , o que parece absurdo, atitude que vem  recebendo críticas de toda parte do mundo.

Carter, experiente ex-presidente, disse entender o medo de Trump com a ascensão da China , mas que isso se devia exato aos gastos bélicos dos EUA, enquanto a China investira e não guerreara com ninguém. Ele prevê a vitória da China, nessa competição.

Previsão razoável o avanço da competição entre China e EUA. José Fiori lembra a guerra atual “entre países por equipamentos médicos”, situação em que o Brasil foi “tosquiado” pelo grande amigo americano de Bolsonaro , que tomou,  na “mão grande, ” vários equipamentos já vendidos e destinados ao Brasil. Em suma, estas disputas e entre outros países, inclusive da Europa e dos EUA,tudo indica que aumentarão.

Se os EUA não puderam senão promover uma desordem mundial, até agora (Moniz Bandeira) , bem atestada pelo autor citado , jamais desenvolvendo industrialmente ou permitindo soberania ou independência , fora formais, em quaisquer de suas colônias, muito ao contrário, caso do Brasil(Chomsky) , imagine-se o que ocorrerá após a superação, ou melhor estabilização (pois a superação demorará muito) da presente crise , com os EUA tendo sido fortemente atingidos, como já o foram, com dezenas de milhares de mortes, até agora.

 

Mudar ou Morrer – O Drama Brasileiro/ 2020

 

Nessa situação, de crise epidêmica, os bufões sociopatas, caso de Trump e Bolsonaro (expressão de Chomsky , mencionando Trump, mas de forma a integrar Bolsonaro e outros) demoraram a admitir a situação real perigosa , ambos falando em gripe e gripezinha , podendo serem adiante responsabilizados pela demora em agir .Todavia, os bancos americanos dominando as finanças globais, os EUA tendem a recuperar-se com alguma ordem. O Brasil, não. Tem condições piores, precisa de altos investimentos, tem uma dívida pública se multiplicando , etc. Mas, os EUA irão encontrar como barreiras a China , em especial , e a Rússia. O Brasil, em sua subalternidade e dependência, continuará na situação de crise cada vez mais aumentada, assim como sua dívida pública , dependente mas não ajudado , essencialmente, pelo país-parceiro, segundo Bolsonaro , os EUA. A crise, óbvio,  será muito mais acentuada no Brasil do que nos EUA.

A crise do petróleo , em curso, tenderá a agravar a situação mundial , inclusive a do Brasil – calamitosa e sem perspectivas de auxílio, bastante dependente da venda de commodities à China – agronegócio .(A anotar que Bolsonaro, típico” fraco e abusado” , vem  provocando os chineses, que, se reagirem , no comércio( este depende também das necessidades internas da China , voltada para a industrialização e não para os produtos primários), às provocações dos bolsomilitaristas , poderão levar , em semanas , à crise total do agronegócio brasileiro. E do que ainda resta da economia .

                                           X – O BRAZ$L, ANTIGO BRASIL

A situação brasileira é dramática também quanto à pandemia em curso.Especialistas , como Alexandre Kamache,  prevêm uma crise que alcançará não só hospitais públicos mas privados, que também não terão forma de atender seus clientes, a eles ligados por planos de saúde . Em meados de abril, chegamos a mais de 2 mil mortos e dezenas de milhares de infectados . Estima-se em 75 milhões os “informais”ou desempregados ou “precarizados”, aptos a receberem os R$600(seiscentos reais) de auxílio de emergência, aprovado pelo Legislativo .O desemprego aumentando , comércio fechando , Brasil quase parado , a inflação atingindo já alguns alimentos , caso dos ovos e outros .

Após demitir Mandetta , o Ministro da Justiça que pregava o isolamento como quase único recurso no momento , e nomear um médico-empresário para seu lugar , Bolsonaro atacou o presidente da Câmara , de forma virulenta, dando o sinal para suas redes sociais,  que fizeram o mesmo, crucificando e xingando Rodrigo Maia : “O Maia está conspirando contra o Brasil” – criticou ele – insinuando ainda que tal ocorreria por baixos interesses eleitorais.

Observa-se classes médias em crise, o povão cada vez mais desempregado , o “amigão” americano na posição de sempre – recebendo benesses , como a base de Alcântara, militar, e nada cedendo fora conversa furada e promessas futuras , todo o acima narrado já comprovado , e não contestado,  em livros de Moniz Bandeira, Agamben, Chomsky, Carlos Fico, Prado , entre outros.
Sem liderança , o país  dirigido por uma elite traidora (porque , e não de hoje, aliada a interesses estrangeiros, ditadura militar, autoritarismo, corrupção, dívida pública falseada e não investigada por tal não ser de interesse de bancos internacionais). Uma liderança irresponsável que deixou o país chegar a tal situação (cf. , p.e., o site de Fatorelli, sobre a Dívida Pública, na internet, quando se mostra a aliança e desfaçatez de benefícios dados  a banqueiros ) .

O país SEM INFRAESTRUTURA mínima adequada, um novo Ministro da Saúde , empresário ; situação financeira e fiscal caóticas . Uma visível relação subalterna com os EUA – dependência e até BASES MILITARES em volta , e , no Brasil , já ALCÂNTARA , fora acordos pouco conhecidos ou nada conhecidos, além de uma situação nebulosa na Amazônia , com velhas denúncias de militares, inclusive generais, fora alguns sertanistas, sobre americanos e outros estrangeiros lá instalados. Além de ali atuarem dezenas de milhares de ONGs(Gal.Mourão, vice-presidente).

Tormenta: O governo Bolsonaro: crises, intrigas e segredos por [Thaís Oyama]

Livros como o de Thaís Oyama , “Tormenta”, já citado, mostram a baixaria e fofocas entre as atuais elites estatais bolsomilitaristas, envolvendo o vice-presidente, Ministros, STF e outros, inclusive narrando-se golpes abortados . Não se conhecem processos ou desmentidos. O absurdo, no Brasil, virou algo normal. Filhos de Bolsonaro envolvidos em ações do STF e relações entre STF e Presidente explicitadas – o estado de exceção implícito e informal, via STF em especial, e Legislativo, resolvem as questões conforme os interesses das forças dominantes em jogo.

Ora, se,  passado, Eduardo Prado(“A ilusão americana”) já mostrara e advertira sobre a nenhuma solidariedade do Império Americano com o Brasil , e outros países .  Moniz Bandeira , mais recente, traçou o dependente quadro das relações entre Brasil e EUA(“As relações perigosas” …) e bem lembrou o dedo americano em diferentes revoltas no Brasil, caso da Sabinada(Bahia, 1837),Cabanagem (1835),Balaiada(1838),Farroupilha(1835),Pernambucana(1817). Quanto a 1964, o grande golpe estrangeiro mais recente,  R.Dreifuss o menciona – e vivemos até hoje suas consequências , sem interrupção, pois mesmo nas administrações Lula e Dilma, que sequer governaram, decidiram questões fundamentais de Estado , o programa liberal/neoliberal jamais parou de ser empregado , com privatizações, controle fiscal rígido, etc.

O que se é ignorado por muitos, de forma oportunista , “A conquista do Estado”,de Dreifuss, provou-o, fora a práxis,  que fala por si, ficando nítido  que houve um “golpe” cuidadoso e bem financiado, o que incluiu militares, inclusive generais, além de assassinatos e crimes , nunca bem investigados até hoje.( Completando Dreifuss, cf. , p.e., “O Grande Irmão”, de Carlos Fico).

Na situação do Brasil, provável perdida toda a década de 2020. Mas, a questão é – tem o Brasil força para recuperar-se ,após “isso “, ou nessas circunstâncias, isto é , crise geral anterior + epidemia + crise do petróleo + dependência estrangeira/crise das “instituições democráticas”?

Tudo indica que, na direção em que está indo,  não há espaço para uma volta , muito menos por cima. Vem dando uma volta por baixo e isto passou pelo governo Lula, como o mostrou tanto um Reinaldo Antunes como um Petras ( “Brasil – Lula Ano Zero”) . O Brasil sendo, em definitivo, entregue ao Império do Capital  , em especial pelos militares , com manipulação de movimentos de massas religiosas e ignorantes ,  manipuladas por dólares e empresas e bilionários estrangeiros. Todos atuando por aqui desde muito antes de Bolsonaro, como atuaram antes de 1964 . (Sobre manifestações pré-Bolsonaro, cf. “A Nova Direita”, de Flávio Casimiro, entre outros ).Idiotas militaristas imaginam que os EUA cederão armas de nível moderno ao Brasil e ainda permitirão alguma soberania ou independência. Muita ingenuidade ou má-fé e oportunismo descarado ? Evidente que o Brasil está entregue , com embrulho para presente e tudo , aos interesses americanos , as “elites” prestes a abdicarem  , sem luta , do que resta de soberania nacional.  Seu destino – o mesmo dos estados americanos arrancados do México – quando houve luta – ou melhor, solução jurídica  tipo Porto Rico , assumindo a situação de um Estado Associado, embora não haja pressa nesse sentido, eis que a informalidade tem as vantagens da máscara, com pouca ou nenhuma contestação.

Evidente que nossas elites militares e civis não estão dispostas a qualquer luta , mas a um acordo e capitulação nos mesmos termos daqueles do  passado . Talvez estejam esperando o “amadurecimento político e social” do povo e dessa situação para operar , abertamente, a passagem de uma  dependência e integração de fato, mas informal, para formal. O povo brasileiro aceitará tal ? O de Porto Rico aceitou , com referendo e tudo mais de direito .Talvez alguns militares , por aqui, estejam esquecendo o Iraque, a Líbia, todos os países sob a égide americana . O massacre e a destruição do Brasil , se necessário, não estarão fora de foco , apesar da permanente traição das últimas décadas sugerir tal desnecessário.  Jamais os EUA admitirão a soberania e independência do Brasil, sequer industrialização ou mesmo sólida infraestrutura – isto, talvez ,  só com a formalização da atual integração informal.

A incompetência e irresponsabilidade da administração Bolsonaro, e do próprio,  sobressaem, nestes anos – não é sequer governo porque não decide políticas fundamentais, nas mãos do Banco Central e do poder financeiro internacional .De fato, quanto à oposição a ele  , no Brasil, pouco adiantam apenas recursos a ofensas e impropérios, ou denúncias mesmo , contra as técnicas bem planejadas  de retórica grosseira , mas eficaz , da  escolha permanente  de inimigos , etc. que já Hitler usara e que bolsonaristas e o próprio usam  em profusão, com resultados positivos, ontem e hoje. Embora , agora no poder, falte aos bolsomilitares sequer um plano ou projeto nacional, fora a integração ao Império Americano.

O grande alívio está numa oposição à esquerda dividida, quase inexistente, e onde ainda por cima é majoritário o lulopetismo, nas mãos de um Lula omisso e do” PT dele” – apostam em legalidade, eleições próximas e trabalham mais por sua burocracia partidária , seus governos estaduais, prefeitos e deputados . Em suma, pelo regime, não fazendo qualquer efetiva oposição à  degringolada e desvirtuamento evidente das instituições. Nada capaz de colocar em cheque a atual situação anômala do estado de exceção, sob égide do grupo militar bolsonarista. De fato, aliados , efetivamente, às frações políticas de direita, com ligações com outras dos EUA, caso do DEM .

                              XI – PARA ONDE VAMOS ?

Governo Bolsonaro revoga portaria que dificultava acesso do crime ...

Ainda assim, com a crise sem solução nem fim próximos , o Brasil vivendo de empréstimos e com dívidas crescentes, sem investimentos nem nacionais , nem estrangeiros , a tendência será , como lembra Fiori, revoltas inorgânicas, povo depredando supermercados, coisas assim. De outro lado, risco efetivo de um golpe de bolsomilitaristas , desde que estes  exigindo tal, nas ruas, sem qualquer punição, como o fizeram em 19-4-20,  sob o beneplácito do estado de exceção .

De fato, desde que reivindicado, contra a Constituição Federal , sucessivamente, mais um golpe militar ,Bolsonaro endossando-o , sem punição ou sequer apuração do fato , por  quanto tempo tal concessão militar lhe será negada ? O que pedem é “ditadura com Bolsonaro”, mais  AI-5, ou seja, ilegalidades , não democracia, mas torturas e assassinatos.

Quem acompanhou ou acompanha este site ou Caminhando Jornal TV pode observar que prevíamos tal –  nossa menção ao golpe militar de 1965, na Indonésia, dos mais violentos, com as tarefas mais sujas feitas por milícias. No Brasil, as milícias,  que colaboraram nas primeiras eleições de Bolsonaro, e há pouco com seus familiares, já  estão a postos.O projeto da administração de Bolsonaro/militares/banqueiros é de dependência e submissão total externa – os impropérios contra a Venezuela foram e são apenas latidos graciosos de um fraco poodle velhinho , exibindo-se, preso pela coleira, por seu poderoso dono americano.

O projeto interno bolsomilitarista de poder autoritário, ou melhor, totalitário, prossegue, pois, com busca de apoio popular . Sem ainda logística de nível para ser efetivado , com busca de um “golpe”, via manobras por meio do estado de exceção informal existente , o que tem sido toldado por acordos feitos via STF/Toffoli/Legislativo , militares/banqueiros. Isto , nos bastidores, estilo democracia falseada (tipo as tentativas descritas em “Tormenta”, já citado ). Provável considerado tal golpe , pelos militares, até agora, desnecessário, incapaz de dar soluções aos problemas da elite irresponsável e  genocida brasileira .

Daí, não ter sido efetivado , alguns militares do Exército , generais, provável  tendo impedido-o ,  faltando coesão nacional mínima, civil-militar, neste sentido. Mas, sem dúvida, deve estar sendo articulado nos bastidores, ao mesmo tempo que outro contrário , talvez “legal”, que levaria à presidência o vice Mourão, considerado um homem típico do Exército e muito mais preparado, o que é verdade.

Todavia, essa situação pode mudar na medida em que as Forças Armadas, hoje ,  desviadas para tratar seja de problemas da pandemia, para legitimarem-se perante o povo, como também para tratar de problemas de segurança internos, caso das revoltas de policiais em alguns estados . Elas, atualmente, sem condições de efetiva defesa nacional , o que de décadas pretendiam os EUA, e já quase transformadas numa espécie de mais forte e coesa Polícia Militar Nacional . Tal nunca foi do agrado delas, o  que pode induzi-las num sentido ou outro, aparente sem intervenção mais direta do Império do Capital, elites e frações de direita divididas .

Como as forças militares , via Bolsonaro, chegaram ao poder estatal , ao centro de gravidade do bloco de poder dominante , tutelando o desastre administrativo daquele, não estão, aparente,  tão interessadas em assumir , isoladamente, o ônus de enfrentar tal situação nacional calamitosa. Mas, a posição de Bolsonaro, Carvalho e outros por trás, provável, é a de busca do  confronto , inclusive junto com os setores militares que com ele administram, mas ainda não endossam o golpe.

Mas, como atuarão e o que farão os militares,  na medida em que espoquem revoltas sociais aqui e ali, espontâneas e, se superada a omissão lulopetista, centro da oposição , inclusive dentro do PT ?( Ela , afinal , se moveria , desde que agora a omissão petista provocada e sob ataque  declarado de Ciro Gomes .O que poderia gerar reação em vários sentidos. Ou Lula, ele próprio responde aos ataques de Ciro , e lidera as oposições a essa situação , embora com risco de receber de volta mais denúncias e provas contra ele , ou se cala, em definitivo, e ajuda a unificar uma oposição mais consequente – sem ele.[ Lula parece acuado , intimidado , não se tendo exata informação das razões ]. O que teria repercussão em todas as esquerdas e “esquerdas”, com reflexo nacional e possível susto nas “elites” , atualmente a “baterem cabeças” desadministrando o país. Isto pode implicar em avanço da direita bolsomilitarista em direção do golpe totalitário, com apoio militar solido .

Tanto política como economicamente, de qualquer forma, um panorama de crise e degeneração a curto , médio e longo prazos . Embora possam , os militares, como até agora tem feito , não optarem por um avanço neo-totalitário, por considerarem tal desnecessário e contraproducente, sem qualquer apoio civil-empresarial para isso , pois já no poder possível – insistamos.

De qualquer modo , a cúpula militar, bolsonaristas, banqueiros, “elites” aliadas aos interesses estrangeiros, etc. viverão perigosa degeneração nacional , econômica, política, social , com dependência cada vez mais total do “amigo” americano de Bolsonaro, via direta, ou indireta, OMC, FMI , etc. Isto é, exato do Império, que, historicamente, nunca ajudou, realmente,  ninguém, nenhum país , nem os pobres de seu próprio país, vide a situação da saúde, onde não tem um sistema tipo o SUS brasileiro – ou seja , no horizonte , afinal, a morte do agônico Estado Brasileiro , que , há tempo, sobrevive na UTI.

Temos uma elite brasileira associada , um Brasil-Protetorado , total servilismo aos EUA , nenhum perigo comunista – o que temem os EUA , e de tabela seus aliados locais, é independência, soberania nacional , contra isso enfrentando esquerdas ou direitas –  nacionalistas (Chomsky). Os EUA como modelo brasileiro – um absurdo , sob todos os aspectos, do militar ao político, os EUA dirigidos por oligarquias ultranacionalistas, um complexo industrial-militar poderoso , autoritários e dominadores, o Brasil fragilizado, sem ter mais sequer o que negociar , nem mesmo “privatizações” – só lhe resta o próprio território e suas talvez sobreviventes riquezas, provável bem mais delapidadas do que sabemos.

Uma subordinação ainda maior aos interesses estrangeiros  ou um golpe totalitário bolsomilitarista representarão o fim do Brasil , informalmente já parte do Império e Protetorado , sem forças militares com condições de defender o Estado e seu povo de qualquer real inimigo externo .Só uma guinada radical no sentido de mudança de rumo , inclusive de abertura para a China, Rússia, etc. com política externa mudada e mais independente, com Constituinte, ataque à suspeita dívida pública e seus juros absurdos, redirecionamento da política fiscal e financeira , poderá salvar o Brasil da derrocada total  . Estamos no limite máximo do pretensioso Protetorado Americano Brasil (Mangabeira Unger) ou Província Brasil (Octávio Ianni) . Mudar de rumo ou derrocada.

                                      XII -MUDAR OU MORRER ?

Nesse sentido , o drama brasileiro aproxima-se do americano ( degeneração, queda ou mudança, o que aliás, trôpego , Trump vinha tentando , tanto interna quanto externamente).

Eric Hobsbawm: um historiador que mudou o nosso modo de olhar o ...O drama americano, aliás, fora previsto, há muito, pelo historiador Eric Hobsbawm – admitiriam os EUA abdicarem de seu poder mundial, como o fez o Império Inglês, ou iriam a uma guerra mundial para isso ?
Cada vez mais imprensado, e contestado , o poder da oligarquia financeira americana e mundial, ela irá à guerra nuclear ?

( De fato, a única que poderia vencer, embora a alto preço, pois seria sempre derrotada em guerras tradicionais, em que interviessem Rússia e China ).
Ou, não querendo tal risco suas oligarquias dominantes (catástrofe geral, elas vivendo em já prontos confortáveis subterrâneos, mas não ao nível de como vivem hoje) ,  afinal, admitiriam dividir poder e até admitir colocarem-se um segundo plano, mesmo  conscientes que este seria seu lento embora  menos catastrófico fim ?

Com um Trump à frente, complexo militar-industrial americano bem representado no poder estatal, com um dos seus de confiança , tem razão Chomsky em ver , com seriedade,  tal hipótese.

Quanto ao Brasil, durante o curso desse processo decadente e degenerativo do Império, nenhuma concessão. Ao contrário, brasileiros e outros povos serão requisitados como mão de obra barata, para enfrentar os produtos também baratos da China , pois,  por perto,  commodities à disposição , mais bases militares , servindo os brasileiros ainda de “bucha de canhão” em guerras menores, seja contra uma Venezuela ou alguma outra nação de mais fácil enfrentamento ,  objeto dos interesses imperialistas.

Variáveis intervenientes, neste processo, poderão ser (1) setores nacionalistas (?!) não bem identificados das Forças Armadas ; (2) acordo entre lideranças e bases oposicionistas de centro-esquerda ; (3) disposição do povo brasileiro, em que pese sua desinformação e manipulações de todo tipo, em não admitir a perda total e formal da soberania e independência ; [a ação ou omissão dessas forças , com propostas corretas ou incorretas(?!) , intervindo no processo político e social, em poucos anos] .

Quanto à ação do Império do Capital , armada e violenta , se preciso , será de solidariedade total a seus aliados brasileiros, ao bloco de poder dominante, inclusive intervindo direto , se preciso. Jamais admitirá soberania ou independência do Brasil, o que seria avanço mais rápido para seu fim mundial , em qualquer hipótese. Fará guerra no seu “quintal”brasileiro, como se refere ao Brasil , se preciso – com toda probabilidade . E , possível , também fará a guerra no plano mundial , dependendo de convencer-se de sua inevitável derrocada e na impossibilidade de vencer por outros meios que não a guerra, ainda que nuclear.

No caso do Brasil, Estado brasileiro, ainda mantendo atitudes formais de independência e soberania, que nos interessa mais direto, trata-se, como dito , de alterar , radicalmente , e urgente , seu direcionamento – mudar ou morrer .(*)

***************************************************************************************************************
( *) Original não revisado, o que não impede entendimento .

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.